terça-feira, janeiro 31, 2006

CAN 2006 - Grupo D - 3ª Jornada


Com tudo por decidir, uma destas potências do futebol Africano poderia ser eliminada. Se à Nigéria o empate era suficiente, para o Senegal a própria vitória poderia não chegar. O Senegal foi a melhor equipa na primeira parte, sem no entanto ser capaz de marcar. Na segunda parte a Nigéria equilibrou o jogo, as foi o Senegal a marcar. Os Senegaleses podiam ter acabado com o jogo, mas Vicent Eneyama com uma grande defesa evitou o 2-0. No lance imediatamente a seguir Martins fez o empate. A Nigéria mandava agora no jogo e Kanu esteve perto do 2-1. Seria contudo Martins a voltar a marcar e a fechar o marcador. Ambas as equipas seguiram em frente.
Golos: S. Camara(58'); Martins(79' e 88')


Após a vitória sobre o Senegal o Gana tinha tudo para seguir em frente, mas deixou-se surpreender pela frágil selecção do Zimbabué. A equipa do Zimbabué foi sempre melhor e chegou a uma vantagem de 2-0. O 3-0 chegou mesmo a acontecer mas foi bem anulado pela equipa de arbitragem. Já nos descontos o Gana ainda reduziu, mas o golo do empate e que garantiria o apuramento não apareceu.
Golos:Pappoe(60' auto-golo), Mwarwari(69'); Adamu(90+1)

Apurados: Nigéria e Senegal
Eliminados: Gana e Zimbabué

Quartos de Final:
Egipto - Congo
Guiné - Senegal
Camarões - Costa do Marfim
Nigéria - Tunísia

Crónicas do Mar

Luta pela promoção na Liga de Honra

Talvez por ingenuidade tenho dificuldade em acreditar em determinadas suspeições que por vezes assolam o nosso futebol. É certo que não há fumo sem fogo e o caso “Apito Dourado” será muito mais que fumo. Acontece que nas últimas jornadas da Liga de Honra andam a acontecer coisas estranhas que apontam na direcção de haver um clube que estará (não tenho provas, quem as tiver que as apresente) a ser “ajudado” no sentido de alcançar a promoção à Liga “Betadine”. Estou a falar do Olhanense que em três jogos consecutivos teve, a seu favor, 4!!! grandes penalidades, algumas delas muito discutíveis como se pode constatar pelas imagens televisivas. Nestes jogos houveram muitas queixas dos opositores em relação às arbitragens o que, a juntar ao que já foi referido, deixa um clima de suspeição no ar.
É claro que eu entendo que ter Estádios como o de Aveiro e o do Algarve na Liga de Honra é extremamente embaraçoso para os estados maiores da política e do futebol. O que eu sempre pensei é que o “Apito Dourado”, mesmo não fazendo rolar cabeças, trouxesse algum constrangimento aos dirigentes que estão há tempo de mais no futebol e que bem podiam aproveitar o ensejo para se retirarem e assim dar a vaga a novas gerações, novas ideias e acima de tudo a um novo conceito de competição profissional de futebol.


Recepção calorosa a Adriaanse no Olival

Muito se tem falado nos últimos dias acerca dos acontecimentos de Domingo à noite no Olival após o empate do FC Porto em Vila do Conde. É condenável, é vergonhoso e acima de tudo não é digno de gente (será que se pode chamar isso) que vive numa sociedade livre (não libertina).
Se o mesmo tivesse acontecido com o treinador do Penafiel era igualmente condenável, agora acontecer com o treinador do líder destacado com 4 pontos de avanço sobre o 2º classificado e que acabara de empatar num terreno em que o próprio Mourinho, campeão europeu, perdeu, é de bradar aos céus.

Futebolista Fevereiro

Já está nas bancas mais um nº da Revista Futebolista, e o Futebol de Ataque mais uma vez teve o prazer de colaborar, tendo no presente número 4 (!) páginas de opinião com os seus atacantes, opiniões essas que passamos a citar:

Questão: Após o sorteio de Leipzig, como ficaram as possibilidades de Portugal no Mundial?

Portugal enfrenta aparentemente um grupo acessível, em que não deverá ter grandes problemas em apurar-se, estando apenas em aberto se em 1º ou 2º lugar, embora a nossa selecção tenha mais do que qualidade para assumir a candidatura à vitória no grupo. Angola é um estreante em Mundiais, e apesar do natural contentamento das hostes lusitanas no apuramento da selecção africana, não deverá conseguir mais do que uma participação meritória.
Quanto ao Irão, apesar da possibilidade de surpreender, uma selecção vice-campeã da Europa apenas terá de respeitar o adversário e jogar o que sabe para vencer o jogo.
Finalmente, o osso mais duro de roer da fase de grupos, o México, apesar da raça e querer dos seus jogadores não é na minha opinião adversário ao nosso nível, e sendo o último jogo provavelmente para decidir qual o vencedor do grupo, apenas dependerá das segundas escolhas de Scolari a vitória ou não neste jogo.
Na minha opinião Portugal facilmente passará o grupo e é um forte candidato a ir pelo menos às meias finais. Vamos sonhar!...
[NSC]

Na teoria, Portugal está inserido no grupo mais acessível do Mundial. Joga com Angola, uma equipa acessível, mas surpreendente, com o Irão, equipa tradicionalmente forte do continente asiático, e com o México, e desengane-se quem pense que este cabeça-de-série é fácil pois é uma equipa muito equilibrada. Depois de uma longa época, a condição física pode ser, mais uma vez, o maior adversário.
[João Costa]

Foi um bom sorteio para Portugal, que colocou no nosso grupo três selecções bastantes acessíveis. O México, “cabeça de serie” do grupo , é bastante acessível, quando comparado as outras selecções consideradas “cabeças de série” para este mundial.
É uma selecção bem organizada a nível defensivo, que tem como Rafael Marquez como líder , e com jogadores muito velozes do meio campo para a frente, mas que não está ao nível de Portugal.
O Irão, é a grande incógnita do grupo,da qual só conheço a grande estrela Iraniana, Ali Daie e Ali Karimi, mas se o resto da selecção for constituída por jogadores , com o valor destes dois jogadores , poderá ser uma boa surpresa.
Quanto a Angola ,a inexperiência de jogar num Mundial poderá limitar as suas possibilidades de ser apurada para a fase seguinte.
Resumindo, acho que Portugal poderá ambicionar chegar pelo menos a uma das meias finais deste Mundial de 2006 .
[Beiramarista]

Portugal conseguiu uma classificação tranquila para a fase final do campeonato do mundo de futebol.Agora que as coisas são mais sérias a história complica-se um bocadinho. Eu sou da opinião que Portugal conseguirá passar a fase de grupos. O confronto com Angola será um DERBY,isto porque tem jogadores que conhecem bem o futebol Português e vice versa alem de uma pequenita rivalidade colonial, mas atribuo o favoritismo à selecção das Quinas. Quanto ao Irão, desconheço por completo a equipa e o tipo de futebol, acredito numa vitória folgada dos Portugueses. O Mexico será o confronto decisivo, isto porque os latino Americanos têm um bom futebol muito ao estilo sul Americano e querem provar que são uma das selecções mais bem cotadas do mundo. Aposto num empate. Desejo boa sorte à nossa selecção e que corra tudo sem incidentes e na base do fairplay.
[Garras12]

Portugal tem a obrigação de passar sem dificuldades à fase seguinte, mas depois não irá mais além, pois irá defrontar uma das equipas do grupo mais forte (Argentina, Sérvia, Costa do Marfim e Holanda). Relativamente ao grupo, o México é a seguir a nós a equipa mais forte e poderá causar dificuldades.
Angola como equipa Africana, é empolgante, muito técnica, mas fraca tacticamente, o que será um entrave numa competição destas. Para além disso é estreante. O Irão parece-me a equipa mais fraca, mas tudo pode mudar dependendo do resultado do 1º jogo. Gostava de um Portugal – Argentina na 2º fase.
[João Pereira]

Portugal tem um grupo acessível que se pode tornar perigoso. Primeiro, porque a equipa portuguesa dá-se melhor com adversários de igual ou superior gabarito que joguem de igual para igual. Depois e analisando os adversários, o México é uma selecção muito boa tecnicamente e o Irão tem um óptimo colectivo. Angola deverá ser o mais acessível mas convém cautelas. Tendo em conta o valor da equipa nacional abaixo do 4º lugar considerarei um fracasso a campanha no Mundial.
[Tito Velosa]

