sexta-feira, agosto 31, 2007

Promessa Atacante da Semana: Charlie Davies


Os clubes portugueses que vão participar na Taça Uefa conheceram há poucas horas os seus adversários. O Braga vai jogar com os suecos do Hammarby IF, e a promessa atacante desta semana é o camisa 10 dos Bajen , Charlie Davies.

Charlie é norte-americano e tem 21 anos de idade. Começou a sua carreira no Boston College, ontem cumpriu o seu último ano de junior. Em 2006 foi finalista do Hermann Award (Troféu atribuido anualmente ao melhor futebolista masculino e feminino, dos EUA), e recebeu propostas de grandes clubes como o Ajax, Roma, Celtic, e também outros dos países escandinavos e da MLS. O Hammarby acabaria por ser o seu destino, na primeira aventura fora do país.

Charlie Davies estreou-se na selecção A dos States no dia 2 de Junho deste ano, num particular contra a China. Fez parte da convocatória dos Estados Unidos na Copa America 2007.

No Hammarby, onde enverga a camisola nº 10 (apesar de jogar a avançado), marcou o seu primeiro golo a 24 de Junho, contra o Klaksvik, num encontro a contar para a Taça Intertoto.


Ficha Técnica


Nome: Charlie Davies
Data de nascimento: 25/6/1986 (21 anos)
Local de nascimento: Manchester, New Hampshire, EUA
Altura: 178 cm
Peso: 74 kg
Posição: Avançado
Clube: Hammarby

Sorteio Taça UEFA

Hoje, ao meio-dia, no Mónaco, decorreu o sorteio da Primeira Eliminatória da Taça UEFA. Conseguimos colocar as 4 equipas nesta eliminatória, embora a União Leiria tenha de ter passado por duas pré-eliminatórias, uma delas na Taça Intertoto. O Sp. Braga, era a única equipa que partia para este sorteio como cabeça de série e o único que tinha a tarefa mais acessível. Belenenses, Paços Ferreira e União Leiria esperavam o menor “azar” possível.

Porém não foi isso que sucedeu, Os Belenenses, tiveram de longe o pior sorteio de todas as equipas europeias envolvidas nesta eliminatória, calhando com os alemães do Bayern Munique, que até agora é o maior favorito à vitória final nesta competição.

O Paços Ferreira também se pode queixar do sorteio, uma vez que calhou com uma equipa habituada a ir longe nesta competição. Os holandeses do AZ 67 Alkmaar devem contar não só com o seu potencial mas com a inexperiência europeia dos portugueses.

O União Leiria calhou também com uma equipa alemã, o Bayer Leverkusen, que neste momento é uma sombra da grande equipa europeia que foi em tempos nao muito idos. Contudo é sempre uma equipa alemã. No entanto a equipa do Lis pode ter uma palavra a dizer, a não ser que se perca na inexperiência como o Paços de Ferreira.

Por último o cabeça de série Sp. Braga, com um sorteio “assim-assim”, nem bom nem mau. Uma equipa Suéca do meio da tabela para cima e que acabou a época passada no terceiro lugar, mas com muita rodagem a nivel europeu. Foi campeão sueco em 2001. Encontram-se no 8º lugar do campeonato mas em casa mostram ser uma equipa fortíssima, e em 9 jogos tem 7 vitórias e 2 derrotas com 15 golos marcados e apenas 3 sofridos.

Em relação aos outros jogos temos alguns muito interessantes.

O Atlético Madrid de Simão, Maniche, e Zé Castro, parece ter uma tarefa muito simples defrontando os turcos do Kayseri Erciyesspor, que desceram de divisão. José Peseiro e o seu Panathinaikos encontram o Artmedia. Teremos portugueses dos dois lados também no Tottenham Hotspurs contra o Anorthosis. E em termos de eliminatórias interessantes, o Lens de JP Papin recebe o FC Copenhaga, e o “azarado” Dinamo Zagreb que também veio eliminado da Liga dos Campeões pelo Werder Bremen, agora encontra o não menos forte Ajax. Os espanhóis do Getafe defrontam o FC Twente da Holanda. Rapid Viena frente a Anderlecht e Nuremberga versus Rapid Bucareste, podem ser também jogos interessantes.

Pela parte “negativa” ou desnivelada do sorteio podemos encontrar: Everton contra o Metalist Kharkov (Ucrânia), Bolton Wanderers frente ao Rabotnicki (Macedónia) e Villareal versus BATE Borisov (Bielorrussia).

Os jogos sairam por esta ordem:

Midjityland – Lokomotiv Moscovo
Groningen – Fiorentina
Rabotnicki – Bolton Wanderers
AEK Athenas/Sevilha – Red Bull Salzburg
Nuremberga – Rapid Bucareste
Everton – Metalist Kharkov
FC Zenith – Standard Liège
Bayer Leverkusen – União Leiria
Villareal – BATE Borisov
Sion – Galatasaray
Atlético Madrid – Kayseri Erciyesspor
Bordéus – Tampere United
Panathinaikos – Artmédia
Sparta Praga – OB Odense
FC Zurique – Empoli
Sochaux – Panionios
Rapid Viena – Anderlecht
Paços Ferreira – AZ 67 Alkmaar
Sampdória – Aalborg
Spartak Moscovo – Haecken
Hammarby – Sp. Braga
Larissa – Blackburn Rovers
Mladà Boleslav – Palermo
Dinamo Zagreb – Ajax
Rennes – Lokomotiv Sófia
Brann Bergen – Club Brugges
Bayern Munique – Belenenses
Aberdeen – Dniepr
SC Heerenveen – Helsingborgs
Toulouse – CSKA Sófia
Hamburgo – Liteks Lovech
FK Sarajevo – Basileia
Austria Viena – Vaalerenga
AIK Estocolmo – Hapoel Telaviv
Aris Salónica – Zaragoza
Dinamo Bucareste – Elfsborg
Tottenham Hotspurs – Anorthosis
Lens – FC Copenhaga
Getafe – FC Twente
Groclin – Estrela Vermelha


Os jogos realizam-se a 20 de Setembro e 4 de Outubro, primeira e segunda voltas respectivamente.

Lembrem-se, não há vencedores antecipados... Vamos todos aos estádios apoiar as nossas equipas!

On the way to Europe

A União de Leiria garantiu ontem o apuramento para a Taça UEFA ao vencer por uma bola a zero a equipa israelita do Maccabi Netanya. O jogo da 1.ª mão havia ficado empatado a zeros, deixando a decisão da eliminatória para hoje.


Estádio: Kiryat Eliazer, em Haifa
Assistência: (cerca de) 13.000 espectadores
Árbitro: Sorin Corpodean (Roménia)

MACCABI NETANYA
Stauber; Saban, Murillo, Hermon Golan e Ben Dayan; Amir Taga, Cohen Almog, Cohen Tamir, Bundea, Schechter; Menachem e Okocha
Suplentes: Nir Gal; Ben Shabat, Strul Bernad, Vayer Adam, Maabi Tal, Yampolsky Bamidele e Rozenthal
Treinador: Reuven Atar

UNIÃO DESPORTIVA DE LEIRIA
Fernando; Éder, Renato, Hugo Costa e Laranjeiro; Tiago e Faria; Sougou, Cadú, Paulo César e João Paulo
Suplentes: Alemão, Bruno Sousa, NGal, Alhandra, Toñito, Marco Soares e Jessuí
Treinador: Paulo Duarte

Ao Intervalo: 0-0
Marcadores: N’Gal (84’)
Disciplina:
Cartão Amarelo: Ben Dayan (40’), Amir Taga (63’) e Laranjeiro (80’).
Cartão Vermelho: nada a registar

VISÃO LEIRIENSE
A UDL dominou a partida, foi mais pressionante, mais construtora de jogo, mais organizada e mais sofredora. Na primeira mão, tínhamos sido completamente injustiçados, mas fez-se luz e o Maccabi revelou a equipa fraquinha que realmente é. Sem ideias e recuando no campo, o nosso adversário deixou a UDL jogar o que quis e lhe apeteceu durante toda a 1.ª metade da partida, faltando apenas o golo… o tal do “calcanhar de Aquiles” que já falei noutra análise anterior. Mas esta não é de todo a única contrariedade da equipa. A 1.ª tinha sido a ausência do treinador no banco, por castigo imposto pela UEFA.

João Paulo foi, sem dúvida, um imenso pulmão falhando, por muito pouco, muitas vezes, o alvo: a baliza defendida por Stauber. Ao intervalo, a nossa terceira contrariedade: Hugo Costa sai, por lesão contraída ainda durante os primeiros 45 minutos. Estreia-se Bruno Sousa. Cinco minutos volvidos e nova contrariedade: o capitão Renato também sai lesionado… vimo-nos então numa situação chata, no mínimo. Ainda faltavam 40 minutos para o fim e nós com uma lista de aborrecimentos. Aos poucos, começava-se a pensar “E se formos a prolongamento?”… pensava-se na contrariedade seguinte que era o regresso a Portugal.

Até que aos 84 minutos, N’Gal, que havia substituído Sougou, faz o golo que dá a tranquilidade. Para passar, a equipa do Maccabi teria de marcar 2 golos em 6 minutos… e fez-se a festa na residência Duarte!!

Melhor em campo: toda a equipa. Mas destaco N’Gal. Marcou O golo, estando apenas há 24 minutos em campo. Ainda que assistido pelos colegas avançados – Paulo César cruza para João Paulo, que deixa para o golo do camaronês.

