terça-feira, maio 31, 2005

Próximo Treinador do Benfica

Depois de confirmada a saida de Geovanni Trapattoni do comando técnico do Sport Lisboa e Benfica, fala-se de diversos treinadores para assumirem o cargo deixado pelo Italiano.
O Francês Paul Le Guen (ex-OL. Lyon), o Holandês Ronald Koeman (ex-Ajax), e o Espanhol José António Camacho, que já esteve há duas épocas na Luz.
Na vossa opinião qual o melhor Treinador para o Benfica, tendo em conta a filosofia do clube, metodo de jogo apresentado por cada Técnico, e curriculo dos mesmos?


Inglaterra - A vantagem do Factor Casa



Como se qualificou



A Inglaterra, como país organizador, não teve de se preocupar para garantir a participação no EURO 2005 de futebol feminino, mas procurou sempre não descurar a forma com jogos de preparação.
O ano de 2005 começou com um triunfo por 4-1, em Milton Keynes, sobre a Itália que também vai estar no Europeu. Portugal trouxe sorte às inglesas, que em Março disputaram a Algarve Cup, a Inglaterra venceu a Irlanda do Norte e Portugal por 4-0 e, depois, o México por 5-0, concluindo uma série de seis vitórias consecutivas, a melhor em 18 anos. A China ficou em sétimo lugar, no desempate por grandes penalidades, após um empate a zero, mas a Inglaterra parece chegar a este campeonato Europeu na melhor forma e no momento certo.

Historial da Selecção Inglesa


A Inglaterra esteve sem perder durante dois anos e meio após o seu primeiro jogo internacional, e, como tal, é uma das potências tradicionais do futebol feminino e é com naturalidade que acolhe este ano, a fase final de um Campeonato Europeu de futebol. Esta será a primeira vez que a Inglaterra recebe a fase final desta competição, desde que, em 1987, a prova se decide apenas numa única fase.
Embora a Inglaterra tenha recentemente perdido protagonismo para países como a Noruega, a Alemanha ou a Suécia, este país continua a ser um adversário temível, tanto mais que a crescente importância da Premier League feminina, que se iniciou em 1993, forneceu a selecção com uma dose de enorme talento. Prova disso é a equipa do Arsenal LFC, que tem diversas internacionais inglesas. O emblema está actualmente nas meias-finais da Taça UEFA, que terão lugar em Abril. A Inglaterra é um dos países que fomenta sériamente a ideia de que as mulheres também têm capacidades para jogar futebol, e por isso esta modalidade é inserida na via de ensino desde muito cedo, dando hipotese e apoios financeiros ás raparigas de poderem seguir carreira no mundo futebolistico.


A guarda-redes titular, Rachel Brown, é uma das várias jogadoras que tem experiência no futebol universitário norte-americano, enquanto a capitã Faye White é um esteio da defesa, ao lado da versátil Rachel Unitt e de Mary Phillip. Katie Chapman avançou para o meio-campo com sucesso, dando liberdade a Rachel Yankey e a Sue Smith nas alas. No ataque, a habilidade de Kelly Smith e de Amanda Barr foi reforçada pelo despontar de jovens como Eniola Aluko e Ellen Maggs.
Embora exista um novo troféu para entregar às vencedoras do Europeu de 2005, o troféu original foi entregue pela primeira vez em Inglaterra, em Maio de 1984. Após terem perdido por 1-0, em Gotemburgo, na primeira mão da final, as inglesas impuseram-se, também por 1-0, em Luton, obrigando à disputa de um prolongamento e do desempate por grandes penalidades. As suecas venceram por 4-3.
Este ano as coisas serão diferentes mas a Inglaterra, que conta com o apoio entusiástico do seu público, espera ter o mesmo espírito que tiveram as suas antecessoras, que há quase duas décadas ficaram a um pequeno passo do título europeu.
Apesar do desempenho das equipas Nordicas estar a subir imenso a Inglaterra conta já com um bom palmarés Europeu no mundo do futebol: Finalistas em 1984; semi-finalistas em 1987 e 1995; quartos-de-final em 1991 e 1993; fase de grupos em 2001, enquanto que no Ranking Mundial encontram-se em 14 lugar.

A Seleccionadora



Nascida em Londres, Hope Powell começou a jogar futebol com onze anos, jogando como centrocampista no Millwall Lionesses. Mais tarde alinhou pelo Friends of Fulham e pelo Croydon LFC, tendo ganho a FA Women's Cup por três vezes e sagrando-se campeã de Inglaterra em 1996. A sua carreira na selecção começou aos 16 anos, num jogo com a República da Irlanda, tendo feito parte da equipa que chegou aos oitavos-de-final do Campeonato do Mundo feminino de 1995, disputado na Suécia.
Após 35 golos em 66 jogos por Inglaterra, em 1998, Powell tornou-se a primeira treinadora do seu país, tendo actualmente à sua responsabilidade todas as selecções femininas inglesas, desde os sub-15 até aos seniores. Em 2003 tornou-se na primeira mulher a receber a UEFA Pro Licence. Hope Powel foi ainda distinguida com a Ordem do Império Britânico (OBE) pela Rainha, e guiou a selecção ao Campeonato da Europa de Futebol Feminino de 2005.



Assim sendo esta é uma Selecção que terá o factor casa e o seu publico entusiasta como grande factor, mas quererá de certo mostrar porque já foi considerada uma das melhores Selecções do Mundo, voltando de novo ao estrelato. Para isso a selecção Inglesa terá de defrontar um grupo muito complicado composto por um trio Escandinavo : Dinamarca, Finlândia e Suécia.
O primeiro jogo das Inglesas será frente á Finlândia, dia 5 de Junho ás 19.00(hora local), no estádio de Manchester City FC.