O México custuma ser uma equipa muito disciplinada e bem organizada com um ou outro jogador fora da mesia mas pelo pouco que conheço são uma equipa que joga pelo colectivo. Será um adversário em principio acessivel mas Portugal não pode facilitar e jogando ao melhor nivel poderá vencer o México. O Irão é uma equipa algo desconhecida mas possui alguns atletas que jogam em campeonatos europeus nomeadamente o campeonato alemão portanto é uma equipa acessivel mas não se pode entrar em campo a pensar que já está ganho, convem dar sempre o máximo.
Angola é uma equipa que tem vários jogadores a actuar no campeonato Português portanto é uma equipa que conhece relativamente bem os nossos jogadores e como tal será um adversário dificil de defrontar mas com maior ou maior facilidade acredito na vitória.
Analisando o grupo penso que Portugal é o claro favorito a vitoria no grupo visto ser mais forte e no campeonato da europa ter ficado em 2º lugar.
Mas é preciso os jogadores jogarem no máximo e não se dislumbrarem como na corea onde já estav ganho antes de começar.
Esperemos que Portugal passe a 1ªfase e depois podemos sonhar com uma classificação historica, esperemos que campeão.
[Rui]

Penso que o Grupo de Portugal é um grupo teoricamente fácil para a nossa selecção no entanto devemos lembrar o que aconteceu no último mundial onde o grupo era também acessível. Angola é uma estreante nestas andanças e não me parece que jogue um bom futebol, o Irão também é 1 selecção fraca, resta-nos o México que pode efectivamente trazer problemas no entanto penso que Portugal é o favorito e irá passar á fase seguinte.
[MUP-Braga]

O México será em principio o adversário mais complicado, tem muita experiência em Mundiais e é uma nação com uma grande paixão pelo futebol!
A motivação de jogar contra Portugal, para além de ser o primeiro jogo poderá complicar a tarefa contra os Angolanos.
O Irão deverá ser uma selecção a não desprezar, actualmente quem não respeita os adversários pode sofrer pesados castigos...
[PRM]

Na minha opinião o sorteio não foi tão favoravel como tentam fazer parecer! Portugal seria sempre uma seria candidacta á qualificação independentemente do grupo, porem encontrar nos oitavos-de-final, a laranja mecânica, ou a toda poderosa Argentina, já não parece nada facil! Espero que Portugal e Angola se qualifiquem!!
[Snowhouse]

A humildade e o respeito pelo adversário são virtudes imprescindíveis no seio do futebol. No Mundial 2002, a Selecção Portuguesa prometia muito, esbanjava talento, confiança e tinha pela frente um grupo teoricamente fácil. Contudo, faltaram as tais virtudes, e o sonho desmoronou-se, deixando um amargo de boca que só viria a ser adocicado em 2004. Este exemplo empírico pode jogar a favor de Portugal, na tentativa de não cometer o mesmo erro duas vezes. A tarefa em solo germânico não será fácil.
O primeiro jogo,contra Angola, é decisivo, e Mantorras, Akwá e companhia não querem ser os "bobos da corte". O Irão, cuja referência é (ainda!) Ali Daei, é uma equipa matreira, com muita experiência. Para culminar, o México é o oponente mais perigoso, encabeçado pelo goleador Borgetti e pelo central Marquez. A Portugal exige-se, no minímo, uma presença nos quartos-de-final.
[Pedro Evangelista]

Portugal tem tudo para conseguir seguir em frente. O México é uma boa selecção mas não é um "bicho papão". É para mim muito difícil dizer o que vale o Irão, não conheço nada deles e por isso é uma incógnita. Angola vai por certo querer mostrar serviço frente a Portugal mas não nos vão conseguir travar. Com maior ou menor dificuldade seguiremos em frente. O pior vem depois com a Argentina ou com a Holanda sem esquecer a Sérvia.
[Beto]

MÉXICO - Além da enorme experiência em Mundiais é o maior candidato neste grupo, deve passar facilmente.
IRÃO - Adversário acessivel mas muito perigoso. com muitos dos seus
jogadores a jogar na Alemanha e com milhares de apoiantes fanáticos, não
deve chegar para Portugal e México.
ANGOLA - Além do milagre de estarem nos 32 Mundialistas, já têm bilhete de volta marcado no fim da fase de grupos. Vão dar tudo e mais alguma coisa no jogo de abertura com Portugal mas ficam pelo caminho, esperemos que desta vez não acabe o jogo a meio.
PORTUGAL - O maior favorito neste grupo e com muita sorte no sorteio... se a atitude for de trabalho e humildade que não a de 2002. com jogadores de Topo e nos melhores clubes mundiais, carregados de experiência e um treinador especialista neste tipo de provas, Vice Campeão Europeu e Campeão Mundial, Portugal é um dos candidatos ao titulo.
P: 1º PORTUGAL - 2º MÉXICO
[Atlético]

O grupo que nos calhou é o mais acessível ou um dos mais acessíveis de todo o mundial.
O cabeça de série não é superior a nós e desconfio mesmo que nos seja inferior.
Quanto ás outras duas selecções é mais para ganhar e descansar porque o grande embate será mesmo depois do grupo nos oitavos de final, seja a Holanda, Argentina, Servia ou Costa Marfim.
Muitos falam no Mundial 2002 mas sem lógica alguma, porque os Estados Unidos são o México deste grupo, a Coreia jogava em casa e foi discutir o 3º e 4 lugar final, e contra a Polónia ganhámos sem dúvidas.
Este grupo tem um nível muitíssimo inferior no geral das 4 equipas.
[Estrela]

De facto melhor só na feira!
A Selecção do Sr Scolari ficou no grupo mais acessível, com a vantagem de já ter tido a (má) experiência no Mundial da Coreia/Japão, onde também Portugal era favorito e saiu de lá sem Honra nem Glória.
Mais uma vez, creio que será inútil aqui discutir a valia dos adversários, pois todos sabemos e sentimos que nos devemos preocupar com a nossa equipa.
Facilmente adivinhamos que não iremos apresentar todos os nossos melhores jogadores e, inexplicavelmente, o seleccionador (e a FPF...) irá dar-se ao luxo de não convocar mais-valias indiscutíveis como o Vítor Baía e possivelmente o Quaresma! Sinceramente respeito todos os nossos adversários, contudo sinto uma mistura de confiança e preocupação na Selecção do Sr Scolari. E isso é que me atrapalha...
[João Ribas]

Portugal foi feliz no sorteio, e é o grande favorito. Olhando para os adversários considero que o Mexico de La Volpe é o potencialmente mais forte. São muito batalhadores e coesos e funcionam como joker, já que 9 dos titulares jogam no próprio país. Atenção a Borgetti. O Irão é uma selecção acessível. Tem um estilo semelhante ao Europeu, e tem como grande figura Ali Karimi. Angola é um estreante e poderá apenas sonhar em pontuar, ou não fossem parte dos seus titulares jogadores de divisões secundárias em Portugal. Atenção a Gilberto.
[Nelson Oliveira]

Portugal é claramente favorito no grupo, onde Angola apresentará um futebol à base da força, o Irão à base do esforço e o México com bastante mais talento que estas últimas. O problema de Portugal vai ser mesmo a fase seguinte, onde se cruzará com as equipas que constituem o grupo mais forte. Portugal não pode cair no facilitismo de 2002, ou então terá a surpresa de sair da competição sem cumprir objectivos propostos.
[Joao]

Memória Atacante XVI

Cabe-nos hoje apresentar um fantástico post da SpicedBlond sobre a questão do investimento em educação. Brilhante análise e comparação com a realidade americana. Uma análise que apesar de ter um ano continua extremamente actual.

15 de Fevereiro de 2005

"Educação X Investimento - Debate de fim de semana "

"Estive á conversa este fim de semana com uma jogadora do clube feminino New York Power de seu nome Jaclyn Raveia, que me elucidou sobre a forma como o futebol feminino é encarado aqui nos EUA, e a maneira como se conseguiu transformar um desporto apenas praticado por algumas meninas num estrondoso bum, que catapultou esta modalidade para nº1 em todo mundo.

Confesso que quando comecei a conversa foi no intuito de poder conseguir material para escrever no blog, aliás até a informei de tal e não estava nada à espera que este assunto se fosse tornar tão bem discutido não só por nós as duas, como para meu espanto pelos senhores que nos rodeavam e que falavam tão orgulhosos desta modalidade que por momentos pensei que a realidade vivida no meu país era fictícia, mas rapidamente o meu empolgamento caiu por terra quando um colega me perguntou: E em Portugal como é o futebol feminino? Aí sem dúvida voltei á realidade... aquela que defendo e sempre defendi...