Arbitragem: O árbitro romeno fez uma arbitragem tranquila. Assinalo apenas um erro: num rápido contra-ataque da equipa portuguesa, existe falta sobre um atleta leiriense. Em vez de deixar seguir a jogada, o senhor do apito decide ver se aquilo funciona e interrompe, ignorando a “lei da vantagem”. De resto, nada a assinalar. Cartões bem mostrados nos momentos correctos.

Aspectos positivos: Estamos na Europa, estamos na Europa… lálálálá!!! Brincadeira! O nível de jogo… a equipa está a aumentar de nível. Os jogos europeus são motivadores para a melhoria nas prestações.

Aspectos negativos: Sei que é bater no ceguinho, mas o FCP podia ter sido um pouco mais sensível às dificuldades leirienses em conseguir voo de regresso. A equipa tem de ser separada em TRÊS GRUPOS, para regressar a Portugal a tempo para o jogo com os azuis-e-brancos. Os regulamentos foram cumpridos? Todos sabemos que sim. Mas não lhes custava adiar por um dia que fosse.

Crónica Cor-de-Rosa

Voltámos... deram pela nossa falta? Nem precisam responder. Sabemos que sim. Como devem saber, a dupla C&C esteve umas quantas semanas de férias; decidimo-nos juntar uns quantos dias para pesquisar, inventariar e investigar casos para a nossa Crónica. As imagens que se seguem podem ferir susceptibilidades; tenham, portanto, muito cuidado! Não digam que não avisámos...


Agora... o melhor vídeo deste Verão.


Agradecimentos ao realizador do vídeo: Francisco Reis (Flampard)

Como puderam comprovar, tivemos uns quantos dias bastante... "ocupados". Para a semana, estaremos de volta com a Crónica dentro dos moldes habituais. Não percam "Girls & Foot" no local habitual.



Pepe convocado, mas lesionado

Ironia das ironias: no dia em que Pepe foi convocado pela primeira vez para a Selecção Nacional, o luso-brasileiro apresentou queixas no final de um treino. Foi submetido a uma ressonância magnética, tendo acusado uma rotura fribilar, que vai obrigar o central do Real Madrid a uma paragem de 2/3 semanas.

Com o veredicto da equipa médica do Real Madrid, Pepe ficará ausente da convocatória para os próximos jogos da Selecção Nacional. Ou seja, ainda não é desta que o luso-brasileiro, que afirmou saber o hino nacional todo, tem a tão ansiada estreia pela equipa das quinas.
Provavelmente, muitos dos não defensores da ida de Pepe à Selecção Nacional estão a dizer: “Deus escreve certo, por linhas tortas”.



Refira-se que nos próximos dias, Scolari deverá anunciar qual o jogador que irá substituir o central do Real Madrid.

quinta-feira, agosto 30, 2007

Convocados da Selecção Nacional de Sub-21

Rui Caçador, Seleccionador Nacional de Sub-21, divulgou hoje a convocatória para os primeiros jogos da fase de qualificação para o Campeonato da Europa da categoria, que se realizará na Suécia, em 2009. Os primeiros confrontos das esperanças lusas serão na República da Irlanda, a 7 de Setembro, e com Montenegro, dia 11, em Vila Nova de Gaia.


As principais novidades são os regressos de Miguel Veloso e Manuel Fernandes. Outros destaques são as presenças de Cícero, Fábio Coentrão e Pelé, que se podem estrear com a camisola dos Sub-21.

Eis a lista completa de convocados:

Académica de Coimbra: Hélder Barbosa;
CD Nacional: João Coimbra e João Moreira;
CF ‘Os Belenenses’: Gonçalo Brandão;
FC Dínamo de Moscovo: Cícero;
AS Roma: Antunes;
Fulham FC: Ricardo Batista;
FC Internazionale: Pelé;
Leixões SC: Paulo Machado e Vieirinha;
Portimonense SC: Nuno André Coelho;
PSV Eindhoven: Manuel da Costa;
Rio Ave FC: Vítor Gomes;
SC Olhanense: Vasco Fernandes;
SL Benfica: Fábio Coentrão;
Sporting CP: Bruno Pereirinha, Miguel Veloso, Rui Patrício e Yannick;
Valencia CF: Manuel Fernandes.

Refira-se que a concentração da comitiva é no próximo domingo, pelas 23 horas, sendo que a partida para a República da Irlanda está agendada para a próxima quarta-feira, dia 5.

Notícia Atacante do Dia: Sorteio da Liga dos Campeões


Hoje, no Mónaco, decorreu o sorteio da Fase de Grupos da Liga dos Campeões. FCPorto e SLBenfica no Pote 2, SportingCP no Pote 3 e outras 29 equipas com o sonho de se sagrarem campeãs da Europa.

Ao FCPorto calharam Liverpool (Pote 1), O.Marselha (Pote 3) e Besiktas (Pote 4).
Ao SLBenfica calharam ACMilan (Pote 1), Celtic de Glasgow (Pote 3) e Shakthar Donetsk (Pote 4).
Ao Sporting calharam Manchester United (Pote 1), ASRoma (Pote 2) e Dínamo de Kiev (Pote 4).

Eis a lista de todos os grupos:

Grupo A
Liverpool (Ing)
FC PORTO (POR)
Marselha (Fra)
Besiktas (Tur)

Grupo B
Chelsea (Ing)
Valência (Esp)
Schalke 04 (Ale)
Rosenborg (Nor)

Grupo C
Real Madrid (Esp)
Werder Bremen (Ale)
Lazio (Ita)
Olympiakos (Gre)

Grupo D
AC Milan (Ita)
BENFICA (POR)
Celtic (Esc)
Shakhtar Donetsk (Ucr)

Grupo E
Barcelona (Esp)
Ol. Lyon (Fra)
Estugarda (Ale)
Rangers (Esc)

Grupo F
Manchester United (Ing)
AS Roma (Ita)
SPORTING (POR)
Dínamo Kiev (Ucr)

Grupo G
Inter (Ita)
PSV (Hol)
CSKA (Rus)
Fenerbahce (Tur)

Grupo H
Arsenal (Ing)
Sevilha (Esp)/AEK (Gre)
Steaua Bucareste (Rom)
Slavia Praga (Rep. Checa)

Quais os grupos mais fortes e os grupos mais fracos?

Quais as possibilidades das equipas portuguesas na Liga dos Campeões? Tiveram sorte ou azar?

Quem vai passar em cada um dos grupos? Quais as surpresas que poderão suceder?

Convocados para a Polónia e Sérvia

O que se temia, ou o que se ansiava, aconteceu: O luso-brasileiro Pepe é a grande novidade dos convocados de Luiz Felipe Scolari para os decisivos confrontos contra a Polónia, dia 8 de Setembro, no Estádio da Luz, e contra a Sérvia, dia 12 de Setembro, no Estádio Alvalade XXI. Pepe é o segundo jogador naturalizado a ter confiança de Scolari, logo a seguir a Deco.


Outra novidade desta convocatória é o regresso de Maniche, que é justificado “pelas suas recentes actuações ao serviço Atlético de Madrid”. Outros destaques vão para o regresso de Nani, Peti e Hugo Almeida, os dois últimos que regressam após castigo.
Houve rumores que Danny, jogador do Dínamo de Moscovo, havia sido pré-convocado, mas tal parece não se ter verificado.

A lista de convocados é a seguinte:

Quim SL Benfica
Ricardo Bétis de Sevilha


Pepe Real Madrid
Bruno Alves FC Porto
Fernando Meira Vfb Stuttgart
Jorge Andrade Juventus FC
Bosingwa FC Porto
Miguel Valencia CF
Caneira Valencia CF
Paulo Ferreira Chelsea FC


Maniche Atlético Madrid
Deco FC Barcelona
Petit SL Benfica
João Moutinho Sporting CP
Raúl Meireles FC Porto
Tiago Juventus FC
Cristiano Ronaldo Manchester United FC


Hugo Almeida SV Werder Bremen
Hélder Postiga FC Porto
Nani Manchester United FC
Nuno Gomes SL Benfica
Ricardo Quaresma FC Porto
Simão Sabrosa Atlético de Madrid

Refira-se que em relação à última convocatória saíram Miguel Veloso, por opção, e João Tomás, por lesão.

Liga dos Campeões: 3ª Pré-Eliminatória



Excluindo o jogo entre o AEK de Atenas e o Sevilha, adiado pela morte prematura e revoltante de Puerta, todas as decisões estão tomadas. Depois de três longas eliminatórias, onde clubes oriundos dos mais diversos países europeus lutaram arduamente para alcançar a Fase de Grupos da Liga dos Campeões, estão encontradas 31 das 32 equipas que compõe os potes 1, 2, 3 e 4 do sorteio de hoje, no Mónaco, pelas 17h. Dinheiro, fama, prestígio internacional, exposição de jogadores, mediatismo – esta é a essência da maior competição de clubes da Europa, aquela em que todos querem participar.

Ajax vs Slavia Praga
1ª Mão: Ajax 0 x 1 Slavia Praga
2ª Mão: Slavia Praga 2 x 1 Ajax
Agregado: Ajax 1 x 3 Slavia Praga


Talvez deva começar por falar no Slavia de Praga, a maior surpresa da 3ª Pré-Eliminatória. Os vice-campeões da República Checa defrontaram o Ajax e levaram-nos de vencida em ambos os jogos, fora e em casa. Uma grande penalidade convertida por David Kalivoda foi o suficiente para ganhar, em plena Arena de Amesterdão, 0-1. Ontem, quando todos esperavam que os holandeses se conseguissem superiorizar ao conjunto checo, Stanislav Vlček, com dois golos, sentenciou a eliminatória. O domínio do Ajax não foi materializado e a sorte, a eficácia e o guarda-redes Martin Vaniak acabaram por se tornar factores determinantes neste “mini-escândalo” do futebol europeu. Deste modo, o Slavia de Praga qualificou-se pela primeira vez na sua história para a Fase de Grupos da Liga dos Campeões, deixando de fora os tetra-campeões europeus, Ajax.