Convocações Oficiais da Seleção Brasileira

ELIMINATÓRIAS

Goleiros

Dida (Milan) e Marcos (Palmeiras)

Zagueiros

Juan (Bayer Leverkusen), Lúcio (Bayern de Munique), Luisão (Benfica) e Roque Júnior (Bayer Leverkusen)

Laterais

Cafu (Milan), Belletti (Barcelona), Roberto Carlos (Real Madrid) e Gilberto (Hertha Berlin)

Meio-campo

Emerson (Juventus), Gilberto Silva (Arsenal), Zé Roberto (Bayern de Munique), Juninho Pernambucano (Lyon), Renato (Sevilla),Kaká (Milan), Ronaldinho (Barcelona) e Ricardinho (Santos)

Atacantes

Grafite (São Paulo), Adriano (Internazionale), Robinho (Santos) e Ricardo Oliveira (Betis)


COPA DAS CONFEDERAÇÕES

Goleiros

Dida (Milan), Marcos (Palmeiras) e Gomes (PSV)

Zagueiros

Juan (Bayer Leverkusen), Lúcio (Bayern de Munique), Luisão (Benfica) e Roque Júnior (Bayer Leverkusen)

Laterais

Cicinho (São Paulo), Belletti (Barcelona), Léo (Santos) e Gilberto (Hertha Berlin)

Meio-campo

Emerson (Juventus), Gilberto Silva (Arsenal), Zé Roberto (Bayern de Munique), Juninho Pernambucano (Lyon), Renato (Sevilla), Kaká (Milan), Ronaldinho (Barcelona) e Alex (Fenerbahce)

Atacantes

Ronaldo (Real Madrid), Adriano (Inter de Milão), Robinho (Santos) e Ricardo Oliveira (Betis)

Ronaldo é Dispensado da Seleção

O craque do Real Madrid, Ronaldo, conseguiu a dispensa da copa das confederações, mas tambem foi dispensado dos dois jogos pelas eliminatórias. Ronaldo se diz surpreso com a tambem dispensa dos jogos das eliminatórias, e que estava em condições de disputalos.
Para lugar do astro do Real Madrid, o técnico Carlos Alberto Parreira chamou Grafite, do São Paulo, que disputará somente os jogos contra o Paraguai, neste domingo, em Porto Alegre, e contra a Argentina, no dia 8, em Buenos Aires. Para a Copa das Confederações, o convocado foi Júlio Baptista.
"O Ronaldo alegou problemas particulares que o impedem de se dedicar à Seleção Brasileira no momento. Então a comissão técnica resolveu liberá-lo", disse o treinador.
Além de Ronaldo, outro que venceu a batalha com a CBF foi o Santos. O atacante Robinho e o meia Ricardinho poderão se apresentar na quinta-feira, junto com Grafite, um dia depois do jogo contra o Atlético-PR, pela Copa Libertadores.
A CBF atendeu ainda a um pedido do atacante Ricardo Oliveira, que agora poderá se apresentar para a Copa das Confederações no dia 12 de junho, em Leverkusen. Assim, estará em campo um dia antes pelo Betis, na final da Copa do Rei contra o Osasuña.

segunda-feira, maio 30, 2005

Dinamarca – Uma Selecção Implacável



Como se qualificou
A vitória sobre a Noruega, por 2 – 1, a 27 de Maio de 2004, foi decisiva no apuramento da Dinamarca para o EURO 2005. A Dinamarca terminou na fase de grupos, como vencedora do Grupo 2 de apuramento.
A Espanha, a Holanda e a Bélgica não ofereceram muita resistência às duas equipas nórdicas, mas foi graças a um golo de Lene Jensen, nos últimos minutos de jogo, que a Dinamarca ganhou a vantagem decisiva sobre a Noruega, deixando esta em segundo lugar contra todas as expectativas. Com 26 golos apontados, as dinamarquesas suplantaram novamente a Noruega - que se apurou para o Europeu da Inglaterra via "play-off" - no capítulo de melhor ataque. Jensen revelou-se o principal nome do ataque dinamarquês, mas Merete Pedersen também esteve muito concretizadora, marcando quatro golos na vitória por 6-0 sobre a Bélgica, com Anne Nielsen e Janni Lund Johansen a fazerem um "hat-trick" na vitória fora, por 6-1, sobre o mesmo adversário.

Historial da Selecção Dinamarquesa

A Dinamarca desde cedo deixou a sua marca no futebol feminino ao vencer o primeiro, apesar de oficioso, Campeonato do Mundo, em 1970. Lideradas pela capitã Lis Lene Nielsen e pela goleadora, de apenas 15 anos, Susanne Augustesen, a Dinamarca era a melhor selecção do Mundo na altura, tendo vencido novamente a competição, em 1971.
Esse segundo triunfo fez com a que equipa entrasse na Federação Dinamarquesa de Futebol (DBU), mas esse reconhecimento oficial não trouxe sucesso à equipa. Comandadas pelo entusiasmo da avançada Lone Smidt Nielsen, que, entre 1977 e 1986, jogou 53 partidas internacionais consecutivas, a Dinamarca chegou à meia-final do Campeonato da Europa de 1984. Mas apenas no início dos anos 90 é que as nórdicas voltaram a mostrar um futebol de expressão mundial.
A Dinamarca recebeu o Europeu de 1991, e em que terminou em terceiro lugar. Depois de ter participado nos Jogos Olímpicos de 1992, as dinamarquesas, voltaram, em 1993, a chegar às meias-finais de um Europeu. Nessa ocasião perderam com a futura campeã - a Noruega - mas acabaram o torneio da melhor forma, ao baterem a Alemanha, por 3-1, no jogo de atribuição do terceiro e quarto lugares. Em 2001, a Dinamarca voltou a chegar às meias-finais, perdendo, desta feita, 1-0 com a Suécia.
Nos Campeonatos do Mundo, a Dinamarca apurou-se para três das quatro edições disputadas, tendo chegado aos quartos-de-final em 1991 e 1995, mas, em 1999, teve uma participação para esquecer, não chegando a ganhar uma única partida. Não se apuraram em 2003, mas o paciente trabalho de base já está a dar dividendos, conforme atesta a impressionante carreira da Dinamarca rumo à fase final do Europeu de 2005. Ganharam o Grupo 2 de apuramento, à frente da poderosa Noruega e mostraram a sua grande forma, em Dezembro de 2004, altura em que empataram e, a seguir, venceram na casa das campeãs Olímpicas, os Estados Unidos.