Mas voltando à conversa, perguntei à Jaclyn como é que uma modalidade jogada apenas por algumas raparigas e sem grande interesse e divulgação (exactamente como em Portugal) se transformou na grandiosidade dos dias de hoje, ao qual ela me respondeu e cito as suas palavras “foi muito difícil conseguirmos chegar onde estamos hoje, não só porque o futebol sempre foi visto como desporto masculino, principalmente aqui que temos uma grande força nesse desporto com o futebol americano. Tivemos de suar bastante e fazer ver que valia a pena, mas sem dúvida nenhuma se não fosse o sistema educacional a apostar numa nova modalidade os EUA não estariam onde estão hoje... é bom saber que as escolas apoiam as raparigas no desporto principalmente porque estamos num país cada vez mais violento e todas as iniciativas para ocupar os jovens são bem vindas, nesse aspecto tenho orgulho do meu país”.

Terminada esta explicação começámos todos a debater o que se pode fazer para o desenvolvimento de uma modalidade, e todos achámos que para se desenvolver algo têm de existir o mínimo de qualidade, mas que também, e cito o que um amigo Peter Wilson disse “claro que é preciso haver qualidade, mas tambem não se pode esperar qualidade se não existirem condições para que tal aconteça, não se pode esperar boa fruta se não cuidarmos como deve ser da árvore e lhe dermos as condições para que cresça... Acredito que o EUA não fizeram nada de mais nem gastaram assim tanto para rentabilizar a modalidade, somente apostaram no futuro - os jovens e a sua educação”

Depois desta argumentação sinceramente calei-me... não sei talvez por ter consciência de que aquilo que defendo, os ideais que podem tornar o futebol feminino praticável e de boa qualidade são defendidos fora da minha pátria... e que no meu paí as pessoas desculpam-se dizendo que não é rentável... COMO SABEM QUE NÃO É RENTÁVEL SE SIMPLESMENTE NÃO DÃO O MINIMO DE CONDIÇÕES PARA QUE SE PROVE O CONTRÁRIO? É OBVIO QUE SE NÃO HÁ CONDIÇÕES, SE NÃO SE VÊ UMA LUZ AO FUNDO DO TÚNEL, A DESMOTIVAÇÃO TOMA CONTA DAS PESSOAS, E SE CALHAR POR ISSO, POR VEREM QUE NINGUÉM LIGA PATAVINA PARA O QUE FAZEM É QUE AS NOSSAS JOGADORAS E AS MULHERES QUE GOSTAM DE FUTEBOL NÃO SE EMPENHAM, PORQUE SIMPLESMENTE NINGUÉM LIGA!

Foi uma conversa agradável, muitas mais coisas foram debatidas e que terei o prazer de ir colocando aqui no blog para elucidar um pouco mais sobre o que por aqui se passa, e apesar de não ir revolucionar a mentalidade em relação à modalidade, tenho a certeza que a diferença já é marcada e os ideais defendidos.
Boa Semana a Todos"

[SpicedBlond]

A jornada da 2ª Divisão Série A

O Trofense deslocou-se a Guimarães, para defrontar o Sandinenses e saiu derrotado pela segunda vez consecutiva, e viu o União da Madeira aproximar-se, ficando agora a apenas dois pontos de distância. O jogo até começou bem para a turma da Trofa, que cedo se colocou em vantagem, mas a formação Vimaranense consegui dar a volta ao resultado. Este triunfo por 2-1 coloca o Sandinenses na 3ª posição.
Nos restantes jogos destaque para o triunfo fora de portas do Braga B, na casa do do Freamunde por 1-0.

Resultados:


União 0 Famalicão 0
Freamunde 0 Braga B 1
Lixa 1 Portosantense 2
Torcatense 3 Vilaverdense 2
Fafe 1 Camacha 1
Os Sandinenses 2 Trofense 1
Folgou: Ribeirão e Valdevez.


Classificação

Trofense - 28
União - 26
Os Sandinense s- 21
Portosantense - 21
Ribeirão - 20
Freamunde - 19
Famalicão - 19
Fafe - 19
Lixa - 18
Camacha - 17
Braga B - 16
Vilaverdense - 14
Torcatense - 12
Valdevez - 11

Próxima jornada [05.02.2006]

Portosantense-Torcatense
Vilaverdense-Fafe
Camacha-Os Sandinenses
Trofense-União
Famalicão-Freamunde
Braga B-Ribeirão
Folga: Valdevez e Lixa

2ª Divisão Série A: Torcatense está bem vivo!

Foi um jogo com duas partes completamente distintas o que se assistiu no passado domingo no Complexo Desportivo do Vitória. Na primeira parte foi o Torcatense quem mandou, a segunda pertenceu aos homens de Vila Verde. No entanto o triunfo do Torcatense por 3-2 aceita-se, já que o 2-0 ao intervalo era lisonjeiro para o Vilaverdense. A equipa da casa começou o jogo a todo o gás. Logo aos 7' minutos, em frente à baliza, rematou por cima. A defesa de Vila Verde continuou a ser chamada a desfazer o perigo junto da sua baliza.

Até que à meia hora de jogo, António abriu o activo, com um bonito golo, culminando uma bela jogada do Torcatense e respondendo da melhor maneira a uma desmarcação primorosa de Quim Duarte. E não foi preciso esperar muito mais para que os da casa, voltassem a fazer mudar o marcador. Aos 35', foi Vitinha, a arrancar pelo seu flanco, cruzando para Cascavel, que no entanto nem teve tocar na bola, já que um defesa Vilaverdense se encarregou desse trabalho. Para o segundo tempo, os forasteiros, sem nada a perder, soltaram-se mais, e fruto de um futebol feio, baseado, no pontapé para a frente, chegaram à igualdade.

Desde bem cedo, na 2ª parte, o guardião vimaranense, Paulo, teve de mostrar trabalho. Aos 55', ainda conseguiu voar para impedir o golo. O mesmo não conseguiu aos 62', contando no entanto com toda a defesa da casa. Na marcação de um pontapé de canto, todos ficaram a ver a bola a sobrevoar a defensiva e viram também o "velhinho" Armando (já representou entre outros o Braga e o Moreirense) a empurrar a bola para o fundo das redes. Volvidos 3 minutos, e num contra-ataque iniciado em Tchide, o mesmo Armando bisou na partida. Já com o Vilaverdense reduzido a 10 elementos, Oliveira fez o golo da tarde. Decorria o minuto 89, quando o número 22 dos "pretos e brancos" de São Torcato, irrompeu para direita, entrou na área e mesmo com pouco ângulo fez o golo do triunfo. Até final destaque ainda para a expulsou do central Rocha, uma perda importante para o próximo encontro. Um triunfo que se aceita, num jogo com duas partes completamente distintas.

O Torcatense confirma assim o crescendo de forma que tem vindo a evidenciar nos últimos encontros, e está mais perto de fugir aos lugares da descida. Aquilo que muitos já nos tinham condenado.

La Liga: Barça não tem concorrência

A Liga Espanhola continua renhida... mas somente na luta pelo acesso à Champions. O Barcelona, sem o goleador Eto'o, venceu por 3 bolas a 0, no reduto do Maiorca. Nunes, ex-Braga, teve assim uma péssima estreia, sem nada poder fazer contra a avalanche ofensiva dos catalães. Guily inaugurou o marcador e Messi, o menino prodígio, marcou mais dois golos, numa equipa que parece ser a mais equilibrada do campeonato, sem adversários à altura.

O segundo classificado esbarrou em Zaragoza, empatando a duas bolas. O Valência viu assim aumentada a diferença para o líder, fixada neste momento em 12 pontos. A equipa da casa esteve a perder 2-0, com os visitantes a marcarem por García e Ewerthon, contudo as individualidades valencianas sobressaíram e Kluivert primeiro, e depois Aimar, deram o empate final.
O Real Madrid venceu (polemicamente) o Celta de Vigo por 1-2. Robinho inaugurou o placard aos 17m, mas a resposta dos homens da casa surgiu ainda na 1ª parte, por intermédio de Lequi. Os brasileiros faziam a diferença e o recém-contratado Cicinho fez o segundo golo para os merengues. Ao cair do pano surgiu um lance polémico, quando Silva rematou ao poste, dando a sensação que a bola entrou na baliza. O árbitro nada assinalou e o Real respirou de alívio, somando mais três pontos, na luta... pelo segundo lugar.
Nos restantes jogos, destaque para a vitória suada do Atlético Madrid sobre o Deportivo, por 3-2. O herói do jogo foi Maxi Rodriguez, que apontou dois golos. Espanhol (3-1 contra o Málaga), Alavés (3-1 sobre a Real Sociedad), Sevilha (2-0, derrotando o Villareal) e o Atlético de Bilbau (venceu o Getafe por 1-0) conquistaram vitórias caseiras. Cádiz e Racing Santader empataram a uma bola.
A luta pela manutenção também continua ao rubro, com apenas 7 pontos a separar o último classificado Málaga, do 12º posto, ocupado pelo Racing.
Classificação à 21ª jornada

Manchester United espera poder contratar internacional português Deco ao Barcelona FC

O Manchester United Portugal investigou o caso nas últimas semanas e confirma que o jogador já foi identificado pelo clube e que já terão havido alguns contactos formais entre as duas partes envolvidas no negócio. Muito se tem falado e especulado sobre o médio internacional alemão Michael Ballack mas, foi o próprio técnico escocês Sir Alex Ferguson quem confirmou que o clube não iria avançar para a sua compra: "Consideramos essa hipótese durante algumas semanas [contratar Ballack]. Discutimos sobre o assunto com os seus empresários e penso que é um grande jogador. Mas, ele é semelhante a jogadores que actuam nessa posição no nosso clube como Wayne Rooney ou Paul Scholes e pretendemos observar jogadores para uma outra posição no terreno". Falou-se inclusivamente na possibilidade de Thomas Gravesen do Real Madrid ingressar em Manchester. Possibilidade essa totalmente refutada poucos dias depois por David Gill apesar da imprensa mundial continuar a especular sobre o assunto: "Nós não estamos interessados no Gravesen. Temos o Vidic e o Evra mas, tal como Ferguson confirmou, necessitamos de um médio para reforçar o meio campo que não o dinamarquês Gravesen".