SLBenfica vs FCCopenhaga
1ª Mão: SL Benfica 2 x 1 FC Copenhaga
2ª Mão: FC Copenhaga 0 x 1 SL Benfica
Agregado: SL Benfica 3 x 1 FC Copenhaga


Outro dos destaques vai para o Benfica, obviamente. Afinal o Futebol de Ataque é um blog português e o apuramento dos encarnados não foi indiferente a nenhum adepto de futebol em Portugal. Depois na suada e tremida vitória na Luz por 2-1 – com dois golos do maestro Rui Costa – o Benfica viajou até à Dinamarca para assegurar a sua presença na Fase de Grupos, já com Camacho no leme. Objectivo cumprido. O FC Copenhaga foi bastante perigoso, contudo não conseguiu aproveitar as várias oportunidades de que dispôs para relançar a luta. A vitória acabou por voltar a surgir aos portugueses que, com um golo de Katsouranis numa jogada ensaiada, bateram os dinamarqueses por 0-1. Felizmente para Portugal, três clubes lusos na Fase de Grupos.


Toulouse vs Liverpool
1ª Mão: Toulouse 0 x 1 Liverpool
2ª Mão: Liverpool 4 x 0 Toulouse
Agregado: Toulouse 0 x 5 Liverpool

O actual vice-campeão europeu, Liverpool, passou com bastante facilidade à Fase de Grupos. O Toulouse surpreendeu ao posicionar-se no 3º posto da Ligue 1 francesa e apurou-se para a 3ª Pré-Eliminatória. Ainda assim, o poderio, a experiência e a qualidade dos ingleses acabou por prevalecer e o resultado, embora pesado, acaba por ser natural. Em Toulouse, no sul de França, apenas Voronin fez balançar as redes – 0-1 favorável ao Liverpool. Deu-se também estreia de Torres na Europa enquanto jogador dos Reds. Ontem, em Anfield Road, Dirk Kuyt bisou e Peter Crouch e Hypia também fizeram o gosto ao pé – 4-0. O 5-0 é esclarecedor e inequívoco, o Liverpool garantiu a presença no seu “habitat natural”.

Sparta Praga vs Arsenal
1ª Mão: Sparta Praga 0 x 2 Arsenal
2ª Mão: Arsenal 3 x 0 Sparta Praga
Agregado: Sparta Praga 0 x 5 Arsenal


Outra vitória fácil foi a que o Arsenal alcançou, também 5-0 no conjunto global das duas mãos. Depois de os campeões checos terem perdido em sua casa por 2-0 – golos de Cesc Fabregas e Hleb – ontem, no Emirates Stadium, o golo madrugador de Tomáš Rosický (ex-jogador do Sparta) deu uma grande tranquilidade aos Gunners que tinham a presença já assegurada. Já ao cair do pano, a vantagem foi ampliada por Cesc Fabregas e Eduardo da Silva – 3-0 foi o resultado final. Este era um resultado esperado. O Sparta de Praga é uma presença relativamente assídua na Liga Milionária mas dificilmente teria capacidade suficiente para fazer tombar o “gigante” Arsenal.

Valência vs Elfsborg
1ª Mão: Valência 3 x 0 Elfsborg
2ª Mão: Elfsborg 1 x 2 Valência
Agregado: Valência 5 x 1 Elfsborg


No Mestalla, o Valência sentenciou a eliminatória, logo na primeira-mão. A frágil equipa sueca do Elfsborg saiu do reduto valenciano com uma derrota contundente, 3-0. Os golos foram obtidos por Vicente na primeira parte; Silva e Morientes na segunda. Ontem só uma catástrofe poderia impedir os espanhóis de marcar presença na Fase de Grupos e voltaram a vencer. No campo do campeão sueco, o Valência, por intermédio de Helguera e Villa, venceu por 2-1. Alexandersson foi o autor do golo dos da casa. Depois de ultrapassar o Linfield e o Debrecen – sempre com 0-1 no agregado –, a equipa de Borås não foi suficientemente forte para eliminar o Valência. É natural.

Tampere vs Rosenborg
1ª Mão: Tampere 0 x 3 Rosenborg
2ª Mão: Rosenborg 2 x 0 Tampere
Agregado: Tampere 0 x 5 Rosenborg


Um duelo nórdico, claramente vencido pelo Rosenborg, que vinha da 2ª Pré-Eliminatória com uma vitória por 2-10 sobre os cazaques do Astana. O Tampere tinha ganho por 2-0 ao Levski Sofia, adversário mais complicado. Os campeões da Finlândia e da Noruega – Tampere e Rosenborg respectivamente – defrontaram-se na primeira-mão em Tampere e o resultado não poderia ser mais esclarecedore. A meio da primeira parte, Koppinen e Kone marcaram para o Rosenborg e a vida tornou-se ainda mais difícil para os finlandeses quando o mesmo Kone bisou no final do encontro. Nem um corte de energia foi suficiente para abalar o Rosenborg que, na segunda-mão, venceu por 2-0. Marek Sapara e Didier Konan Ya marcaram para os noruegueses, presentes regularmente na Fase de Grupos da Liga dos Campeões.

FKSarajevo vs namo Kiev
1ª Mão: FK Sarajevo 0 x 1 Dínamo Kiev
2ª Mão: Dínamo Kiev 3 x 0 FK Sarajevo
Agregado: FK Sarajevo 0 x 4 Dínamo Kiev


O FK Sarajevo, campeão da Bósnia-Herzegovina, tinha vencido o Marsaxlokk na 1ª Pré-Eliminatória por 9-1 (!) e o vice-campeão belga, o Genk, na 2ª Pré-Eliminatória por 2-2 (beneficiou do golo fora). O Dínamo de Kiev, campeão da Ucrânia, entrou directamente na 3ª Eliminatória. A matar, diga-se. Em Sarajevo, a vitória foi pela margem mínima – 0-1 –, com o golo a ser marcado por Shatskikh. Ontem, já em Kiev, a história foi outra. Ismaël Bangoura, Semjon Milošević e Serhiy Rebrov foram os marcadores do Dínamo.

Lazio vs Dínamo Bucareste
1ª Mão: Lazio 1 x 1 Dínamo Bucareste
2ª Mão: Dínamo Bucareste 1 x 3 Lazio
Agregado: Lazio 2 x 4 Dínamo Bucareste


A histórica formação da Lazio também está de volta à Liga dos Campeões depois de ter levado de vencida o forte Dínamo de Bucareste, incontestável campeão da Roménia. No Estádio Olímpico de Roma, o empate a uma bola que se registou era favorável aos romenos e algo comprometedor. Danciulescu colocou o Dínamo em vantagem, porém Mutarelli, meia hora depois, empatou o jogo. Tommaso Rocchi falhou uma grande penalidade para os romanos. O jogo ficou marcado por três expulsões – Mutarelli e Behrami (Lazio) e Goian (Dínamo). Ontem, em Bucareste, Bratu marcou primeiro para a equipa da casa e o sonho começava a tornar-se realidade. Todavia, a Lazio operou uma verdadeira reviravolta no marcador ao marcar três golos na segunda parte e fixando o resultado do agregado em 4-2. Rocchi, desta vez, não desperdiçou a grande penalidade e ainda marcou um segundo golo. Entre o bis de Rocchi, Pandev decidiu, também ele, fazer o gosto ao pé.

Fenerbahçe vs Anderlecht
1ª Mão: Fenerbahçe 1 x 0 Anderlecht
2ª Mão: Anderlecht 0 x 2 Fenerbahçe
Agregado: Fenerbahçe 3 x 0 Anderlecht


Mais um duelo de campeões, desta feita o da Bélgica contra o da Turquia. O primeiro jogo foi em Istambul, o resultado foi de 1-0 para os anfitriões. Alex, avançado brasileiro, foi o único a fazer balançar as redes num jogo que foi dominado pelos turcos na primeira metade e pelos belgas na segunda. Na segunda-mão, em Bruxelas, Kezman abriu a contagem para o Fenerbahçe e Alex voltou a marcar, garantindo, desta forma, a presença dos Canários na Fase de Grupos da Liga dos Campeões. Pela primeira vez em cinco anos, o Anderlecht não conseguiu o apuramento para esta fase da prova.


Rangers vs Estrela Vermelha
1ª Mão: Rangers 1 x 0 Estrela Vermelha
2ª Mão: Estrela Vermelha 0 x 0 Rangers
Agregado: Rangers 1 x 0 Estrela Vermelha


O Rangers não teve a tarefa facilitada para bater os campeões da Sérvia – valeu-lhes o golo marcado em sua casa por Novo, mesmo no fim do primeiro encontro. No Ibrox Stadium o jogo foi equilibrado mas acabou por ser o espanhol Nacho Novo a desequilibrar a balança e a fazê-la pender para o lado dos escoceses. Ontem, já em Belgrado, o nulo foi amigo do Rangers e acabaram por ser os vice-campeões da Escócia a seguir em frente. A equipa de Lucas, perante 50.000 espectadores, fez os possíveis para atingir a Fase de Grupos. Acabou por se verificar impossível.