A selecção é alicerçada na equipa do Brøndby IF, que fornece a guarda-redes Tine Cederkvist, as médias Anne Dot Eggers e Catherine Paaske Sørensen, e a avançada Julie Rydahl Bukh, que faz dupla no ataque com a melhor marcadora da equipa, Merete Pedersen, a qual, ao apontar quatro golos na vitória por 6-0 frente à Bélgica, em Setembro de 2004, concretizou a passagem da Dinamarca à fase final da competição, em Inglaterra.
A Dinamarca conta já com um excelente Palmarés Europeu: terceiro em 1991 e 1993; semi-finalista em 1984 e 2001; quartos-de-final em 1989 e 1995; fase de grupos em 1997, enquanto que no Ranking Mundial está posicionada em 7º lugar.

O Seleccionador

Peter Bonde deveria render Poul Højmose como treinador da equipa feminina da Dinamarca depois do Campeonato Europeu. Com Højmose, surpreendentemente, a abandonar o cargo em Março, a Federação Dinamarquesa de Futebol (DBU) não hesitou em chamar o técnico de 47 anos de idade.
Tendo jogado no Næstved BK, Lyngby FC, Herfølge BK, e Nykøbing Falster Alliancen, Bonde treinou o Kalundborg GB – tendo alcançado a subida de divisão e a final da Taça da Dinamarca. O seu papel como adjunto de Morten Olsen no UEFA EURO 2004, em que a Dinamarca nos quartos-de-final, significa que está confortável a competir num Europeu.
Desde 2000, que trabalha na DBU e integra o Comité de Instrutores Técnicos da UEFA. Mesmo depois de aceitar o cargo, esteve como assistente do habitual adjunto, Keld Bordinggaard no jogo de qualificação para o Campeonato do Mundo com o Cazaquistão, quando Olsen foi castigado, e viajou para o jogo com a Ucrânia, de onde ia dando informação as treinadores durante o encontro.
“No momento, temos a equipa feminina mais talentosa em muitos anos”, disse. “A DBU está a investir no futebol feminino, e temos grandes expectativas para a selecção – o que nos coloca sob pressão”.

Resta dizer que esta Dinamarca está mais que confiante, e este ano o Seleccionador Dinamarquês apostou na experiência das jogadoras e no entrosamento já existente entre elas.
A juventude aliada á experiência de algumas jogadoras faz com que esta Dinamarca que já vençeu na fase de Grupos a sua grande rival Noruega, se torne uma das mais sérias candidatas a vençedora do EURO 2005. A Dinamarca encontra-se no Grupo A, tendo como adversárias no mesmo grupo a Inglaterra, Finlândia e Suécia.
O primeiro jogo Dinamarquês será contra a Suécia, dia 5 de Junho, pelas 17.00( hora local inglesa).

Fluminense empata, Santos perde e Botafogo assume a liderança

O Botafogo(1º) é o novo líder isolado do Campeonato Brasileiro. A equipa alvinegra derrotou o lanterna Atlético-PR(22º), por 2 x 0, neste domingo, no estádio Luso-Brasileiro, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.


O Palmeiras(14º) venceu o Santos(4º) por 2 x 1, neste domingo, no Parque Antarctica, e quebrou um jejum de seis jogos - três pela Libertadores e três pelo Brasileirão - sem vitória.
Já o Fluminense(3º) empatou por 0 x 0 com o Flamengo(10º), em Volta Redonda, neste domingo, e perdeu a chance de ser o novo líder do Campeonato Brasileiro.


A equipe tricolor soma 13 pontos, apenas dois a menos que o rival Botafogo. Durante o jogo, o atacante Jean do Flamengo, caiu desarcordado mas já passa bem, a suspeita inicial foi a de Hipoglicimia (baixa taxa de açucar no sangue).


No retorno do goleiro Fábio Costa, afastado desde o início do mês, o personagem da partida foi o atacante Carlos Tevez, autor do golo da vitória do Corinthians(8º) sobre o Atlético-MG(20º), por 1 x 0, no estádio do Mineirão.
Abrindo três golos de vantagem no primeiro tempo, a Ponte Preta(6º) venceu o Vasco Gama(14º) por 4 x 2 em Campinas.


Com um golo do meia-atacante Fernandão, o Inter(4º)venceu o Fortaleza(14º) por 1 x 0 no Beira-Rio, Porto Alegre.
O Juventude(2º) venceu o Coritiba(9º) fora de casa por 2 x 0 e manteve a invencibilidade do Campeonato Brasileiro, em seis rodadas disputadas.
No estádio Boca do Jacaré, o Brasiliense(17º) venceu o Paraná(17º) por 1 x 0, e quebrou uma invencibilidade do time paranaense em jogos fora de casa.