Perante este plano, o Manchester United Portugal pode avançar em primeira mão que o jogador que Sir Alex Ferguson pretende trazer para reforçar o meio campo do United é o conhecido Deco, estrela portuguesa do Barcelona FC. O médio português que se transferiu do Porto para a Catalunha em Julho de 2004 por 11,5 milhões de euros é o jogador secreto que Sir Alex Ferguson e Carlos Queiróz pretendem contratar no próximo verão. Deco já realizou 20 partidas pelo Barcelona esta temporada tendo marcado cinco golos e realizado outras três partidas pela selecção nacional orientada pelo brasileiro Luiz Filipe Scolari. Por mais que uma vez a imprensa espanhola já avançou com a possibilidade de Deco abandonar o Barcelona no verão para assim o clube catalão ter dinheiro suficiente poder contratar um avançado de topo europeu. Segundo a investigação levada a cabo, os inquéritos terão começado mesmo antes da saída de Roy Keane do clube numa altura em que Deco começou a manifestar à imprensa alguma falta de adaptação à cidade catalã. Segundo também apuramos, a família Glazer já terá confirmado a Ferguson que mesmo com 64 anos, este se manterá à frente dos destinos da equipa por mais duas temporadas tendo um orçamento para transferências no verão na ordem dos 32 milhões de libras (48 milhões de euros).

GOLEANDO: “Os inimigos do futebol são os jornalistas!”

No desporto como nos demais ramos da vida pública e privada é indiscutível o poder que a comunicação social exerce sobre os seus agentes. E reconhecendo nela esse poder, são muitos os que de forma hábil e planeada se servem dela para atingir os seus fins. Observemos José Mourinho.
Actualmente, o melhor treinador do mundo tem o mundo do futebol a seus pés. São muitos os que o veneram, admiram, elogiam. São muitos os que o criticam, invejam e odeiam. E Mourinho sabe lidar com estes sentimentos, porque não só foi ele que, deliberadamente os provocou, como soube usar a comunicação social para se mediatizar. Se hoje José Mourinho é conhecido (e reconhecido) em todo o mundo, deve-o em grande parte aos Media. O seu talento e mestria marcam toda uma geração. Consciente de que “hoje bestial, amanhã besta”, Mourinho usa a comunicação social como arma. Porque sabe do seu poder e o aproveita. Porque conhece os seus efeitos e o manipula. Porque conhece a sua dimensão e o explora ao máximo. Porque através dela, “atiça” os adversários e provoca os seus próprios jogadores.
Menciona-se Mourinho, porque um dia também ele irá passar por um momento menos bom da sua carreira e nesse dia dirão que foi a comunicação social quem “matou o Mourinho”, quando foi ela que o colocou no topo e serviu os seus interesses. Porque assim o dizem todos os que se querem servir dela e nao vêm concretizadas as suas aspirações. Porque alguém se lembrou de dizer um dia que "Os inimigos do futebol sao os jornalistas!". Será?

segunda-feira, janeiro 30, 2006

2º Torneio Internacional Infantil da Malveira

É com enorme prazer que o MUP anuncia em primeira mão o regresso a Portugal de uma equipa do Manchester United. Como se devem recordar, a equipa de sub-12 liderada pelos técnicos Mark Dempsey e Tony Whelan estiveram o ano passado no nosso país a disputar o 1º Torneio Internacional Infantil da Malveira, competição essa totalmente acompanhada pelo MUP e conquistada pelo nosso clube. Pela primeira vez após diversas deslocações ao estrangeiro, a equipa de sub-12 venceu um torneio internacional e este ano está de volta à Malveira para defender o troféu conquistado em 2005.

A competição deste ano promete ser ainda melhor e tudo se prepara para um evento a não perder. A organização do torneio conta agora com a experiência adquirida o ano passado e deu um salto significativo para melhorar o evento deste ano que terá como padrinho o conhecido ex-internacional português e agora empresário Paulo Futre. Seis equipas irão disputar o evento deste ano num grupo em que todas se defrontam entre si durante os três dias da prova. O torneio conta com a presença da equipa da casa o Atlético da Malveira, as três equipas de topo nacionais, SL Benfica, FC Porto e Sporting CP, o categorizado clube espanhol Atlético de Madrid e o nosso Manchester United. O torneio terá lugar na Malveira, durante os dias 29, 30 de Abril e 1 Maio [sábado, domingo e segunda-feira feriado], sendo os jogos realizados no conhecido Estádio das Seixas.

29 Abril de 2006 (Sábado)
16h00 – BENFICA vs SPORTING
16h45 – PORTO vs ATLÉTICO MADRID
17h30 – MANCHESTER UNITED vs MALVEIRA
20h00 – PORTO vs MALVEIRA
20h45 – ATLÉTICO MADRID vs BENFICA
21h30 – MANCHESTER UNITED vs SPORTING

30 Abril de 2006 (Domingo)
14h30 – MANCHESTER UNITED vs ATLÉTICO MADRID
15h15 – MALVEIRA vs SPORTING
16h00 – BENFICA vs PORTO
20h00 – ATLÉTICO MADRID vs SPORTING
20h45 – BENFICA vs MALVEIRA
21h30 – MANCHESTER UNITED vs PORTO

1 Maio de 2006 (2ª Feira - Feriado)
09h30 – ATLÉTICO MADRID vs MALVEIRA
10h15 – MANCHESTER UNITED vs BENFICA
11h00 – SPORTING vs PORTO
12h00 - ENTREGA DAS TAÇAS

Finalmente a goleada!!

Com uma exibição de “encher o olho” , o Beira-Mar conquistou ontem a sua vitoria mais expressiva desta temporada.
Cientes das dificuldades desportivas do Maia , Augusto Inácio montou uma táctica mais ofensiva com Miran e Jorge Leitão a formarem a frente de ataque , e os habituais Zé Roberto e Rui Lima no apoio aos dois pontas de lança.
Pela primeira vez após a lesão do “pequeno Roma” , voltei a concordar as opções de Augusto Inácio , já que na minha opinião até ontem tinha apresentado o onze titular pouco ambicioso , optando por privilegiar a segurança defensiva pondo em campo 3 médios defensivos (Luís Vouzela / Diakité e João Pedro) ,acabando a equipa por perder ideias ofensivas .
Apesar das contrariedades da equipa do Maia, foi mesmo a equipa visitante a entrar melhor no jogo , conquistando dois cantos nos primeiros minutos , sem que neles cria-se qualquer tipo de perigo.

A partir do primeiro quarto de hora , altura em que Luís Vouzela começou a aparecer em jogo , o Beira-Mar começou a exercer maior pressão sobre a defesa do Maia , acabando por criar diversas oportunidades de golo.
Miran foi o jogador mais em “foco” neste período ,com duas boas oportunidades , 1º após um canto cobrado por Zé Roberto , sem qualquer marcação cabeçeou ao lado , e minutos depois , obrigando Miguel à defesa da tarde , após um forte remate disferido fora da área.

Eram os primeiros avisos do que viria a suceder à passagem da meia hora, excelente jogada de entendimento entre Ricardo e Rui Lima , com o esquerdino a fazer um centro “teleguiado” para a cabeça de Zé Roberto , que com uma forte cabeçada não deu hipóteses de defesa a Miguel.
A vantagem do Beira-Mar poderia ter sido aumentada , à poucos minutos do intervalo , após uma excelente jogada individual de Tininho pelo flanco esquerdo , mas o forte remate do lateral viria a embater com estrondo na trave da baliza do Maia.