Werder Bremen vs Dínamo Zagreb
1ª Mão: Werder Bremen 2 x 1 Dínamo Zagreb
2ª Mão: Dínamo Zagreb 2 x 3 Werder Bremen
Agregado: Werder Bremen 5 x 3 Dínamo Zagreb


Esta foi uma eliminatória bastante equilibrada e o vendedor final acabou por ser o esperado – o Werder Bremen. A primeira-mão foi disputada na Alemanha, em Bremen, e Balaban, no final da primeira parte, inaugurou o marcador para os forasteiros. O português Hugo Almeida, vindo do banco ao intervalo, só precisou de um minuto para iniciar a cambalhota no marcador ao apontar o 1-1. Daniel Jensen, também vindo do banco, foi o autor do segundo tento, este já no fim do jogo. Na capital croata, Diego abriu o marcador ao marcar de penaltie para os alemães, só que Ognjen Vukojević marcou para o Dínamo e voltou a pôr tudo como estava. Boubacar Sanogo marcou para o Werder Bremen e a resposta foi dada por Luka Modrić, também na conversão de uma grande penalidade. O resultado final foi fixado por pelo ex-Porto Diego que marcou no terceiro penaltie da noite. Uma vitória suada, uma eliminatória sofrida, viva e de resultado incerto. Deu espectáculo.


FC Salzburgo vs Shakthar Donetsk
1ª Mão: FC Salzburgo 1 x 0 Shakhtar Donetsk
2ª Mão: Shakhtar Donetsk 3 x 1 FC Salzburgo
Agregado: FC Salzburgo 2 x 3 Shakhtar Donetsk


Outra eliminatória equilibrada foi a que opôs o campeão austríaco, FC Salzburgo, e o vice-campeão ucraniano, Shakhtar Donetsk. Na primeira-mão, disputada na Áustria, o golo solitário de Zickler, de penaltie, deu alento ao Salzburgo para a segunda-mão. Contudo, a equipa orientada por Giovanni Trapattoni foi eliminada pelo Shakhtar quando perdeu em Donetsk por 3-1. O suíço Meyer, aos 5 minutos, marcou para o Salzburgo e gelou completamente o estádio. O Shakhtar, nessa altura, perdia por 2-0 e ainda tinha que lutar contra a vantagem dos golos fora. Lucarelli, reforço mais sonante dos ucranianos, respondeu quatro minutos depois e voltou a acender a chama da esperança. O mexicano Castillo, de penaltie, marcou já aos 79 minutos e faltava uma dezena de minutos de sofrimento para o Salzburgo se apurar para a Fase de Grupos - pensava-se - quando Brandão, a estrela brasileira do Donetsk, decidiu carimbar o passaporte dos ucranianos com um golo a três minutos dos 90. Talvez a eliminatória mais emocionante de todas.


Spartak Moscovo vs Celtic Glasgow
1ª Mão: Spartak Moscovo 1 x 1 Celtic Glasgow
2ª Mão: Celtic Glasgow 1 x 1 Spartak Moscovo
Agregado: Spartak Moscovo 1 x 1 Celtic Glasgow


O equilíbrio foi tal entre os dois conjuntos que teve que se recorrer às grandes penalidades para apurar um vencedor desta eliminatória. A primeira-mão foi disputada em Moscovo e terminou com 1-1 no placard. Paul Hartley abriu a contagem para os escoceses mas Roman Pavlyuchenko repôs a igualdade. Na segunda-mão, o Celtic jogava em casa e foi novamente o campeão da Escócia a inaugurar o marcador, por Scott McDonald, depois de uma grande penalidade desperdiçada pelo Aleksandr Pavlenko. No entanto, o mesmo jogador, 20 minutos mais tarde, fez o 1-1. A eliminatória arrastou-se até aos penalties onde o Celtic foi mais feliz e seguiu em frente. Também emotivo, este jogo.


BATE vs Steaua Bucareste
1ª Mão: BATE 2 x 2 Steaua Bucareste
2ª Mão: Steaua Bucareste 2 x 0 BATE
Agregado: BATE 2 x 4 Steaua Bucareste


O BATE começou na 1ª Pré-Eliminatória mas foi escalando a montanha até chegar à 3ª e decisiva Pré-Eliminatória. O Steaua de Bucareste, favorito, não teve a tarefa facilitada mas garantiu a presença na Fase de Grupos da Liga dos Campeões. Em Borisov, Bielorrúsia, Radkov colocou os locais em vantagem. Quando Goian e Dica, estrela da companhia, marcaram na segunda parte, todos pensavam que a vitória já não ia fugir aos romenos. Puro engano. Bliznyuk, nos descontos, ainda fez o 2-2. A eliminatória decidiu-se na Roménia, em casa do Steua. Zaharia na primeira parte e Neaga na segunda foram os autores dos golos dos vice-campeões romenos. A equipa de Bucareste garantiu, deste modo, um lugar entre os melhores da Europa.


Zurique vs Beşiktaş
1ª Mão: Zurique 1 x 1 Beşiktaş
2ª Mão: Beşiktaş 2 x 0 Zurique
Agregado: Zurique 1 x 3 Beşiktaş


Em Zurique, foi o Beşiktaş que, aos 3 minutos, chegou à liderança. Delgado marcou para os turcos. Mesmo ao cair do pano, Alphonse, no sétimo (!) minuto de compensação conseguiu restabelecer a igualdade. A segunda-mão foi vencida pelos favoritos, os turcos do Beşiktaş. César Delgado voltou a marcar só que desta vez não apenas um golo, não dois. O médio brasileiro foi o herói da eliminatória e permitiu que Istambul ficasse em festa com dois apuramentos garantidos nessa cidade por Fenerbahçe e Beşiktaş.


Uns jogos foram emotivos, equilibrados e interessantes; outros foram desequilibrados. Uns jogos decidiram-se logo na primeira-mão; outros no final da segunda-mão. Esta 3ª Pré-Eliminatória teve de tudo mas a única grande surpresa foi a derrota do Ajax contra o Slavia de Praga. De resto, tudo mais ou menos normal. Falta disputar o segundo jogo entre AEK e Sevilha.

O sorteio da Fase de Grupos da Liga dos Campeões Europeus realiza-se hoje, às cinco da tarde, no Mónaco e a Eurosport transmite o evento em directo.



quarta-feira, agosto 29, 2007

Copenhaga 0x1 Benfica: Champions, cá estamos nós



Estádio: Parken Stadium, Copenhaga
Espectadores: 39.754 espectadores
Árbitro: Eric Braamhaar, da Holanda

FC COPENHAGA - Christiansen; Kvist, Gravgaard, Hangeland, Jensen; Silberbauer, Norregaard (Ailton, 74'), Würtz (Sionko, 58'), Hutchinson; Nordstrand e Allbäck.

Treinador: Stale Solbakken.

BENFICA - Quim; Nélson (Nuno Assis, 46'), Katsouranis, Miguel Vítor, Léo; Luís Filipe, Petit, Rui Costa, Di María (Romeu Ribeiro, 74'); Nuno Gomes (Bergessio, 90'+3) e Cardozo.

Treinador: José Antonio Camacho.

Marcadores: Katsouranis, aos 17 minutos

Disciplina: Cartões amarelos a Hutchinson (27'), Cardozo (57'), Katsouranis (68') e Miguel Vítor (86').

O Benfica conseguiu esta noite o apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões, ao bater o FC Copenhaga por 1-0, golo de Katsouranis na sequência de um livre aparentemente estudado.

A vitória encarnada foi algo difícil de obter devido à forte pressão dos dinamarqueses, que desperdiçaram várias oportunidades para bater Quim.

É o segundo ano consecutivo que Portugal tem 3 representantes na fase de grupos da Champions League. O sorteio realiza-se amanhã às 17h, no Mónaco.

A OPINIÃO DO ADEPTO BENFIQUISTA, POR NSC

Finalmente a estrelinha da sorte! Depois de tempos conturbados, muitos dos quais por culpa própria, depois de lesões em catadupa a complicar-nos a vida, um jogo em que a sorte esteve do nosso lado!
Já se começam a ter algumas ideias do que Camacho trará ao nosso futebol:
- Muita garra, querer e determinação. Apesar de todas as dificuldades, os jogadores foram sobre o relvado verdadeiros guerreiros em campo, "comendo a relva".
- Gestão de plantel. Não há dúvida que com Camacho não jogarão sempre os mesmo 11. Haverá rotação de plantel, um estudo do adversário e quais os melhores jogadores para actuar.
- Trabalho específico. Alguém se recorda de um golo em livre de "laboratório" do Fernando Santos? Podem dizer que é sorte, mas a verdade é que numa semana Camacho conseguiu "criar" uma jogada estudada.te
- A aposta em jovens. O treinador espanhol não tem receio nenhum em lançar jovens da formação encarnada para o campo. Fruto das circunstâncias? Sim. Mas quantos treinadores lançariam facilmente jovens como Romeu Ribeiro ou Miguel Vitor num jogo tão importante como este?

Estou muito contente com este apuramento, como devem calcular. Em tempo claramente de crise, com um apuramento milionário em causa, os jogadores colocaram tudo em campo, com grande atitude, para atingirmos os nossos objectivos. Parabéns rapazes!

Melhor em campo para mim, é difícil decidir, mas entre Miguel Vítor, Rui Costa, Nuno Gomes e Katsouranis, a minha escolha recai no grego, que além de uma exibição segura, principalmente na 2ª parte, foi o autor do golo que selou o nosso apuramento.

Entradas Perigosas - Pepe na Selecção?

Tenho lido algumas palavras sobre a possibilidade de representar Portugal e decidi meter a minha colherada.