Na estréia do artilheiro Roger, o São Paulo(10º) ficou no empate por 1 x 1 com o Cruzeiro(6º) no estádio do Morumbi, Adriano marcou pelo Cruzeiro e Rogério Ceni pelo tricolor paulista.
Em partida muito tumultuada, o Figueirense(20º) venceu o São Caetano(10º) por 2 x 0 no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.
O Paysandu(17º) venceu o Goiás(10º) por 1 x 0 em partida disputada no estádio do Mangueirão, em Belém do Pará.

domingo, maio 29, 2005

European Women’s 2005



E depois de ter terminado a semana passada a Super Liga, nada melhor que continuar a falar de futebol mas no feminino, dando destaque para o European Women’s 2005 em Inglaterra, cuja fase final começará dia 5 de Junho e terminará a 19 de Junho.Sem duvida este evento mereçe o maior destaque, não só porque se trata de um Europeu, como acima de tudo é jogado por mulheres, cujas qualidades futebolisticas, têm vindo a proporcionar excelentes espectaculos de Futebol ao mais alto nivél, provando de uma vez por todas que futebol não é desporto exclusivamente feminino.Assim sendo e porque sempre fui uma acérrima defensora do futebol feminino, nada como acompanhar de perto este campeonato, apresentando o seu historial, e as 8 Selecções que nele vão participar.

Elite Europeia


A ascensão contínua do futebol feminino, de onde se destaca um enorme aumento de popularidade durante a década de 90, teve origem na organização do primeiro Campeonato da Europa Para Selecções Femininas da da UEFA, no início da década de 80. A UEFA leva a efeito a fase de qualificação para o Europeu de futebol feminino, que ocupa dois anos, e a fase de apuramento para o Campeonato do Mundo, também no período de dois anos, com cada uma das provas a ser dividida em duas divisões, consoante a qualidade das selecções envolvidas. Pela primeira vez, a qualificação para o UEFA WOMEN'S EURO 2005™, a elite europeia contou com 20 selecções o que é uma novidade pois até agora apenas continha 16 Selecções - divididas em quatro grupos de cinco equipas.

Triunfo Sueco


O primeiro campeonato foi disputado entre 1982 e 1984. Nessa altura, 16 equipas lutaram para chegar à final, que foi disputada a duas mãos. A decisão entre a Suécia e a Inglaterra foi muito equilibrada. Ambas as equipas venceram os jogos que disputaram em casa por 1-0. Depois no desempate por grandes penalidades, em Luton, a 27 de Maio de 1984, a Suécia impôs-se por 4-3.

Impulso Norueguês


Estas equipas voltaram a encontrar-se na edição de 1984/87, desta vez nas meias-finais, onde a Suécia voltou a levar a melhor, conseguindo o apuramento para uma final nórdica com a Noruega. As norueguesas, que já tinham impressionado na meia-final, ao baterem a Itália por 2-0, voltaram a estar impecáveis e venceram, em Oslo, por 2-1, dando um enorme impulso a este desporto no país.

Maior estatuto


A Noruega era o alvo a abater na edição de 1987/89. As nórdicas estiveram quase a ser eliminadas na primeira fase, mas conseguiram ficar em segundo lugar no grupo ao baterem, fora de casa e na última jornada, a Inglaterra por 3-1. A Dinamarca, em rápida ascensão, foi a vencedora da 'poule'. A República Federal da Alemanha chegou facilmente à final, e, confirmando o estatuto de favorita, bateu a Noruega, por 4-1, em Osnabrück, em Julho de 1989.

Desporto em crescimento


A prova ganhou o estatuto de Campeonato da Europa da UEFA e as detentoras, que agora eram simplesmente da Alemanha, após a unificação que ocorreu em Outubro de 1990, voltaram a triunfar na edição de 1989/91. A Noruega reduziu a diferença, mas não impediu a derrota. Desta vez, perdeu por 3-1, em Aalborg, na Dinamarca. Apesar do domínio alemão, o desporto feminino estava em crescimento em todo o continente, como veio a provar a ascensão da Itália na segunda edição do Campeonato da Europa Feminino.

Experiência impõe-se


As "Azzurre" venceram a Alemanha nas meias-finais, conseguindo o apuramento para a decisão com as norueguesas, que tinham sido derrotadas em duas finais consecutivas. A experiência da Noruega em grandes jogos impôs-se na final, pois as nórdicas bateram as anfitriãs, por 1-0, em Cesena. A fase final de 1993/95 foi disputada, mais uma vez, na Alemanha e a equipa da casa beneficiou do forte apoio do público para bater a Suécia, por 3-2, em Kaiserslautern.

Investimento resulta


O investimento no futebol feminino dava resultados na Alemanha e este país venceu, também, a edição seguinte, que teve lugar na Noruega, ao bater a Itália, por 2-0, na final, realizada em Oslo, a 12 de Julho de 1997. Esta foi a primeira fase final que teve a participação de oito equipas e foi a última vez em que o campeonato teve uma periodicidade de dois anos. Agora, tem lugar de quatro em quatro anos e serve, também, como apuramento para o Campeonato do Mundo, o qual também tem lugar a cada quatro anos.'

Hat-trick' de títulos


Após ter triunfado em 1995 e de 1997, a Alemanha completou o 'hat-trick' de títulos em 2001, ao bater as velhas rivais da Suécia. Na final de Ulm, Claudia Müller marcou o 'golo de ouro' que deu a vitória às germânicas por 1-0. O poder do futebol europeu foi ainda mais destacado pela vitória da Alemanha, sobre a Suécia, na final do Campeonato do Mundo de 2003. Ambas as equipas estão entre os oito finalistas que vão lutar pelo Campeonato da Europa de 2005, cuja fase final terá lugar em Inglaterra.

Nações em desenvolvimento


Para este campeonato a Inglaterra qualificou-se automaticamente para a fase final na qualidade de equipa anfitriã, à qual se juntaram as quatro vencedoras de grupos (Suécia, Dinamarca, França e Alemanha), com as restantes três vagas a serem ocupadas pela Finlândia, Itália e Noruega, apuradas na sequência dos 'play-offs' envolvendo as quatro 2ªs classificadas e as duas melhores 3ªs posicionadas. Houve, igualmente, um incentivo para que selecções onde a variante feminina não tem grande expressão continuem a melhorar a sua qualidade, com Áustria, República da Irlanda, Bielorrússia, Grécia e Israel a serem promovidas à elite, podendo, deste modo, integrar os cinco grupos de cinco equipas de apuramento para o Campeonato do Mundo de 2007. Neste aspecto Portugal ainda continua um pouco atrasado, se bem que neste momento já sabe quem será a Selecção adversária na fase de apuramento para o Mundial de 2007 a grande potência Sueca.