Ao Intervalo : Beira-Mar 1 – Maia 0

Tal como nos primeiros 45 minutos, foi o Maia a entrar melhor na 2ª parte. Dispondo mesmo de uma grande oportunidade para empatar o jogo, mas Pavel Srnicek com uma grande defesa , evitou que Artur Futre pode-se festejar o golo do empate.
Quatro minutos após esse lance , o estreante Buba(excelente exibição) na sequência de um ponta de canto cobrado por Rui Lima , aproveitou a confusão na pequena área para fazer o segundo golo do Beira-Mar.

A equipa Maiata a partir do 2º golo , nunca mais se encontrou consigo mesma , propondo ao Beira-Mar 30 minutos finais de grande qualidade , para o qual foi decisivo outro estreante , Carlos Gomes que confirmou as suas qualidades, demonstrando que é um serio candidato à titularidade .
As oportunidades iam-se sucedendo perto da baliza de Miguel , e foi o “pequenino” Roma (de volta após longa e sentida ausência) , que viria a dilatar o marcador aos 68 minutos de jogo.
Carlos Gomes recupera uma bola à meio campo , servindo na direita Rui Lima , com mais um excelente cruzamento “teleguiado” , coloca a bola na cabeça do “pequenino” Roma , que não deu qualquer hipótese de defesa ao desamparado Miguel.

Galvanizados pelo golo os jogadores Aveirenses , nunca desistiram de procurar mais golos com Roma , Carlos Gomes , Jorge Leitão e o endiabrado Rui Lima em grande destaque , a vantagem do Beira-Mar esteve perto de ser aumentada por várias vezes , mas apenas o avançado Jorge Leitão , viria a conseguir já no período de descontos.
Novo canto cobrado por Rui Lima , e tal como no golo de Buba , a defesa Maiata não conseguiu afastar a bola ,aparecendo Jorge Leitão a encostar para o resultado final.

Nota:

Este foi o 15º jogo sem perder do Beira-Mar , que estabeleceu o novo record da 2ª Liga , foi também o 4º jogo consecutivo sem que qualquer jogador do Beira-Mar visse a cartolina amarela ou vermelha.


Sinal Mais:

Rui Lima : Mais uma espectacular exibição do esquerdino , esteve nos 4 golos da equipa .

Sinal Menos:

O futebol é festa , golos , futebol atacante , e animação , e neste jogo houve tudo isso. Logo não acho que tenha havido momentos menos bons.

Assim vai a Liga de Honra.

Na 20ª jornada da Liga de Honra , Beira-Mar e Olhanense foram as equipas mais beneficiadas dos empate e derrotas das restantes equipas que lutam para subir.
O líder Beira-Mar recebeu e goleou o Maia , por 4-0 com Rui Lima em especial destaque , já que esteve nos 4 golos da equipa.
Em Olhão ,o Olhanense 2º classificado na Liga , recebeu a antiga sensação do inicio da temporada , e venceu por claros 5-2 , tendo estado mesmo a perder por 0-1 , mas Moses com 3 golos deu a vitoria ao Olhanense.
O Desportivo das Aves , que até esta jornada se apresentou em grande forma , cedeu um empate caseiro frente à lanterna vermelha Barreirense , por 1-1 , sendo que o golo da equipa do Barreiro apareceu já no tempo de descontos.
O Gondomar e D.Chaves , conquistaram 2 vitorias sensacionais frente a dois candidatos à subida , o Gondomar foi vencer ao estádio do Portimonense , por 1-3 com o médio ex-Benfica Fernando Aguiar , em grande destaque.
O Chaves confirmou a sua recuperação na tabela classificativa , ao vencer em casa por 1-0 , o também candidato Leixões , com Cássio a apontar o golo Flaviense.
A aflita Ovarense , começou a sua recuperação após grave crise financeira ao vencer em casa o Feirense por 2-0 , num derby em que se registaram alguns desacatos entre adeptos.
O Santa Clara somou a sua 2ª vitoria consecutiva em casa , ao vencer o Vizela também por 2-0 , o arbitro desta partida esteve em principal destaque ao validar um golo fantasma a equipa Açoriana.
Quanto ao Varzim , teve de suar bastante para vencer o Marco , na Povoa de Varzim , sendo que os golos da vitoria Poveira , apenas apareceram a partir do minuto 88.
A desilusão Moreirense , continua a perder pontos , após o empate caseiro à 1 golo com o Estoril , Palatsi esteve em especial destaque , mas pela negativa.

CAN 2006 - Grupo C - 3ª Jornada


Com ambas as equipas já apuradas, ambos os treinadores fizeram nove alterações no onze habitualmente titular, com melhores resultados para os Guineenses. A equipa jogou sempre um futebol mais organizado, mas a Guiné com o seu rápido contra-ataque afundou a defesa contrária. Foi um jogo com muitas oportunidades de golo e com períodos de excelente futebol. O aspecto negativo deste jogo foi os confrontos nas bancadas entre adeptos da Tunísia e adeptos egípcios que apoiavam a Guiné.
Golos: Ousmane Bangoura(16'), Pascal Feindouno(80') e Kaba Diawara(90+1)
Melhor em Campo: Pascal Feindouno

A honra de ambas as equipas estava em jogo, após a eliminação logo à segunda jornada. Os Bafana Bafana confirmaram hoje ser a decepção desta competição ao perderam com a Zãmbia. O domínio do jogo pertenceu à selecção de McCarthy, mas acabou por ser a Zâmbia a chegar ao golo num contra-ataque.
Golo: Chris Katongo(75')
Melhor em Campo: Chris Katongo

Apurados: Guiné(defronta o 2º do Grupo D) e Tunísia(defronta o 1º do Grupo D)
Eliminados: Zâmbia e África do Sul

Querem matar o Castor.

Mais um fim de semana, mais uma vergonha. O nosso futebol começa a cheirar muito mal.
O que me leva a escrever este Post é o ultimo jogo do Futebol Clube Paços de Ferreira contra o Boavista. É patético o que se passou na Mata Real.
O árbitro permitiu anti-jogo boavisteiro, não expulsou Paulo Sousa e não assinalou 2 penalties a favor dos Castores. Pior: já perto do final, Carlos agarra ineterruptamente Edinho dentro da grande área, quando este tem tudo para chegar à bola e fazer o golo, acabando por lhe dar um chega para lá. O que fez o árbitro? Nada! Virou-se para a bancada dos Castores e riu-se aparentemente muito contente pela asneira que fez. Tudo bem... final do jogo, muita contestação e Pedro Proença sempre de sorriso nos lábios.
No dia seguinte, ninguém deu importância ao que se passou. "Como foi o Paços de Ferreira não interessa..." pensaram por ventura Directores de Redacções. Aguardei pelos desenvolvimentos. Nada, ninguém quer saber...
O pior é que o Paços é dos poucos clubes que cumpre as suas obrigações. Não cai na loucura de ir buscar grandes jogadores porque não pode. Que benefícios tem? É prejudicado pelas arbitragens. No jogo do Bessa, não assinalaram um golo limpo que nos colocava em vantagem. No Sábado a vergonha que foi...

PAREM E PENSEM. O FUTEBOL PORTUGUÊS NÃO É SÓ O PORTO, O BENFICA E O SPORTING.

Se o Paços descer, que desça porque foi inferior aos seus adversários e não porque lhe quiseram cortar as pernas, porque quem quis viu o massacre que os Boavisteiros levaram...

Por Paços esforço e vitória.
Castor indomável

Palmeiras 100%

É com grande alegria que venho falar sobre a excelente fase da Sociedade Esportiva Palmeiras (da qual sou assídua adepta) em 2006.
O time fez boas contratações para essa temporada. Nomes como Edmundo, que passou a última temporada no Figueirense, e foi repatriado após 10 anos longe do Palmeiras. Apelidado de Animal pela torcida, o jogador de 34 anos demonstra muita satisfação em voltar ao clube onde teve tantas glórias. Sua raça, determinação e habilidade encantam a nação alvi-verde, que o tem como um dos maiores ídolos de nossa historia. Ele está muito empenhado em ter boas atuações para conseguir a confiança do treinador e assim ajudar o Palmeiras e retribuir o carinho da torcida.
Paulo Baier, um dos grandes destaques de 2005, foi considerado o melhor lateral-direita atuando pelo Goiás (terceiro colocado na competição nacional). Já era uma antiga pretensão de Salvador Hugo Palaia (diretor de futebol do Palmeiras), e está fazendo justiça a tudo que foi dito a seu respeito. Tem sido essencial para o time e indispensável no esquema do técnico Emerson Leão, e agradando muito aos torcedores.
Os outros contratados foram revelações dentro de seus times e vieram sem muita badalação, mas os que já estrearam, demonstraram um bom futebol e grande vontade de aproveitar a oportunidade em um clube grande. E estes são: o atacante Enílton (Juventude), o meia Ricardinho (Internacional), o lateral-esquerdo Marcio Careca (do Brasiliense), o lateral-direito Amaral (ex-Fortaleza) e os zagueiros Douglas (do São Caetano) e Valdomiro (Santo André).
Nessa temporada o Verdão está invicto, já foram seis jogos e seis vitórias. Destes, cinco atuações pelo Campeonato Paulista, contra Ituano, Marília, São Bento, Mogi Mirim e Portuguesa Santista. E uma pela Pré-Libertadores (dois jogos contra um único time, disputado dentro e fora de casa) com o Deportivo Táchira da Venezuela, uma vitória importante que deixou o Palmeiras praticamente dentro do Grupo 7 da Libertadores, que conta também com Rosario Central da Argentina, Cerro Porteño do Paraguai e Atlético Nacional da Colômbia.