É certo que a muitos custa ver Pepe a usar a camisola das Quinas, mas porquê?
Porque nao é português? Está a tirar o lugar a um português? Ou só mesmo porque é brasileiro?
A verdade é que quando Deco foi convocado pela primeira vez muita gente protestou e hoje em dia ouve-se por aí "Mas porque é que ele não mete o Deco?".
Mas vejamos esta questão por um prisma diferente.
Será que todo este sururu só se vê porque é o futebol que está em causa?
Alguém faz ideia de quantos norte-americanos jogaram com a camisola portuguesa pela selecção de basquetebol?

Nem eu... mas não foram poucos e é um hábito que só recentemente se começou a perder.

E, ainda me recordo, alguns deles representavam a selecção portuguesa para adquirirem o estatuto de jogadores comunitários e poderem assim saltar para ligas europeias mais bem pagas, esquecendo logo de seguida a nossa selecção.

E mais ainda.
No voleibol, quantos e quantos brasileiros já representaram a selecção?
Alguém reclamou?

Nestes dois casos, se ninguém o fez foi porque esses jogadores traziam um acréscimo de qualidade à equipa nacional.

Resultado? Com o passar dos anos, quer o basquetebol quer o voleibol acabaram por ter equipas totalmente compostas por jogadores portugueses e uma quota parte deve-se à aprendizagem com os talentos vindos de fora...

E os casos de Francis Obikwelu ou Nelson Évora? Sabem que eles não nasceram em Portugal, ou não sabem? E o país não vibra com as suas conquistas de medalhas?Abordando ainda uma outra vertente da questão, o que dizer de Oceano, Cadete, Nelson ou Nani?
Os dois primeiros nasceram em ex-colónias quando estas ainda não carregavam o "ex", os dois últimos não.
E ninguém questiona a sua utilização?
Talvez isso tenha que ver com uma questão de (antigu)idade.
As gerações ainda vivas são compostas em grande número por pessoas que viveram numa época em que Portugal ainda incluía uma parte de África, talvez por isso não se estranhe que jogadores nascidos em Angola, Moçambique ou Cabo-Verde sejam portugueses e os que chegam do Brasil, já independente há "uns anitos mais" não o sejam.

A verdade é que a mim também me faz confusão o caso de Pepe.
Apesar de ter de aplaudir o facto de não ter mudado o discurso de preferir envergar a camisola lusa a envergar a canarinha mesmo estando no Real de Madrid, julgo que a posição que ocupa tem várias e boas soluções. Ricardo Rocha, Tonel, Nunes, Bruno Alves são centrais de qualidade mais que suficiente para acompanhar os do costume (Meira, Carvalho e Andrade ou mesmo Caneira).

Talvez incomode o facto de Pepe ter representado o Porto...tal como Deco.

Mas isso são só...Entradas Perigosas!


P.S. Eu não sou Portista.

Tribunal Atacante

Olá Pessoal! Benvidos a mais um Tribunal que esta semana fala de muitos jogos, entre os quais um clássico que fervilhou opiniões e análises divergentes.

- Benfica - Guimarães

No sábado, iniciou-se a jornada com o Benfica a receber o Guimarães. Num jogo não muito difícil de arbitrar, o trabalho do árbitro "escapou", na minha opinião, com um penalty por assinalar e alguns foras-de-jogo mal tirados. Exemplos flagrantes destes últimos é um lance nos descontos da 1ª parte, quando Alan isola Miljan, que é anulado por infracção à lei 11.
Aos 51', Danilo com o braço empurra Coentrão e este deixa-se cair. Grande penalidade que ficou por assinalar dado que, embora Coentrão tenha "mergulhado", a verdade é desequilibrado por um empurrão...

- Belenenses - Braga

No segundo jogo da jornada, mais uma batalha pelo lugar de "4º grande". Bruno Paixão dirigiu de forma satisfatória o encontro, decidindo bem o lance mais importante do jogo.
Aos 23' Devic e Linz envolvem-se na área e o lance acaba na marca dos 11 metros.
Embora seja verdade que Linz agarra ostentivamente a camisola a Devic, a verdade é que da maneira que o faz é impossível para o árbitro ver o que aconteceu, ao contrário de Devic que agarra Linz bem à vista de todos.
Por causa disso (atenção que não estou a dizer que é justo. Estou a dizer que é perfeitamente aceitável) acho que o árbitro decidiu bem.

- Académica - Leiria

Este jogo teve (pelo menos) dois lances que requeriam uma atitude firme do árbitro e em ambos, acho que Jorge Sousa esteve bem. Primeiro teve coragem para expulsar Litos logo aos 28' por conduta violenta que não podia ter outra interpretação. Depois, aos 60', decide bem a mão na bola de Hugo Costa, assinalando a respectiva grande penalidade. Mais uma vez muito bem este árbitro.

- Boavista - Marítimo

Este jogo teve como capitais dois lances ocorridos na área "madeirense", um em cada parte. No primeiro, aos 28', Fary cai na área após lance disputado com um adversário. Embora a entrada deste seja aparentemente impetuosa, eu não acho que Fary cai porque o adversário toca-lhe, mas porque sabe onde está. Acho que o árbitro decidiu bem em não assinalar grande penalidade.
Aos 80', Edgar cai na área. O árbitro interpreta com uma simulação, mostra segundo amarelo ao jogador boavisteiro e dá-lhe ordem de expulsão. Acho que o árbitro esteve mal porque, embora Edgar tenha deixado a perna para trás, acho que a entrada do jogador do Marítimo é a responsável pela queda. Edgar fez-se à falta? Sim, mas a verdade é que a consegiu...

- Porto - Sporting

Grande jogo da jornada, primeiro clássico da época, arbitrado pelo primeiro classificado da época passada. Na minha opinião o trabalho do árbitro foi prejudicado pela sua passividade disciplinar. Houveram lance duros que importam realçar e, com um árbitro menos complacente, nenhuma das equipas acabava o jogo com 11 jogadores em campo.
Deste aspecto vou destacar dois lances, ambos muito viris mas que diferenciam-se na maneira de ajuizar e na respectiva sanção disciplinar. Aos 33' e 38' Quaresma e Bosingwa têm entradas duras sobre seus adversários. No primeiro Quaresma entra de pé em riste ao seu adversário atingindo-o de forma perigosa. Neste lance, não há dúvidas que o jogador devia ter levado o cartão vermelho em vez do amarelo com que foi penalizado (ou não). No segundo lance, é também bastante aparatoso mas Bosingwa devia ter levado (pois não levou) a cartolina amarela. Os dois lances distinguem-se pela perigosidade para o adversário dado que, num o pé vai em direcção do jogador contrário e noutro não...

Quanto ao lance que ocorreu aos 52':

Citando a Lei XII:
- (o guarda redes como é óbvio) tocar a bola com as mãos vindo de um passe atirado deliberadamente com o pé por um seu colega de equipa.
Isto é o que diz o texto da lei.

A minha opinião é que o árbitro ajuizou bem e passarei a explicar porquê:
Esta lei foi criada para que não se perdesse tempo passando a bola ao guarda-redes. Isto acontecia muitas vezes e decidiu-se que o guarda redes não poderia agarrar a bola se o passe de um seu companheiro fosse efectuado com o pé. Ou seja, lances com o pé, o guarda-redes não pode agarrar. Eu digo lances e não passes como está no texto da lei, porque o texto da lei é o que vem em segundo. Em primeiro vem o espírito da lei.
Neste caso espacífico, acho que o árbitro esteve bem por dois motivos. Primeiro, o corte (assumo que foi um corte) de Polga, na minha opinião foi feito deliberadamente para a área onde estavam dois colegas para que a posse de bola ficasse deles. Este primeiro motivo faz obviamente pensar se um corte feito deliberadamente para um colega não será um passe (de notar que o que o Coroado diz que é um corte e o que e um passe, não é o que o árbitros interpretam. Ele passa a vida a dizer que o árbitros têm instrução disto e daquilo mas a verdade é que ele não sabe o que é instruído aos árbitros porque lá onde se sabe ninguém gosta dele e ninguém lhe diz nada...).
Isto leva-nos a um segundo motivo. O Polga corta a bola (mais uma vez digo que é um corte) em direcção a Tonel e acho possível que tenha sido com a intenção de cortar deliberadamente/passar a bola para este e não para Stojkovicmas aqui entra um outro factor. Tonel deixou a bola passar para Stojkovic. Tonel, deliberadamente (creio que não há dúvidas disto), por acção/omissão deixou que um lance disputado com o pé fosse para o seu guarda-redes. O acto de Tonel é de engraçada análise. Geralmente elogiamos imensamente um jogador que inteligentemente faz um passe por omissão ao deixar passar a bola por baixo das pernas mas neste caso, é irrelevante...
Se deixar passar a bola, é interferir no lance, por exemplo num fora-de-jogo, porque não seria interferir neste caso?
Em suma a minha opinião é que o árbitor esteve bem, porque a bola, que foi jogada com o pé foi encaminhada deliberadamente para o guarda-redes que a agarrou...

Fico por aqui, visto que o Tribunal já parece um post de formação do ano passado. Eheheh
Vejam muito futebol e lembrem-se que este joga-se com uma bola e nã com um apito...

Estrelas Atacantes dos Pequenos

4º Capítulo: Marcinho (Marítimo)
Idade: 26 anos
Posição: Médio-ofensivo
Naturalidade: Petrolândia (Brasil)
Altura: 1,74 m
Peso: 65 kg
Internacionalizações: nenhuma.
Estreia na 1ª Liga: Penafiel 0 - 1 Marítimo (30-01-2005)
Treinador que o lançou na 1ª Liga: Mariano Barreto
Títulos: campeão brasileirão (2004)

É o um autêntico craque nº10, que todos os treinadores desejam. Uma técnica fantástica, mas um feitio que irrita qualquer adepto adversário. Hoje em dia, no futebol, isso acaba por ser mais uma qualidade. O problema é quando o feitiço se vira contra o feiticeiro.