Dois grupos


As oito finalistas foram divididas em dois grupos com quatro equipas cada, tendo somente a Inglaterra conhecido a sua posição no sorteio da fase final, para o qual não era cabeça-de-série. Cada selecção defronta as restantes três adversárias no grupo, sendo utilizado um sistema de campeonato (com três pontos para a vitória, um para o empate e zero em caso de derrota) para decidir a classificação e os apurados para as meias-finais, onde os vencedores de grupo defrontarão os segundos classificados da outra 'poule'. Os vencedores discutirão a final, não se disputando qualquer encontro de atribuição dos 3º e 4º lugares.

Alteração positiva


Em 2005, a UEFA mudou as operações relativas ao futebol feminino para o departamento de futebol profissional e marketing por forma a maximizar o potencial desportivo e comercial da variante feminina. Esse propósito mereceu o seguinte comentário do director-executivo da UEFA, Lars-Christer Olsson: "Sinto orgulho em dizer que o futebol feminino mudou da nossa divisão de desenvolvimento para a de futebol profissional e marketing. Esta alteração vem reflectir a crescente importância que temos dado e continuaremos a dar ao futebol feminino".

Éra bom que finalmente se mudassem as mentalidades Portuguesas em relação a esta modalidade, pois como vemos, lá fora este desporto é um sucesso completamente apoiado pela UEFA. Seria um grande orgulho para o nosso País poder vibrar com a nossa Selecção Feminina numa fase final de um Europeu, e acreditem que é tão ou mais excitante que os Europeus Masculinos, mas para isto aconteçer, é necessário darem-se condições para que se vejam resultados, porque até a Selecção Israelita têm melhores condições e apoios que nós….

...Féta é féta!

Realizou-se mais uma edição da Taça de Portugal, uma das mais míticas provas do futebol Português e logo com um clássico na final, um Benfica x Vitoria de Setubal. Frente a frente um dos primeiros vencedores do trofeu contra o que o arrecadou por mais vezes.


O Benfica começou melhor. Embalados pela onda vermelha, os encarnados logo aos 5 minutos de jogo ja gritavam golo na festa do futebol que encheu de cor a bela mata do Jamor num dia de festa. A partir daí, os Sadinos sob a voz de comando de José Rachão foram em busca do prejuizo. Jorginho e Manuel José pegaram no jogo e o Vitoria passou a ter o comando das operações. O golo acaba por surgir depois de muita insistencia por Manuel José (com o contributo infeliz de Ricardo Rocha). O Benfica desperta mas apenas se volta a ver a tenacidade da águia no final da primeira parte. Ao intervalo 1-1 ...a festa continuava em aberto.


Na segunda parte Trapattoni da a formula para atacar a segunda metade do encontro. A entrada de Dos Santos foi fundamental para colmatar a fragilidade de Fyssas perante a irreverencia de Manuel José. O Setubal apostava tudo no contrataque, dando a iniciativa de jogo aos encarnados que raramente conseguiam desmontar a rede defensiva dos sadinos.

Depois de um forte remate de Ricardo Chaves (curiosamente natural de Chaves) que Moreira não consegue segurar aparece Meyong a facturar perante uma defesa encarnada com uma passividade gritante. O Vitoria dava a volta ao jogo, colocava-se em vantagem e preparava-se para re-escrever o seu nome na lista de vencedores de tão historico trofeu. Delibasic, Mantorras, Igor e Binho nada trouxeram ao jogo.


Notas Negativas:
-Fyssas: ...atitude pouco ou nada profissional de um jogador que não aceita a decisão (JUSTISSIMA) do seu treinador
-O Arbitro: Tarde infeliz para o arbitro da partida. Péssimo a ajuizar os lances. Terrivel nos critérios. Foi o pior em campo.

Notas Positivas:
-Helio: Campeão do mundo sub-19 pela selecção das quinas, dedicou toda a carreira ao Vitoria. Levantou a taça.
-A bola: Finalmente se jogou com uma bola como deve ser...e que diferença se viu. Há que esquecer o saudosismo da 'Roteiro' e jogar com a bola que as grandes ligas e provas europeias adoptam.
-José Rachão: Soube ler o jogo, soube substituir e montou muito bem a estratégia para este jogo. Foi o seu ultimo jogo no comando técnico dos de Setubal...uma pena.
-O publico: São eles que fazem a festa do futebol.

Por fim...será caso para dizer que o furacão Sadino acabou com a onda vermelha?


Ricardo Martins (Libelinha) -Para o FuteboldeAtaque

91 anos de história



No dia 9 de Junho o Académico faz 91 anos de vida. A SAD viseense e a TBZ estão a programar uma grande festa para esse dia, um jogo de futebol entre "Deco e amigos e "Petit e amigos", onde estarão entre outros: Deco, Petit, Quaresma, Sérgio Conceição, Miguel, Zé Castro, Neno, Rui Esteves e as estrelas academistas, tudo isto para angariar fundos para pagar salários em atraso, há ainda a possibilidade de um canal televisivo fazer a cobertura do jogo, espero que os viseenses adiram em força.


O futuro do Académico continua negro. Rui Bento pode rumar até Matosinhos e o plantel terá por certo uma nova razia. A dupla Jorge Manuel Mendes / Jorge Mendes ameaça bater com a porta se as forças vivas da cidade não apoiarem mais o clube, adivinha-se um defeso escaldante.