Mesmo sem contratações milionárias, o Palmeiras está bem reforçado e com muita garra, e na minha opinião é um dos grandes favoritos a conquistar tudo o que participar, pois, segundo as palavras do próprio técnico Leão, o time do Palmeiras tem suas limitações, mas as assumi e sabe lidar com elas, e é isso que os faz crescer.

Benfica-1 Sporting C.P.-3, Visão Leonina




Um belo jogo de futebol!

De facto, no passado sábado houve derby à moda antiga. Um jogo que começou com receio mútuo, com ambas as equipas a tentar contolar o jogo. Rápidamente o Sporting tomou conta das operações e esteve perto de marcar por Liedson!
Contra a corrente do jogo, o Benfica chega ao golo numa infantilidade de Custódio (a bola ia morrer nas mãos de Ricardo). Simão, como é seu apanágio transformou o penalty de forma certeira.


Se até aqui o Sporting era a melhor equipa, a partir daqui o seu domínio foi avassalador! O Benfica não criou uma única oportunidade durante todo o jogo e claudicou em toda a linha! Assim, Carlos Martins, Deivid (que falhanço incrível!), Liedson e Sá Pinto não fizeram justiça ao marcador e o Benfica foi em vantagem (sabe-se lá como) para o intervalo.

Na segunda parte, mais do mesmo. O Benfica tenta equilibrar o jogo, mas os jogadores encarnados permanecem apáticos, possibilitando assim às estrelas leoninas o comando total das operações! O S.C.P. chega ao empate e lança-se desesperadamente em busca da vitória! A cambalhota no resultado acontece com uma assistência do mal amado Ricardo (já tinha sido assim no ano passado em Moreira de Cónegos) e Liedson a dizer a Luisão que não é só de cabeça que o bate!
Daí para a frente nota para um falhanço incrível de Tonel e para o segundo golo de Liedson a aproveitar um passe fantástico de Sá Pinto.

Positivo:
A equipa de Alvalade, a mostrar toda a sua raça e classe! Esperemos que seja para continuar...

Negativo:
O Benfica e Koeman! Por tudo que disse e pelo que não fez o treinador deve estar a pensar o que lhe passou por cima....

Por tudo isto, pedindo desculpa pelo atraso no comentário, resta-me concluir que TEMOS LEÃO, vamos ver se é para durar!

Série A - Juventus não desarma, Figo insiste

Mais uma jornada na série A italiana onde os dois primeiros são cada vez mais primeiros, e onde a Juventus não desarma nem dá esperanças de erro ao Inter, vencendo peremptoriamente os seus jogos.

Começando pelos líderes, a Juventus defrontou fora o Ascoli e em 10 minutos de jogo “Trezegol” decidiu a partida, marcando nada mais, nada menos do que 3 golos, aos 7’, aos 13’ e aos 17’. A resposta do Ascoli tinha apenas um nome a reter, Foggia, que do seu lado direito deu água pela barba aos seus adversários. O golo do Ascoli foi obtido aos 32’ por Ferrante, lapidando assim o resultado final. O resto do jogo foi morno, apesar do imenso frio que por lá também se fazia sentir. Passando ao Inter, mais uma vitória fora, desta feita contra o Lecce, e onde mais uma vez Figo voltou a marcar, e onde foi o homem do jogo. O resultado final foi estabelecido já nos descontos por Stankovic. O Milão que jogou no Sábado não foi além de um empate frente à Sampdória, e diga-se que foi bastante lisonjeiro para os milaneses no seu estádio. Chegaram à vantagem por intermédio de um penalti convertido por Shevchenko aos 13’ e sofrido por Inzaghi e depois disso viu a Sampdória dominar o jogo, não causando surpresa ao chegar à igualdade, mesmo que para isso Dida tivesse que dar um frango de todo o tamanho. Dando continuidade à boa forma, a Roma não teve dificuldades em bater o Livorno por 3 bolas a zero, com Totti a bisar e Taddei a completar aos 61’. Empate a zero entre Udinese e Fiorentina, num jogo onde o ataque de Florença ficou em branco, coisa que não é costume, apesar de ter criado muitas oportunidade para converter. A lázio foi ganhar ao aflitíssimo Treviso por uma bola a zero, golo de Rocchi aos 86’. O Palermo deixou-se surpreender pelo Siena por 1-3 e a vítima foi…Del Neri, que deixou a equipa no 10º lugar. Vitória do Messina frente ao Cagliari por 1-o, vitória forasteira do Parma frente ao Empoli por 2-1 e a jornada fecha com a goleada da jornada do Chievo frente à Reggina, por 4-0, golos divididos igualmente entre Amanri e Pellissier.

Na lista dos melhores marcadores e apesar de ter ficado em branco, Luca Toni lidera com 21 golos, vendo aproximar-se Trezeguet que, com os três golos marcados subiu ao segundo lugar com 18 golos. O pódio fecha-se com a ascensão de Totti com 13 golos, fruto de ter marcado dois, ultrapassando assim Gilardino e Shevchenko, ambos com 12 golos.

A tabela é liderada pela Juventus com 59 pontos, seguida do Inter com 51, Milão com 47, Fiorentina com 44, Roma com 39 e Livorno com 37. Nos últimos lugares continuam Lecce, Treviso e Empoli.

Prémio: "Como fazer um campeonato emotivo"

O FCP deitou fora uma excelente oportunidade de se destacar na tabela classificativa, avançando que ficaria, em caso de vitória, 6 pontos do segundo classificado. Ora isto para mim não me diz nada nesta fase ainda prematura da definição do campeonato, mas diz-me muito, isso sim, pelas duas jornadas que aí se aproximam. Receber o SC Braga e ir à Luz são dois bons jogos em vista, ainda mais nesta fase que as posições tendem a clarificar-se, e então os tais 6 pontos de vantagem dariam margem de manobra para esses dois jogos, permitindo alguma fragilidade. As contas são fáceis de fazer, mas em duas jornadas apenas o FCP pode passar de primeiro isolado para segundo, e ainda por cima com diferença pontual.

Relativamente ao jogo de ontem à noite, a revolução voltou a verificar-se, desta feita com apenas alterações de nomes face ao jogo contra a Naval, fruto das lesões registadas a meio da semana.

Helton continuou na baliza, a defesa manteve-se com uma linha de três jogadores, desta feita com a entrada de Bosingwa para o lugar do lesionado Ricardo Costa, mas a maior mudança foi feita no meio campo, onde Paulo Assunção, como capitão, partilhou o espaço com Raul Meireles, Ibson e Diego, já que Lucho estava na bancada, lesionado. O ataque ficou entregue a Lisandro, Quaresma e Adriano.

Ora bem, tentando fazer uma análise, eu fiquei com a sensação que a ideia deste treinador é boa, pois manter uma linha de 3 defesas incluindo Bosingwa nela, e mesmo assim conseguir dominar a partida sem que o adversário a consiga perturbar minimamente, qual poderia ser a solução? Incluir outro defesa, neste caso central? Penso que o treinador arrisca bastante, mas que não iria jogar somente com dois defesas, por isso até aqui nada a dizer, se bem que preferia ver Sonkaya no lugar de Bosingwa, este último é, na minha opinião, um elemento a prescindir neste plantel. Os problemas começam a surgir no meio campo, com uma indefinição bastante grande nas posições. Quem substituiu Lucho? Alguém substituiu Lucho? O FCP não pode, nem deve actuar com 2 trincos, pois estes atrapalham-se. Já desde há muito tempo que o FCP tem excelentes trincos, mas sempre jogou só com um. Lembro-me que chegámos a jogar com Costinha e Paredes nessa posição, e nenhum deles rendia, tanto assim que o segundo teve de sair. Ontem foi o que se verificou, ainda por cima quando não há uma atribuição ou respeito por outros papéis em campo, destacando-se Ibson naquele meio campo. Diego é um talento, de facto é, mas falta-lhe a experiência para pôr o génio a funcionar em prol da equipa, tem de soltar melhor e mais rápido a bola. Quaresma e Lisandro estão nitidamente em sub-rendimento, e são os únicos a quem eu posso dizer que as tais férias de Natal prejudicaram. Se no primeiro caso o talento por vezes sobrepõe-se, no segundo, o esforço e entregada demonstrados noutros jogos, que até fizeram com que o comparassem a Derlei, esfuma-se em campo. Adriano esteve bastante mais activo do que no primeiro jogo, mas ainda assim o FCP precisa de mais. As alterações trouxeram mais movimentação, mais massacre, onde Ivanildo se destacou, mas quando o talento falha, a pontaria também, não há muito que se possa fazer. O FCP não criou muitas oportunidades claras de golo, é um facto, mas criou as suficientes para fazer pelo menos um golo.