A 25 do 03 de 1981, em Petrolândia, no estado de Santa Catarina, nascia Márcio Ivanildo da Silva, aquele que iria ser Marcinho para o mundo do futebol. Marcinho chegou aos seniores em 2002, quando o clube por o qual fez escola, o Campo Limpo apostou na sua juventude. O jovem de cabelo esquisito, fez por um ano as delícias dos adeptos, com uma irreverência fora do normal. A sua visão de jogo, voluntarismo e muita técnica, fez com que chegasse a um grande do futebol brasileiro, logo em 2003.

O São Caetano foi o seu primeiro grande clube, mas não deu hipóteses a Marcinho de demonstrar o seu futebol. Internacional sub-20 e não só, pelo Brasil, o médio passou maus momentos no clube de São Paulo, fazendo-se prever mais um jogador que daria pouco ao futebol brasileiro.

Foi emprestado a meio da temporada, ao CRB de Alagoas. Na Série B do brasileirão, calou a voz do treinador paulista, e espalhou o seu futebol pelos campos brasileiros, com aberturas fantásticas, dribles e fintas de deixar qualquer um no chão. Ajudou a manter o CRB na séria B.

O prémio foi a ida para o Santos, o maior clube do Brasil na altura. Na primeira metade de 2004, foi suplente de Diego e pouco mostrou no campeonato estadual. Previa-se outra má temporada para o médio, mas o jovem talento saiu para o Porto, no Verão de 2004. O técnico do Santos, viu e Marcinho substituto ideal.
O jovem médio não perdeu a oportunidade, e foi juntamente com Elano e Robinho, uma das peças fundamentais do título do brasileirão. Mas o estrelato de Robinho, tapou-lhe os caminhos da fama e a ida para outro grande clube europeu.

No Inverno da temporada 2004/2005 chegou ao Marítimo, dizendo que o seu sonho era, no ano seguinte, jogar no Real Madrid. O algo desconhecido médio deixou os adeptos madeirenses com água na boca. No resto da temporada mostrou-se a bom nível, apesar do objectivo falhados pelos madeirenses: a UEFA.
Nas duas temporadas a seguir, Marcinho tornou-se o patrão do meio-campo maritimista, o homem que abri defesas com passes fantásticos, uma velocidade e polivalência que deixavam os adeptos adversário de boca aberta, mas era o único na sua equipa.
Foram duas épocas para esquecer dos madeirenses. Ficaram em 10º e 11º lugar, respectivamente. Os vários problemas de balneário foram uma das principais razões os falhanços da equipa, e a comunidade brasileira foi bastante criticada. Marcinho passava, na maioria das vezes, ao lado de tudo isto. Poucas foram as vezes, em que o médio jogava por jogar.

Marcinho é jogador para um clube maior, e já está há duas épocas a tentar dar o salto, mas nem boatos existe em relação à sua transferência. Este ano, o Marítimo aposta forte com um orçamento de 8 milhões, e Marcinho é senhor do meio-campo, a magia e o coração da equipa madeirense. Ao lado de Kanu, Felício, Makukula ou Bruno, poderá ser este o ano do regresso aos grandes palcos europeus do Marítimo. E do salto do internacional jovem brasileiro.

terça-feira, agosto 28, 2007

Notícia Atacante do Dia: Morreu António Puerta

O jogador do Sevilha, António Puerta, de 22 anos, não resistiu às paragens cardíacas que sofreu no jogo do passado sábado e faleceu hoje na cidade andaluza.

Um drama que já correu o nosso país há poucos anos aquando da morte de Miklos Fehér em campo, chega agora ao país vizinho. A consternação será certamente enorme pela morte de António Puerta, defesa esquerdo do Sevilha, um dos jogadores mais cobiçados neste início de época em Espanha, nomeadamente pelo Real Madrid. Era um dos atletas mais promissores da sua geração e deixou hoje de pertencer ao futebol.

Produto da cantera sevilhana, Puerta venceu serviço do Sevilha uma taça do Rei, uma Supertaça de Espanha (conquistada recentemente), duas Taças UEFA e uma Supertaça europeia. Para um jovem de 22 anos, ao serviço de um clube de aparentemente 2ª linha em Espanha, sem dúvida um belo palmarés.

O Futebol de Ataque pretende desta forma homenagear o atleta António Puerta e solidarizar-se com a família do atleta, o clube andaluz e todos os seus adeptos, que certamente nunca mais esquecerão este drama que agora vivem.
RIP António Puerta.

Vitória recebe Nacional

Estádio: Estádio do Bonfim, em Setúbal
Assistência: 3500 espectadores
Árbitro: Paulo Baptista (A.F. Portalegre) e os auxiliares Vítor Silva & José Braga

Vitória de Setúbal:
Eduardo; Janício, Robson, Auri, Adalto; Sandro(Bruno Ribeiro 56’), Elias, Ricardo Chaves(Filipe 68’); Paulinho(Leandro 61’), Edinho, Matheus
Suplentes não utilizados: Milojevic, Macaé, Jorginho, Kim Byung.
Disciplina: Nada a assinalar.

Nacional da Madeira:
Benaglio; Patacas, Ávalos, Ricardo Fernandes, Alonso; Juliano, Cléber, João Coimbra(Bruno Amaro 70’), Fellype Gabriel; Lipatin(João Moreira 76’), Edu Sales(Ricardo Pateiro 61’).
Suplentes não utilizados: Bracalli, Cardozo, Pedro Pita, Zé Vítor.
Disciplina: Cartão Amarelo a Lipatin (49’), Ricardo Fernandes (62’) e Cléber Oliveira (65’).

Mais um empate:

O relógio já apontava para às 19:50h quando o Nacional deu iniciou ao jogo. O Vitória de Setúbal tenta assumir as despesas do jogo, enquanto o Nacional aguarda expectante no meio-campo defensivo. Mas contra a corrente do jogo aos 8 minutos Lipatin cabeçeia para o fundo da baliza respondendo ao cruzamento de Juliano. Contra-ataque mortífero na primeira vez que o Nacional saiu para o ataque com perigo.

Aos 11 minutos assistiu-se a um Dejá Vu: o Sr. Paulo Baptista assinala atraso de Ricardo Fernandes a Diego Benaglio, apesar do passe ter sido feito com o joelho. Talvez tenha visto o jogo Porto-Sporting. Mas neste caso não teve as consequencias piores.
Aos 14 minutos é a vez de Fellype Gabriel desperdiçar uma grande oportunidade em zona frontal. Mas Eduardo, em dois tempos, defende muito bem. O V. Setúbal joga com maior frequência no meio-campo ofensivo, enquanto o Nacional procura saídas rápidas para o ataque, à semelhança do lance do golo.


Finalmente aos 20 minutos de jogo, Paulinho faz o empate após cruzamento da esquerda. Mas antes da bola chegar a Paulinho, Edinho toca no esférico e parece pôr assim o avançado em posição irregular. Fica a duvida. Mas os sadinos responderam, e bem. Triangulações muito bem fabricadas sempre com um homem a finalizar: Matheus. 15 minutos intensos onde poderia ter havido o golo da reviravolta, até porque Adalto após fintar dois adversários obriga Benaglio a uma defesa enorme. Quem não marca sofre. Mas quem tem Eduardo também não sofre. Mais uma vez, e antes do intervalo Juliano Spadacio surge a rematar ao segundo poste, Eduardo mostra ser detentor de excelentes reflexos enviando a bola para canto. Intervalo no Bonfim e o empate aceita-se.


Ainda nem todos os adeptos estavam nos seus lugares, e o Vtória reentra a todo o gás podendo marcar logo ao primeiro minuto da segunda parte, depois de Matheus ter feito uma excelente jogada à esquerda e cruzado milimetricamente para a cabeça de Paulinho, que deixou Benaglio perplexo a ver a bola esbarrar na barra. Várias oportunidades para os sadinos que começam a empurrar o Nacional para trás. Carvalhal tenta arriscar mais aproveitando este bom momento tirando Sandro para pôr Bruno Ribeiro, trazendo assim ainda mais velocidade ao jogo. Os alvi-negros começam a descontrolar-se e começam a distribuir fruta. Depois de várias substituições de ambos os lados e cartões amarelos para a equipa visitante o jogo começa a afrouxar de ritmo e a ficar feio a partir dos 60 minutos. O nacional quando conseguia ter oportunidades, rematava por cima. Já do lado “verde” os remates sairam com pouca força. Notava-se o desgaste da equipa que mais se esforçou para ganhar. E lentamente o jogo chegou ao fim depois de 4 minutos de compensação.


Melhor em Campo:

Esteve em praticamente todas as ocasiões do Vitória: Matheus. Parece ser o Homem que irá pôr a funcionar o ataque sadino esta época. Apesar do Paulinho também se ter destacado, não só com o golo, mas também pela entrega. Só de o ver correr ficava cansado.

Árbitro:

Houve vários lances que o podem deixar algo insatisfeito. O atraso de Ricardo Fernades que foi feito de forma legal, mas ele apitou falta. E no lance do golo do Vitória parece ter havido fora-de-jogo. No geral, nota 3 numa escala de 0-5.

Destaques:

A forma como o Vitória encarou o jogo foi espectacular. Quase de forma apaixonante e com fome de golos!

No fim Jokanovic mostrou-se satisfeito com o empate alcançado no Bonfim, dizendo até que haverá muitas dificuldades para as equipas que jogarem neste campo. Já eu concordo mais com as palavras de Carlos Carvalhal: “O jogo foi equilibrado na primeira parte, mas no segundo tempo dominamos e estivemos mais próximos do golo. Podíamos ter ganho.”