A época desportiva acabou com um empate em Oliveira de Azeméis com o golo da Oliveirense a surgir aos 95 minutos e acabamos assim em 3º lugar. Destaco nesta equipa do Académico Jorginho um jogador acima da média para a divisão em que está , Rogério um capitão com garra e muito amor ao Académico, Álvaro um jogador muito jovem que vem provar que as escolas estão a trabalhar bem e Nelson um defesa esquerdo que é um especialista em bolas paradas. Como pior jogador não tenho dúvidas nenhumas em eleger Caju um jogador em quem depositei muitas esperanças mas que não percebi o que veio fazer para Viseu.

sábado, maio 28, 2005

Sporting Vençe Taça Amizade

Depois da Taça Amizade em NewCastle..... Os leões, que estiveram a pouco mais de meia hora de conquistar a Europa, pela Taça UEFA que lhes escapou por entre os dedos em Alvalade, frente os russos do CSKA, acabaram a temporada com uma derrota (outra) ante o Nacional que obrigará os Leões a disputar a pré-eliminatória da Liga dos Campeões, e a começar a pré-temporada mais cedo - a ganhar. Após terem arrebatado o troféu de pré-época em Newcastle, conquistaram a Taça da Amizade na... "pós-época".
Na deslocação a Paris, para disputar a Taça Amizade, José Peseiro levou uma equipa praticamente renovada. Santamaria, Mota e Niculae foram as principais surpresas no 11 inicial, enquanto que o banco de suplentes estava preenchido com jogadores oriundos da formação e que estiveram cedidos por empréstimo a outros clubes.
No 11 que entrou em campo para disputar a Taça Amizade, frente ao Hertha de Berlin, Mário Sérgio ocupou o lado direito da defesa, Polga e Santamaria encarregaram-se do eixo defensivo e Paíto ficou encarregue do lado esquerdo. No meio campo, Moutinho, Custódio, Hugo Viana e Sá Pinto apoiaram a dupla de atacantes constituída por Mota e Niculae. O Hertha de Berlim, num 3-5-2 consistente e volátil, mostrou a habitual frieza que caracteriza o seu jogo e mediante a magia de Marcelinho e Basturk, contrariou o aparente domínio dos "leões", ao fazer lembrar à equipa de Peseiro o terror do contra-ataque.
No primeiro tempo da partida, o Hertha de Berlin assumiu uma atitude muito mais competitiva que o Sporting, fruto talvez do pouco entrosamento existente entre os “leões” que alinharam de início. O resultado disso foi o facto dos Leões terem saído para o intervalo a perderem por 2-0. O primeiro golo surgiu aos 13 minutos depois de uma falha defensiva do Sporting, e Wichniarek soube aproveitar para marcar um excelente golo que apareceu de um lance de contra-ataque pela direita, vindo de um passe soberbo do brasileiro Marcelinho.
Ainda antes do intervalo, José Peseiro já tinha procedido a uma alteração. Ricardo saiu aos 32 minutos e deu o lugar a Tiago. O Sporting tornou a sofrer um novo golo aos 41 minutos depois de um lance rápido de contra-ataque com Mansiz a concluir com êxito sem que Tiago, que entrou para o lugar de Ricardo, conseguisse evitar o remate do adversário.
O segundo tempo foi marcado por muitas alterações - Peseiro só não utilizou Carlos Marques e Varela; Gotz deixou no banco, até final, Schumann. Mas, sobretudo, houve uma alteração significativa na equipa do Sporting, em termos de atitude: Sá Pinto acabou por converter um penálti a punir falta de Schmidt sobre Niculae que foi carregado na área do Herta aos 55 minutos. O golo trouxe um novo animo aos jogadores que mudaram radicalmente de atitude. Santamaria foi um digno companheiro de Polga no eixo da defesa, Moutinho um "capitão" em potência, Niculae o elemento mais efectivo do ataque, Edgar Marcelino e Douala emprestaram fantasia e velocidade ao ataque.
A equipa dos Leões estava realmente muito motivada e jogava com calma, e velocidade, trocavam a bola e procuravam efusivamente o ataque á balisa adversaria, e foi aos 68 minutos numa jogada de insistência de Paíto, que rematou primeiro contra um jogador contrário, depois a bola sobrou para Douala que passou para Moutinho, e este assistiu o lateral moçambicano para o golo do empate.
Depois de uma agressão impune de Simunic a Niculae e como nenhuma das equipas conseguiu chegar ao golo da vitória até ao fim do tempo regulamentar, foi necessário recorrer ás grandes penalidades e aí o Sporting vençeu por 5 – 4, com João Moutinho a marcar o derradeiro penalty, e com Nelson a ser o heroi do jogo ao defender o penalti marcado pelo defesa croata do Herta.
Esta vitória, pôs fim á época desportiva do Sporting, e pôs certamente os muitos emigrantes em jubilo com o sucesso alcançado, mas certamente, se Peseiro continuar no Sporting, ele e a sua equipa técnica terão que tomar decisões serias em relação á nossa defesa, porque no próximo ano, não disputaremos Taças Amizades todas as semanas…
Mesmo assim, tenho fé no meu Sporting, e espero que as nossas fraquezas sejam comatadas para que posssamos fazer uma boa época que se avizinha competitiva, se formos tomar em lembrança a época passada.
Assim sendo Parabens Sporting!!!

sexta-feira, maio 27, 2005

Liverpool CAMPEÃO EUROPEU: Noite Mágica



Adoro finais! Não sei porquê!? Mas é um misto de emoção e daquele bichinho…
O Estádio Olímpico Atatürk, na Turquia foi pequeno para tamanho espectáculo! A finalíssima de quarta-feira, que opôs as formações do AC Milan e do Liverpool foi das mais lindas que vi até hoje!