Aquando da revolução feita para o jogo na Naval, eu disse a outros portistas que naquele jogo e no que se avizinhava (Rio Ave), que estas alterações apenas me incomodavam porque a equipa não estava rotinada com o esquema táctico apresentado, porque de resto, acho muito bem que o FCP use de todas as armas para atacar, marcar e vencer equipas que jogam para não perder. Disse também nessa altura que se o fizesse nos outros dois jogos seguintes (Braga e Benfica), o caso seria grave, pois com a organização táctica que o Braga apresenta, o FCP arriscava-se a fazer um resultado igual ao do ano passado. Disse-o na altura e mantenho-o, agora ainda mais, pois um esquema tem de ser personalizado, estruturado e aperfeiçoado mediante o adversário, e se não anda a resultar com equipas fracas, a probabilidade de sucesso contra outras equipas atenua-se ainda mais, pois estas não deixam de sair para o ataque nem descuram as oportunidades para isso.

Resumidamente, o treinador do FCP que se cuide nos próximos jogos, pois os sócios já não vão tolerar mais invenções da sua parte. Relativamente ao jogo de ontem, não se poderia pedir mais ao treinador, mas sim aos jogadores a inspiração necessária para ganhar aquele jogo.

Última palavra para dizer o que penso sobre a presença de Baía no banco: para mim é indiscutível que, para não dizer mais, ele é o melhor guarda-redes do plantel e era ele que devia jogar sempre. Penso também que não é por causa disso que o FCP não ganha ou que fica comprometido qualquer objectivo para esta época. Penso também que se Adriaanse percebesse alguma coisa do clube que representa, a melhor altura para colocar Baía a titular seria o próximo jogo ou até na Luz, que são jogos onde o apelo à motivação dos jogadores e a alguma mística que ainda se mantém, vão ser mais necessários. Helton também não poderia sair melindrado, e por isso a alteração teria de ser feita já com o Braga, para que não passasse a ideia que não está à altura de defender contra o Benfica, muito pelo contrário.

Futebol Virtual - Matchday

Mais uma vez escrevo sobre o denominado futebol virtual, neste caso um clássico se não "O" clássico jogo de futebol para computador. Falo-vos é claro do Matchday.

Muitos se calhar lembram-se ainda de jogar a este "grande" jogo. Eu lembro-me pois devia ter 7 ou 8 anos e quem tivesse um ZX Spectrum tinha de ter o Matchday mesmo que não o jogasse. Eu pessoalmente nunca fui grande adepto do jogo mas admito o valor que tem por ter sido se calhar a primeira simulação de futebol.

Passo a descrever:
Matchday como todos os jogos de Spectrum necessitava do LOAD"" (load aspas aspas enter) e cerca de 5 minutos de carregamento caso a cassete estivesse boa. Após tão longa espera inpensável para os dias de hoje surgia um ecrã de opções que pelo que me lembro deveria ser dos piores menus de opções da história a nível de selecção das mesmas. Percorríamos as opções com a barra de espaços e seleccíonavamos com o Enter e depois escolhíamos teclas... era tudo muito confuso. Após escolher teclas seleccionávamos o tipo de jogo que queríamos e as equipas com os respectivos equipamentos. Os nomes das equipas eram ficticios mas poderiam ser alterados (se bem me recordo mas também posso estar errado). Curiosidade gráfica: os equipamentos tinham 2 cores. A cor do equipamento que também era da cabeça e cabelo e a cor das meias. Mais nada!

Em seguida dava-se inicio ao jogo e aí vinha a parte que mais saudades me dá. Os jogadores davam entrada e dispunham-se para a formação com os seus equipamentos monocolores e meias de cor diferente com uma música que só quem jogou poderá sentir alguma nostalgia. O estádio era o típico estadio inglês com público que não se mexia a não ser quando fosse golo.

Os jogadores a andar ou correr era igual e pareciam que marchavam, os passes eram para onde estavam virados tendo os remates a mesma mecânica.

Enfim, um jogo que suscita alguma nostalgia quando se vê ou ouve falar em conversas da malta que viveu a realidade do ZX Spectrum. Para quem não conhece poderá eventualmente tirar um emulador (ZX80) da net e sacar o ROM. Para quem quer mesmo conhecer a realidade da altura deverá arranjar um ZX Spectrum, um leitor de cassetes, uma televisão qualquer (tenho curiosidade em ver como fica um jogo ZX Spectrum num plasma daqueles gigantes LOL), os devidos cabos e depois é ter paciência a afinar o leitor de cassetes e esperar cerca de 5 minutos após o LOAD"".
Como curiosidade, algum tempo depois de sair o Matchday foi criado o Matchday 2 que trazia como grande evolução... remates de cabeça. Pois é, uma grande evolução para jogos da altura. Além disso os jogadores estavam mais gordinhos e pareciam ter todos um boné.

Após esta versão saiu ainda International Matchday com a qual nunca tive contacto.
(Peço desculpa se esqueci-me de referir algum pormenor ou se troquei algo na descrição pois são muitos jogos desde os meus 7 anos e torna-se fácil trocar alguma coisa entre jogos)

1ª Divisão Distrital de Viseu - 14ª Jornada

Santacombadense 2 Santar 0
Santacombadense: Bruno, João, Carlos, Botas, Abílio, Ruben, Jackson, kiko(C), Titá, Mota, Brinca
Substituições: Mota por Alex(66’), Abílio por Maurio(73’), Jackson por Danilo(85’)
Suplentes não utilizados: David, Baresi, Pedro, Luís
Treinador: ?
Santar: João Paulo, Marcelo, Sérgio Peixoto, Aguinaldo, Semedo, Mariano(C), Márcio, Bruno, Dani, Gerson, Marinho
Substituições: Gerson por Pedro(45’), Dani por Xarila(70’) e Márcio por Carlos(89’)
Suplentes não utilizados: Sérgio, Neves, Paulão, Zé Manel
Treinador: Paulo Sant’Ana
Estádio: Municipal Dr. Orlando Mendes
Árbitro: Fernando Dias
Auxiliares: Jorge Matos e Luís Almeida
Resultado ao Intervalo: 2-0
Marcadores: Jackson(1'), Kiko(41' gp)
Acção Disciplinar: Amarelo: Aguinaldo(23’), Bruno(35’), Carlos(38’), Dani(70’) e João(73’)
O Santar moralizado pelos últimos resultados procurava ser a primeira equipa a derrotar o Santacombadense, mas o golo sofrido logo ao 1’ deitou por terra as aspirações dos forasteiros. O golo foi marcado por Jackson após cruzamento de Brinca. Este golo abalou claramente a equipa treinada por Sant’Ana e galvanizou a equipa da casa. O Santacombadense poderia ter ainda marcado mais dois golos. Titá falhou escandalosamente na primeira situação, enquanto que o remate do capitão Kiko saiu muito perto do poste da baliza defendida por João Paulo. O Santar tentou reagir, mas foi incapaz de levar perigo à baliza de Bruno. Aos 41’ Kiko fez o 2-0 de grande penalidade, a castigar mão de Aguinaldo na área.
A segunda parte foi muito diferente, com os forasteiros a mandarem por completo no jogo. Logo no início Dani esteve perto do golo, mas Bruno com uma bela defesa atirou a bola para canto. A equipa do Santacombadense não conseguia sair do seu meio campo e viu o Santar aproximar-se da sua baliza por várias vezes. A equipa da casa utilizava agora o contra-ataque e por duas vezes levou perigo à baliza de João Paulo. O Santar continuava a carregar, mas pura e simplesmente não conseguia marcar. O remate de Marinho ao poste foi a maior oportunidade de golo do Santar. Com o aproximar do final do jogo o Santacombadense voltou a equilibrar o jogo, conseguindo manter o resultado até ao fim.
Acaba por ser uma vitória justa apesar da grande réplica dada pelos jogadores do Santar na segunda parte.
A equipa de arbitragem fez um trabalho positivo.


Outros jogos:
Na jornada dos empatas, o Lamelas recebeu e empatou a duas bolas com o O. Frades. O Sampedrense continua a ascender na classificação. Nesta jornada foi a Molelos vencer por 3-0. Em Vila Nova de Paiva, o Paivense empatou o Académico de Viseu na sua aspiração de subida de divisão. O resultado foi 0-0. Cada vez mais perto da descida está o O.Douro que recebeu e perdeu por 0-2 com o Mortágua. Em Mangualde aconteceu a grande surpresa da jornada, com os locais a não irem além de um empate sem golos com o Moimenta da Beira. No estádio dos Trambelos Lusitano e Vouzelenzes empataram 2-2. Este resultado é tudo menos uma surpresa, pois os forasteiros são a par com o Paivense os reis dos empates(6). O Lamego foi a Campia e escorregou, não indo além de um empate a zero.

C.S.Maritimo 3 Vs U.D.Leiria 0

Olá a todos

Ontem foi mais um dia de liga Betandwin, desta feita o C.S. Marítimo recebeu no seu reduto a União Desportiva de Leiria. E felizmente que assim foi, caso contrário o Marítimo iria jogar num campo cheio de neve.

O jogo começou com um Marítimo sem novidades, o habitual 4x2x2x2 de Bonamigo. O Estádio tinha pouco publico, sensivelmente 5 mil pessoas, o que até agora foi a pior casa do Marítimo em jogos para a Liga.

As equipas lá andaram a se arrastar pelo campo, pouco futebol e um Leiria muito defensivo e claramente a jogar em anti-jogo, deixavam o tempo correr a quando das reposições de bola em jogo, inventavam lesões, o habitual neste tipo de equipas que quando jogam fora do seu reduto tudo fazem para não perder pontos mas também nada fazem para os ganhar.

O Marítimo por seu lado estava ao “contrário”, muito lento coeso defensivamente mas muito fraco em termos atacantes. Briguel fez uma boa exibição a par de Fahel. Defenderam muito bem e deram um contributo muito importante ao ataque, tendo mesmo Briguel sido decisivo no resultado final.

No ataque, o Marítimo estava com grandes falhas, Marcinho desintegrado e pouco inspirado não produzia, Wenio lesionou-se logo no início do jogo e andou 10m sem produzir, até que foi substituído por Mancuso. (Rápidas melhoras para Wenio)

O jogo lá foi andando mas muito sofredor, o Marítimo não encontrava espaços por entre a forte defesa Leiriense.

O Leiria, nas poucas subidas que fez ao reduto verde-rubro pouco perigo criou e todas as iniciativas atacantes foram sempre inspiradas por Maciel.

Quanto ao Maritimo e no que respeita a ataques, o primeiro lance digno de registo foi protagonizado por Caico estavam decorridos uns 20m da primeira parte, um bom remate à entrada da área mas a bola passa ao lado do poste de Costinha.

À chegada do intervalo, Zé Carlos ganha uma bola a João Paulo mas remata desajeitado permitindo uma defesa fácil a Costinha.

Intervalo nos Barreiros C.S.M 0 Vs U.D.L 0

O Publico durante o intervalo pedia a Bonamigo para deixar Marcinho nos duches, pois a sua exibição estava a ser muito má, eu inclusive cheguei a concordar com o pedido.

Vem a segunda parte e …………….

Temos em jogo o melhor Marítimo da época. Briguel estava endiabrado, cortava lances dava bolas para o ataque e ganhava o meio campo todo, INCRIVEL gritava o público nos Barreiros.

Marcinho aparece em jogo tal qual um Adónis sul-americano, o homem ganha uma moral infernal e era vê-lo a fintar, driblar, ou seja humilhar completamente a fraquinha equipa Leiriense.


Lá a frente Kanu e Zé Carlos trabalhavam muito a arranjar espaços e estavam endiabrados. A verdade seja dita, aquela malta ontem estava acima do céu. PARABENS PESSOAL.

As coisas eram tão rápidas que até os árbitros ficavam estonteados, assim era que acabaram por anular um golo limpinho de Marcinho. Caico remata forte e fora de área, Costinha defende mas não agarra a bola, esta sobra para o defesa central, Marcinho vindo de trás ganha a bola, finta os dois defesas com uma arte inigualável e insere a bola na baliza Leiriense.
RESULTADO= o fiscal de linha ficou estonteado com tamanha qualidade e simplesmente anula o golo. O Publico vai ao rubro.

Antes disto, Maciel tinha rematado com muita força permitindo a defesa da tarde a Marcos.

A partir dai era ver o Maritimo como já não se via há muito tempo.Evaldo descaído na esquerda faz um remate potente que só não deu golo porque Costinha estava atento.

Íamos nos 61m o público desesperado assiste a um momento brilhante de futebol, mais uma vez a magia de Marcinho, que dribla dois defesas e mete a bola no pé de Zé Carlos que não perdoa, estava feito o 1-0.

Foi aos 66m de jogo, Caico vem do lado direito, deixa a bola a Briguel que à entrada da área, faz um cruzamento excelente para a cabeça de Zé Carlos que mais uma vez não perdoou.2-0

O Leiria abriu o jogo mas já era tarde, não saiu nada da equipa continental.

E, por incrível que pareça, lá vai Briguel novamente no lado direito, em velocidade passa pelo lateral leiriense e cruza novamente para Zé Carlos que já se preparava para o hatrick, pena foi o defesa central Leiriense ter cortado o lance com o braço.PENALTY.

Kanu é chamado à marcação e ZUMBBBBBBBAAAAAAA era o 3-0.

O jogo acabou com Rincon e Sergipano já em campo, por troca com Zé Carlos e Kanu.


Fim do jogo C.S.M 3 V.S U.D.L 0

Conclusão:
O Jogo valeu pela segunda parte, o Maritimo jogou na plenitude e provou que se defender bem complementa o bom ataque que tem e pode sempre obter bons resultados.
Acresceu ainda a grande dificuldade de arranjar espaços por entre a muito defensiva UNIÃO.O Maritimo está em 8 lugar e vai visitar o F.C.Penafiel.A Leiria é uma equipa fraca e muito defensiva.
Melhor jogador do Marítimo:
Zé Carlos pelos golos que marcou

Pior Jogador do Marítimo:
Mancuso, jogou mal mas também porque herdou inesperadamente a posição de Wenio que saiu lesionado. Não é a posição dele.

Pior Jogador do Leiria:
O João Paulo, alem do penalti que deu ao Maritimo esteve muito mal o jogo todo.

Melhor jogador do Leiria:
Maciel, é de facto o suporte da frágil equipa Leiriense.

Momento do jogo
O golo mal anulado ao Marítimo, em 4 jogos, já lá vão 3 situações iguais.Já começa a irritar.

FORÇA MARITIMO ALLEZ ALLEZ

Algures havia um jogo...

À 20ª jornada o Estrela abdicou de jogar a bola e foi passear até a Figueira da Foz.
Toni quis inventar e agora que já tem mais pontas-de-lança disponiveis aproveitou para entrar em campo com um mas desfez o Tridente Magico e talvez por aí tenha perdido o jogo.No Bessa não pôs o ponta-de-lança e começou a perder com um golo do defesa central, nesta jornada segurou o defesa mas não com a melhor solução.

O jogo começou amorfo e mal jogado de parte a parte, e aos 28 minutos mais uma lesão grave para os Tricolores, Pedro Simões saiu lesionado com gravidade, em principio terá fracturado o perónio.
No minuto seguinte surge o primeiro remate à baliza de todo o jogo... e golo!!! Foi o chamado dois em um, lesão grave e golo sofrido num só minuto.

Até aí o dominio pertencia à equipa da Reboleira mas sem situações de perigo real, mas pode-se dizer que foi um golo contra a corrente de jogo.
O Estrela tentou reagir já com Rui Borges em campo que entrara para substituir o capitão lesionado e o empate podia ter surgido ao minuto 40 com um excelente remate a corresponder excelente defesa do guardião da Naval.
Não percebo porque é que os treinadores só mexem na tactica (errada) depois de estarem a perder e invariavelmente não ganham nada com isso. Foi o que aconteceu uma vez mais com o Estrela.

A segunda parte não foi melhor, o Estrela partiu para cima do opositor e um remate de cabeça de Bevacqua não deu mais que uma boa defesa de Taborda.
Foi com o Estrela balanceado no ataque que a Naval marcou o segundo golo em que Fajardo aparece na area sem marcação alguma e não fez mais que empurrar a bola para a baliza.
Pouco mais houve até final muito por culpa da chuva que ao tornar o terreno pesado minou em muito os jogadores mais velocistas e tecnicistas do Estrela que pouco ou nada fizeram num terreno assim.
No final o que conta é que não somámos pontos e perdemos mais um jogo e um jogador.

Notas positivas:
  • Algures que não neste jogo deve ter havido.

Notas negativas:

  • Mais um derrota e mais uma lesão grave.