Palpites Atacantes - Bwin

Foram necessárias apenas 2 jornadas para entregarmos o primeiro prémio monetário da época, o concorrente Dragão vai receber aproximadamente 100€ juntamente com os 2 bilhetes oferta da Bwin.com para a 4.ª jornada da Liga, tudo isto fruto da aposta certeira nas vitórias do Porto, Estrela da Amadora, Marítimo e nos empates do Benfica e Académica diante do Guimarães e Leiria respectivamente. Parabéns Dragão!!

Voltamos a relembrar que esta 2.ª jornada ainda não entra nas contas para a classificação acumulada, apenas a partir da 4.ª jornada começará de forma oficial mais uma época dos Palpites Atacantes!

A seguir confirme a classificação desta 2.ª jornada:


As Odd’s para a próxima semana serão as seguintes:


Já sabem, não se esqueçam de enviar as vossas apostas no máximo até às 23:59 da próxima quinta feira, dia 30 de Agosto.

Para aqueles que ainda não se inscreveram, não percam a oportunidade de ganhar todas as semanas 2 bilhetes grátis para um jogo à vossa escolha da Liga Bwin e ainda o prémio monetário da vossa aposta caso acertem nos 5 palpites propostos (esta semana o Dragão ganhou 100 Euros...), isto sem contar com os fantásticos prémios que temos para oferecer aos vencedores da classificação final...
Para se inscreverem contactem-nos através do email correio.de.ataque@gmail.com

Boa Sorte e Boas Apostas!!

Formação Atacante

Ranking da Formação

Com o início da época vamos iniciar no Futebol de Ataque o ranking da formação, um ranking com base nas classificações dos nacionais de Iniciados, Juvenis e Juniores, e nas convocatórias das selecções nacionais de Sub 15, Sub 16, Sub 17, Sub 18 e Sub 19.

As regras são as seguintes:

- Cada ponto conquistado nos seguintes nacionais vale:


*nota: por existirem séries com diferente número de clubes, no final da época serão eliminados os jogos frente aos últimos classificados das séries que tenham mais clubes.

- Um jogador convocado para um estágio, jogo, ou torneio não oficial representa mais 0.5 pontos para o respectivo clube, mas é apenas considerada a melhor convocatória não oficial durante a época de cada um dos clubes, para cada um dos diferentes escalões.

- Um jogador convocado para um jogo ou torneio oficial (apuramento e fase final do Europeu) representa mais 1 ponto para o respectivo clube. Nesta situação consideramos todas as convocatórias e não apenas as melhores.

*nota: são apenas consideradas as convocatórias para selecções de Portugal, e no caso de existirem jogadores convocados do Padroense ou Pasteleira são considerados jogadores do Porto ou Boavista respectivamente. Nos outros casos de jogadores emprestados é sempre considerado o clube que o jogador representa esta época.
São também ignoradas todas as alterações que venham a surgir à primeira convocatória, seja por motivos de lesão ou indisponibilidade dos jogadores.

- Uma vez que os clubes dos arquipélagos da Madeira e Açores não participam na fase regular dos nacionais de Iniciados e Juvenis, estes clubes não são considerados neste ranking.

Após a primeira jornada dos nacionais de juniores e juvenis e a primeira convocatória para um estágio de obsevação da selecção nacional de Sub 19, o ranking desta primeira semana está assim ordenado:

Destaque para a liderança do Benfica após as 2 vitórias frente ao Odivelas em juniores e juvenis e a presença de 5 jovens encarnados no primeiro estágio da selecção Sub 19. Logo atrás segue a surpreendente Académica que se estreou com 2 vitórias este fim-de-semana e colocou Cristiano Araujo na selecção Sub 19. O Porto com o adiamento do jogo da primeira jornada de juvenis foi relegado para a 3.ª posição, e o Sporting que empatou em Massamá na 1.ª jornada do nacional de Juniores está num modesto 9.º lugar apesar da prometedora estreia da equipa de juvenis, 10-2 ao SL Marinha...
Outros destaques vão para a presença de clubes como o Barreirense, Estoril, Leixões ou Naval no top ten do Ranking da Formação!

Jogador da Semana

André Carvalhas

Numa altura em que muito se fala na formação do Benfica, hoje vou falar naquele que é seguramente o jogador mais espectacular desta geração Sub 19 dos encarnados, falo do pequeno genial André Carvalhas, um avançado móvel que pode desempenhar funções numa das alas ou mesmo a de organizador do jogo ofensivo da equipa.
Carvalhas evidência uma técnica individual notável, desde o primeiro toque na bola até ao último espalha perfume com a bola nos pés! Exímio na recepção de bola, com uma simples recepção de bola deixa invariavelmente o seu marcador directo para trás, senhor de uma finta curta a fazer lembrar um jogador de futsal, baixinho mas não frágil, inteligente com a bola nos pés, protagonizou algumas das assistências para golo mais espectaculares da época passada, por exemplo a assistência para o golo de Sami diante do Porto no Seixal.
Apesar de toda a sua qualidade técnica, Carvalhas apresenta um problema, a sua estatura demasiado baixa (1.66m de altura) será certamente grande condicionante na sua adaptação ao futebol de alto nível, no entanto convém não esquecer o êxito que têm pequenos grandes jogadores no futebol nacional e mundial como João Moutinho, Miccoli, Romário, Leo, etc etc...
Que Carvalhas consiga demonstrar nos grandes palcos do futebol aquilo que já mostrou a todos aqueles que seguem o futebol de formação em Portugal...

Nome: André Filipe da Silva Carvalhas
Idade: 18 anos (07/03/1989)
Nacionalidade: Portuguesa
Peso: 63 Kg
Altura: 1.66 cm

União da Madeira 7 - 0 F.C.Lixa


Estádio: Estádio dos Barreiros (Funchal)
Assistência: Aproximadamente 500 pessoas
Árbitro: F. Peixoto (Braga)

Uma soberba goleada como não se via há algum tempo nos Barreiros que deixou as hostes Unionistas em delírio.

Uno da Madeira
Nuno carrapato, Alexandre, António, Filipe, Micas, Ruben Andrade, Ruben Micael, Vítor, (Cláudio, 45), Miguel Fidalgo, Edgar Costa, (Dário, 75), Delfim, (Steve, 58).

Lixa
Cláudio, Nuno, Mesquita, Bé, Barbosa, (Cristiano, 65), Vasco, Paulo Diogo, Mauro, (Cenoura, 54), Fábio, Jaime, Dany, (Luciano, 54).

Golos: Delfim (6), Miguel Fidalgo (11, 48, 76 e 86), Cláudio (40 e 79).

Cartão amarelo: Bé (39), Claudio (46), Ruben Micael (56), e Barbosa (61).

No primeiro jogo da época havia grande ansiedade entre o publico que se deslocou aos barreiros.
O União entrou muito bem no jogo e nos primeiros 5 minutos a equipa unionista criou 3 oportunidade flagrantes de golo.
Assim foi naturalidade que aos 6 minutos um cruzamento da direita encontrou Delfim ao segundo poste a desviar para o primeiro golo do União.
A equipa da casa continuava a atacar a área a adversária criando muito perigo para a baliza de Cláudio.
Decorriam 11 minutos quando Edgar isolou Miguel Fidalgo que correu para a Baliza e à saída do guarda-redes fez o 2-0 dando ainda mais justiça ao marcador.
Após o segundo golo o União “adormeceu” o jogo e controlou o jogo a seu belo prazer mas continuando a criar alguns lances de golo.
Por parte do Lixa o primeiro e único remate à baliza foi aos 22 minutos e mesmo assim a bola saiu muito ao lado.
Chegou o intervalo e a justiça no marcador imperava pois o domínio de jogo foi totalmente do União que jogou e criou jogadas muito boas.

Para a segunda parte o treinador unionista fez uma alteração na equipa tirando o médio Vitinha e colocando o avançado Cláudio.
Logo aos 48 minutos Miguel Fidalgo isolou-se na área e ao passar pelo gaurda redes foi derrubado e na conversão do respectivo penalti o mesmo Miguel Fidalgo fez o 3-0.
Aos 51 minutos Edgar Costa fintou o defesa adversário que o agarrou pela camisola até que ele acabou por cair na área e foi marcada a respectiva grande penalidade, que foi concretizada por Cláudio.
O caudal ofensivo do União continuava alto e a defesa do Lixa não conseguia dar conta do recado mesmo com as 3 substituições efectuadas pelo treinador da equipa visitante.
No minuto 76 uma bola lançada para a área encontrou o avançado Cláudio que saltou com os defesas sobrando a bola para o avançado Miguel Fidalgo que fuzilou a baliza do lixa.
Aos 79 minutos, o recém entrado defesa unionista Dário (ex júnior do União) serviu o médio Delfim que cruzou para a área onde ao segundo poste apareceu Cláudio a desviar para mais um golo do União.
Para finalizar a goleada Miguel Fidalgo fez aos 86 minutos o 7-0 o quarto golo na sua conta pessoal.
O Lixa deu um ar da sua graça nos minutos finais do encontro já nos 4 minutos de desconto onde o guarda-redes unionista Nuno Carrapato teve duas boas intervenções.
E assim finalizou o primeiro jogo do campeonato que trouxe uma fantástica goleada que abre boas perspectivas para o duro campeonato.

Arbitragem:
Uma arbitragem positiva sem “casos”.

Pontos positivos:
Excelente exibição da equipa do União.

Pontos Negativos:
A “eterna” falta de público.