Não estava mesmo nada á espera... mesmo nada! Pelo menos apostava que seriam os italianos a levarem a taça e a sucederem ao FCP. O jogo até começou bem para os italianos que antes do primeiro quarto de hora inauguraram o marcador através de Maldini, e antes do fim do primeiro tempo regulamentar levavam uma vantagem de três golos sobre os ingleses que pareciam completamente detonados!
Mas eu lembro-me, (porque jamais me esquecerei) de quando na final de 99/00 o Manchester United frente ao Bayern matou o jogo em apenas dois minutos, com dois golos apontados de canto, todos eles saídos do pé mágico (do então mágico) David Beckam...
Entre dentes, tive tempo de comentar... "estes ingleses são manhosos!"


Para o inicio da segunda parte, as minhas apostas eram as de que os golos iam continuar a aparecer... mas quando o capitão dos "reds", Gerrard como que renascido sei lá do quê desmarca-se da defensiva do Milan, bate Dida, reduz a desvantagem e antes que o diabo pudesse esfregar um olho já mais dois lá cantavam...entrei em histeria! Mas que raio de jogaoooooooooooooooooooooooooo! Não acredito que cidadão algum, de parte alguma do mundo que estivesse a assistir á partida tenha tido vontade de fazer algo que não fosse continuar a ver aquele magnifico espectáculo de futebol. Um verdadeiro regalo para os olhos! No fim do tempo regulamentar e do prolongamento a derradeira partida foi resolvida na marca das grandes penalidades...


donde o Liverpool saiu vencedor! Em campo, verdadeiros profissionais, um leque de estrelas e veteranos duma postura sensacional, o jogo (acredito) acabou por ganhar com isso! Em 120 minutos de jogo, nem um único cartão assinalado pelo arbitro espanhol destacado para o evento. Definitivamente, soberbo! Se todos os jogos fossem assim...

Pela continuidade...

Depois de Pedro Roma, é agora a vez de Andrade e do treinador de guarda-redes Luis Matos de renovarem contracto e assim se manterem abraçados ao clube e ao projecto de futuro da Académica.


O trinco Andrade juntou-se ao grupo de trabalho em Dezembro e foi pouco utilizado em virtude da sua paragem prolongada. Nelo Vingada, em conferencias de imprensa, reforçou varias vezes o valor de Andrade e a sua utilidade para os estudantes. O numero 30 fica, assim mais uma época com o brioso emblema ao peito com mais um ano de opção.


Passo a passo vai-se definindo o futuro e garantindo as bases para uma proxima época em grande.

quinta-feira, maio 26, 2005

Fernando. De Moreira para Coimbra...a caminho da Europa!

O médio-ala esquerdo Fernando, ex-Moreirense, rubricou ontem um contrato válido por três temporadas com a Académica. O jogador, de 24 anos, terminou a ligação ao Moreirense no final da temporada, o que o tornou num alvo apetecível para vários clubes da SuperLiga.

Há apenas dois anos no futebol português, onde chegou para representar o Varzim, Fernando destacou-se na época recentemente finda pelo excelente início de campeonato, com vários golos apontados e exibições de alto nível.

A contratação do atleta brasileiro colmatará as lacunas da Académica no lado esquerdo do ataque.

Domingo dia de futebol

Não quis deixar acabar a época futebolistica sem ir ver um jogo da 2ª Divisão B Zona Centro.
Esta ano ainda não tinha ido ver o Vilafranquense uma única vez, também por culpa dos maus resultados.
Penso que bateram um record qualquer de derrotas, com 14 derrotas consecutivas, que começou na jornada 8 e só acabou, já na segunda volta, na jornada 22, quando ganharam fora!!! em casa do Estarreja.
Pior mesmo só na Zona Norte o Salgueiros que teve 28 derrotas consecutivas, desde a jornada 1 até á jornada 29 onde empataram 0-0 em casa com o Valenciano.


Em 20 minutos de comboio chego a Vilafranca. O jogo até era atraente, O União local joga com a equipa mais estranha dos campeonatos Nacionais, o Tourizense.
Acho estranho que uma terra com 170 habitantes, Touriz, tenha uma equipa a jogar na 2ª Divisão B, que é um escalão semi-profissional.
Quem financia esta equipa? E porquê? Com dinheiro proveniente do quê? Os jogadores são todos emprestados de clubes como o FC Porto, Académica ou Estrela Amadora. Disse o presidente uma vez na televisão que era pelos bons contactos que tem com certos clubes.
Agora pergunto eu, e os outros clubes de terras mais "ricas" não teem? Os clubes grandes preferem por jogadores a rodar num clube de uma terra que mal existe no mapa? Sempre achei, e acho, isto muito estranho.
Mas como o clube até tem jogadores do Estrela Amadora fui até lá dar uma vista de olhos.

O campo do Cevadeiro, encontra-se ao lado da linha de comboio e cria-se uma atmosfera engraçada, porque aos mesmo tempo estamos a ver o jogo e a ver os comboios a passar, já que do lado da linha a bancada, só tem três degraus.
Para não variar sentei-me no lado dedicado aos sócios e não dos visitantes, que seria ao sol. Menos mal, tem sido quase sempre assim em todos os campos a que vou, embora seja unicamente sócio do Estrela Amadora.


O jogo começa com um ataque do Vilafranquense, num cruzamento para a área Ricardo Costa, do Tourizense, marca na própria baliza.
Estavam decorridos 2 minutos de jogo e o último classificado ganhava a uma equipa muito jovem mas com grande qualidade ao nível do seu futebol.
O jogo decorria so com uma tendência, a baliza "vermelha" do União. Era um massacre atacante chegando a ser exagerado, so faltava mesmo a finalização, varias vezes os jogadores "de negro", apareceram isolados frente ao guarda-redes, mas os remates ou saiam torto ou o numero 1 local defendia.
O União so voltou a equilibrar a partida a partir do minuto 20, e num raro ataque consegue ganhar um livre directo à entrada da area, descaido pela direita do seu ataque.
O remate é feito de forma rasteira, passando pela barreira, e quando se pensa que o guarda-redes tinha dominado a situação, vê-se que afinal o remate ia mais colocado do que a primeira vista parecia, e so tem tempo de tocar na bola mas para dentro da baliza.
Sem saber como "os vermelhos" encontram-se a ganhar 2-0 num resultado tanto de enganador como de injusto. A partir daí pouco mais fez o União e o jogo voltou a ter a mesma tendência dos primeiros minutos.
Ainda antes do intervalo, entra Furtado, um atacante, que já jogou na equipa principal do FCPorto, mas que também se encontra a "estagiar" em Touriz.


Na segunda parte só deu uma equipa.
A equipa visitante rápidamente chegou ao 1-2, numa jogada individual de Lebre, pela direita, onde fintou 3 jogadores e já na àrea cruza para atrasado para na passada André Costa fazer o golo.
Nova substituição no Tourizense, sai um defesa, o tal do golo na própria baliza, e entra mais um jogador de caracteristicas ofensivas.
O ataque da equipa de Touriz era uma constante, tornando-se mesmo sufocante, toda a gente sabia que era inevitável o golo do empate e até o da vitória, tal era a diferença de jogo de uma e outra equipa.
Aos 75 minutos surgiu o empate e já no tempo de descontos surgiu o golo da vitória, mais que merecida e justa.
Foi um excelente jogo de futebol onde o resultado final, de 2-3, não espelha nem de perto nem de longe a diferença existente entre as duas equipas.

Durante o jogo e no final, em conversa com alguns dirigentes do Tourizense, que se encontravam na bancada, por traz do banco da sua equipa, (onde também estava o treinador, penso que castigado, uma vez que se encontrava ali a dar as indicações), começo por verificar que afinal não são os "mafiosos" que à partida eu pensava serem, são pessoas bem simples a acessíveis, excepto talvez o presidente que não se encontrava presente.


Já depois do banho tomado, pelos jogadores, encontro-me à conversa com Mauro jogador emprestado do Estrela. Conversa aqui conversa lá, onde até houve de uma troca de números de telemóvel, fica combinado um posterior encontro para analisar a época que passou, e uma oferta da camisola do Tourizense, quem sabe do próprio jogador, uma vez que todas as camisolas do Tourizense são personalizadas, com número e nome, algo que nem na Superliga se vê em certas equipas e que a meu ver deveria ser obrigatório.

Na manhã de ontem, quarta-feira, um colega meu vem dizer-me que morreu um jogador do Estrela, tinha ouvido algures na rádio. A primeira coisa que faço é ir a um jornal desportivo online, verificar o que realmente se passou e quem era.
Á primeira vista e como tinha o pensamento direccionado aos jogadores da equipa principal do Estrela esta época, o titulo nao me diz muito, "Mauro Gama falece em acidente de viação na A1", até porque o conhecia por Mauro e não por Mauro Gama, quando abro a noticia em promenor é que caio em mim, "JOGADOR DO ESTRELA EMPRESTADO AO TOURIZENSE". Nem sei o que pensei na altura mas foi um misto de tristeza e desilusão... 21 anos, um possível futuro promissor como jogador profissional e acaba-se assim a vida de uma pessoa. Nem sei que dizer...

Quem quizer comentar, ou dizer algo sobre o Mauro, e saber promenores do trágico acidente, pode ir á pagina do correio da manhã no link aqui em baixo:

http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=161223&idselect=12&idCanal=12&p=94

São Paulo e Santos nas Semifinais da Libertadores



Grandes jogos hoje pela copa libertadores da america, o classico das emoções: São Paulo vs Palmeiras e o jogão entre Santos e Universidad del Chile, no Morumbi e na Vila Belmiro, respectivamente.
No Morumbi, um jogo de muitas emoções, cerca de 70.000 pessoas no estádio, o São Paulo começou em vantagem, por ter ganho o primeiro jogo por 1 x 0, semana passada no Parque Antartica. Depois de um primeiro tempo equilibrado e de poucas oportunidades, o Palmeiras cresceu na etapa final, principalmente após a expulsão de Josué, aos 9min.
Nos pés de Washington, aos 25min, o time alviverde teve a melhor oportunidade, mas o chute fraco ficou nas mão de Rogério Ceni.


Jogando em contra-ataque, o São Paulo chegou à vitória. Em lance individual de Diego Tardelli, Correa cometeu pênalti. Rogério cobrou para o meio da baliza: 1 x 0.
Aos 48min, Cicinho cobrou falta de longa distância e acertou o canto esquerdo de Marcos.
Este foi o quarto golo de Cicinho em cinco partidas contra o Palmeiras. E para a completar a alegria de Cicinho e deixa-lo na historia da competição, este golo foi o número 10.000 na historia da Libertadores.


Na próxima fase, o São Paulo enfrenta o vencedor do confronto entre Tigres e Once Caldas.
E na Vila Belmiro, com Robinho inspirado, o Santos venceu o Universidad do Chile por 3 a 0, nesta quarta-feira, e garantiu sua vaga nos quartos-de-final da Copa Libertadores. Na primeira partida, o time brasileiro havia perdido por 2 x 1.


Os golos santistas foram marcados pelo lateral-direito Flávio e por Robinho. Em um deles, após fazer uma linda jogada quando deu um chapéu num jogador e um drible no meio das pernas de outro, sofreu pênalti e fez seu segundo na partida.


Foi a quarta vitória santista nos quatro jogos que fez atuando na Vila Belmiro nesta Libertadores. Além do Universidad, o clube brasileiro derrotou a LDU (3 x 1), Danúbio (3 x 2) e Bolívar (6 x 0).