Melhor em Campo:
Miguel Fidalgo

Xadrez confuso 0-2 Leões do Atlântico


Local: Estádio do Bessa, no Porto
Assistência: cerca de 2 mil pessoas
Árbitro: João Ferreira (Setúbal)

Boavista
Carlos; Gilberto, Ricardo Silva, Hugo Pinheiro e Mário Silva (Edgar, 23m); Olufemi; Bosancic (Bangoura, 45m), Fleurival e Grzelak; Laionel e Fary (Ivan Santos, 67m).

Marítimo
Marcos; Ricardo Esteves, Ediglê, Antoine e Evaldo; Olberdam; Marcinho, Bruno e Fábio Felício (Luís Olim, 87m); Kanu (Márcio Mossoró, 71m) e Makukula

Disciplina - Cartões amarelos para Fábio Felício aos, Ricardo Esteves aos 39 e Kanu aos 56 do Marítimo; e para Edgar aos 42 e aos 81, e Bruno Pinheiro 52 do Boavista. O boavisteiro Edgar foi expulso aos 81m por acumulação de «amarelos»

Ao intervalo: 0-2

Golos – 0-1 Kanu aos 2, 0-2 Kanu aos 20

Opinião do adepto Axadrezado, por The Revolution

E mais uma derrota, frente a um adversário bastante mais forte, com mais poder fisico e com mais garra, que em 20 minutos resolveu o encontro. Depois foi só gerir, e dá a sensação que se o Boavista marcasse dois o Maritimo marcava cinco.

Nós ainda somos uma equipa fraca, como disse a pior equipa portuguesa neste momento: Bangoura, Tambussi, Mateus, Moisés, Olufemi não fizeram pré-epoca, tal como Bosancic que esteve na selecção, Edgar está gordo, e outros jogadores falta-lhes qualidade.

O treinador voltou a demonstrar que anda perdido, e errou nas substituições quando tirou o único médio que poderia organizar o ataque, decidindo por mais um avançado. Só deu Laionel no ataque, e destaque para Gilberto e Fleurival que fizeram um bom jogo. Só temos de esperar mais 2 ou 3 meses, até lá para nós ainda é pré-época, e rezar pelos empates, e para que em Dezembro Loureiro e seu amante querido Pacheco, deixem o Boavista de vez.

Melhor em campo:

Laionel - foi o melhor homem da equipa do Bessa, sempre a tentar algo mais, sempre solto a encher o ataque de velocidade saindo dos pés delea maior oportunidade do Boavista que Marcos Defendeu... um contra a onze.

Árbitro:

Má arbitragem deste senhor, mas é apenas mais um. Ora bem, na primeira parte existe uma grande penalidade nítida sobre Fary. Eu posso assegurar, pois estava mesmo atrás do lance na bancada Sul cá em baixo. Foi mais que óbvio que o Fary foi varrido.
Sobre o Edgar, fico com mais dúvidas pois estava do lado oposto do campo. Na televisão vê-se que ele deixa a perna para trás. Os jornais dizem que é penalty, eu fico na dúvida.
Mas eu até posso ser de desconfiar, por ser boavisteiro, mas graças ao Apito Dourado o Boavista tem sido sistematicamente prejudicado. Eu lanço um desafio aos caros leitores: procurem o último jogo em que foi assinalada uma grande penalidade a nosso favor. E lembro o jogo com o Paços época passada, em que o Linz fica com a camisola rasgada.

Pontos Positivos:

Futebol do Marítimo, muito bom mesmo, gostei muito de os ver jogar, Felicio, Makukula e Kanu.

Finalmente há protestos contra esse pseudo-treinador Jaime Pacheco, que faz o que quer graças às nossas finanças, que outro homem causou.

Adeptos do Maritimo - são poucos, mas muito bons: boa musica a acompanhar o jogo e

Pontos Negativos:

Não percebi o anti-jogo do Marítimo. Uma equipa que joga bem, nao devia fazer aquilo e felizmente só o fez na primeira parte. Vergonhoso, falo principalmente de Evaldo e do brinca na areia Marcinho, este já é profissional.

Pouco público, o que é normal, eram bastantes as pessoas que já sabiam que o Marítimo ia ganhar.

Mário Silva - maior culpado da derrota, sem dúvidas.


OPINIÃO DO ADEPTO VERDE-RUBRO, POR MIGUEL PEREIRA

Dois jogos, outras tantas vitórias, e o Marítimo já é líder da Liga Bwin. Mais uma vez, os comandados de Sebastião Lazaroni voltaram a vencer e a convencer, o que só deixa os exigentes adeptos verde-rubros felizes.

Marcar cedo, controlar, gerir, de modo a vencer o jogo. Foi esta a tónica dos verde-rubra, no jogo que se disputou no Bessa. Perante um adversário que já teve melhores dias, o Marítimo demonstrou segurança e coesão, a meu ver.
Um autêntico banho de bola, alegria dentro de campo, um tipo de futebol que o adepto gosta de ver. Este Marítimo de Lazaroni parece estar bem e recomendar-se. Disputa os jogos com inteligência e com serenidade, fruto da qualidade dos seus jogadores e da experiência do treinador.

Em minha opinião, a arbitragem não esteve ao nível do bom jogo. Pareceu ficar por assinalar duas grandes penalidades a favor do Boavista. Para compensar, ou não, foi mal assinalado um fora de jogo a Makukula – quando este ia isolado para a baliza –, e houve algum exagero quando considerou que Marcos demorou a repor a bola em jogo.

Muitos sugeriram Kanu como melhor em campo, pelos dois golos marcados. Contudo, sou da opinião que a exibição de Fábio Felício foi mais vistosa, por todo o seu esforço pelo flanco esquerdo. Rápido, trabalhador, o extremo português tem demonstrado muita sede de bola, o que é uma mais valia para a sua equipa. Demonstra um excelente entendimento com Evaldo, compensando por várias vezes as subidas deste.

Marítimo volta a vencer e a convencer ante um Boavista apático e irreconhecível. Lidera o campeonato em igualdade pontual com o FC Porto. Uma posição que muito improvavelmente o Marítimo consolidará até final do campeonato, no entanto estes primeiros pontos serão sempre úteis numa obtenção de um lugar europeu. Falta ainda muito campeonato, porém …

Mundial de Sub-17: Fim da primeira fase



Já acabou a primeira fase do Mundial de Sub-17.


No Grupo A, os anfitriões, a Coreia do Sul, ainda venceram o Togo por 2-1. Contudo, o resultado acabou por não evitar a eliminação dos sul-coreanos. No outro jogo do grupo, o Peru acabou por vencer à Costa Rica por 1-0, garantindo assim o primeiro lugar do grupo.



Deste grupo qualificaram-se para os oitavos-de-final o Peru e a Costa Rica.



No Grupo B, foi preciso esperar pelo minuto 81 para que Rim Chol Min coloca-se a Coreia do Norte, que venceu a Nova Zelândia por 1-0, entre as 16 melhores equipas do torneio. No outro jogo do grupo, a Inglaterra venceu o Brasil, alcançando assim a vitória no grupo B, num jogo em que curiosamente os dois golos ingleses foram marcados nos descontos de ambas as partes: o primeiro aos 49 minutos da primeira parte, por Lansbury, e aos 92 por Spence.



Deste grupo qualificaram-se para os oitavos-de-final a Inglaterra, o Brasil e a Coreia do Norte.



No Grupo C, a Síria venceu as Honduras, por 2-0 e conseguiu amealhar os pontos suficientes para ser um dos melhores terceiros. Por outro lado, no jogo que decidia quem vencia o grupo, os argentinos ainda estiveram a vencer até aos 68 minutos, altura em que nuestros hermanos empataram por Aquino, garantindo assim a vitória no Grupo C.



Deste grupo qualificaram-se para os oitavos-de-final Espanha, Argentina e Síria.



No Grupo D, a Nigéria fez o pleno – três jogos, três vitórias –, com Chrisantus outra vez em destaque, ao bisar na vitória dos Super Águias contra o Haiti. No outro jogo do grupo, os minutos 68 e 70 foram fatais para os jovens japoneses que, após estarem a vencer e com um lugar garantido nos oitavos-de-final, sofreram dois golos que colocaram a França no segundo posto do grupo – e consequentemente na fase seguinte -, mandando os japoneses de volta para o seu país, pois acabaram por nem conseguir um dos quatro melhores terceiros.



Deste grupo qualificaram-se para os oitavos-de-final a Nigéria e a França.



No Grupo E, os Estados Unidos venceram a Bélgica, por 2-0, e conseguiu quase miraculosamente a vice-liderança no grupo, alcançando um lugar entre os dezasseis mais. Os belgas acabaram por arrumar as malas e ir para casa.
Para o sucesso americano muito contribuiu o triunfo tunisino, por 1-0, – a Tunísia, refira-se, que também fez o pleno de vitórias nesta fase –, ante o Tajiquistão, que, porém, consegui o quarto melhor terceiro e, consequentemente, a passagem aos oitavos-de-final.



Deste grupo qualificaram-se para os oitavos-de-final Tunísia, Estados Unidos e Tajiquistão.



Por fim, no Grupo F, o Gana garantiu a qualificação, após vencer a Colômbia, por 2-1. Os colombianos conseguiram, no entanto, ser um dos melhores terceiros. No outro jogo deste derradeiro grupo, a Alemanha garantiu a vitória neste todo de selecções, após esmagar Trinidad e Tobago – a equipa com a pior defesa da fase de grupos, com 14 golos sofridos, com mais um tento que a Nova Zelândia –, por 5-0.


Deste grupo qualificaram-se para os oitavos-de-final Alemanha, Gana e Colômbia.

Os jogos dos oitavos-de-final são os seguintes: