terça-feira, fevereiro 28, 2006

Palpites Atacantes - Ninguém pára o Faneca!!

Esta semana Faneca e Descobridor Azul com 11 pontos foram os mais pontuados da jornada, seguidos bem de perto por Mister BS com 10 pontos.

Na classificação mensal Faneca não pára, venceu mais um mês, desta vez em igualdade pontual com |SCP-1906| com 28 pontos, mas com 6 palpites certeiros durante o mês de Fevereiro contra 5 do seu adversário.
NG com 26 pontos, Skin com 25 e MUP com 24 pontos ficaram nas posições imediatamente a seguir no mês de Fevereiro.

Na classificação acumulada Faneca com 166 pontos já leva 12 pontos de vantagem sobre o 2.º classificado, o MUP, que por sua vez tem uma confortável vantagem de 8 pontos sobre Mister BS que encabeça uma emocionante disputa pelo 3.º lugar com 136 pontos.
Seguem-se Manu e NSC com 134 pontos, SAAC e NG com 133 pontos, Mike Alhau com 130, Estrela com 129 e Goleadora com 128 pontos a fechar o top ten.

Na próxima jornada temos os seguintes jogos:

Jogo 1: Estrela da Amadora – Benfica
Jogo 2: Porto – Nacional
Jogo 3: Sporting – Gil Vicente
Jogo 4: Real Madrid – Atlético Madrid
Jogo 5: Roma – Inter
Jogo 6: Wigan Ath. – Manchester United
Jogo 7: Paris SG – Marselha

Os palpites podem ser enviados para o nosso mail correio.de.ataque@gmail.com, ou então colocados como comentário a este post.

19ªjornada do Campeonato Nacional de Futsal

Jogou-se este fim de semana a 19ªjornada da 1ª Divisão do Nacional de Futsal.

Jornada que não teve surpresas e que o destaque vai para o derby capital entre Benfica e Sporting, jogado no pavilhão da Luz e que deu empate, 3-3 foi o resultado. O Sporting foi em vantagem para o intervalo (1-2) com golos de Bibi e Paulinho; Coco marcou para o Benfica. Na 2ª parte, Wilson e Sidnei deram vantagem às águias, consentindo o empate nos minutos finais. Com este resultado, os Leões mantêm a invencibilidade na prova.

Nos restantes jogos, o Freixieiro recebeu e venceu o Sp.Pombal por 4-2, em Matosinhos. No Pavilhão Acácio Rosa, realizou-se o jogo com mais golos da jornada, Belenenses 6-4 Famalicense. O Famalicense chega ao intervalo a vencer por 2-1, isto depois de estar a perder. Na 2ª parte, o Famalicense faz o 3-1. Já nos minutos finais, que foram empolgantes, o Belenenses chega ao 2-3 e 3-3 no mesmo minuto. Aos 38 minutos, 4-3 para o Belenenses. Um minuto depois, o Famalicense empata novamente. No mesmo minuto, 5-4 para o Belenenses e a finalizar a partida, novo golo dos azuis do Restelo.

Em Braga, o Sporting local venceu sem dificuldades o Piedense por 4-1. O Olivais levou de vencida a equipa do Boavista por 4-3. O Boavista chegou a estar a vencer por 2-0, mas consentiu a reviravolta, mantendo-se a incerteza do resultado até final. Em Vila do Conde registou-se um empate entre Rio Ave e Sassoeiros. Este jogo teve um final atípico, em q foram marcados 5 golos nos 5 minutos finais, o Sassoeiros chega ao 4-4 final, a 16 segundos do final. Em Vizela, a Fundação não teve dificuldades para levar de vencido o Alpendorada, 3-0 foi o resultado.

Já hoje, no jogo em atraso da 16ª jornada, o Benfica foi a Alpendorada vencer a equipa local por 2-0, com Ricardinho a fazer os dois golos. Este jogo fica também marcado pela grande penalidade falhada por Nandinho, quando o resultado estava 0-0 e pela expulsão de Alex Brasil a 2 minutos do fim. Com este resultado, o Benfica sobe ao 4º lugar por troca com o Olivais. Já o Alpendorada, fica-se pela 12ª posição.


Classificação

Assim vai a Liga de Honra.


Na 24ª jornada da Liga de Honra, o Desportivo das Aves foi o grande beneficiado das derrotas e empates dos seus directos candidatos à subida.
A equipa comandada pelo Professor Neca, deslocou-se ao terreno do Moreirense conseguindo vencer por 0-1, encurtando assim a distancia pontual quer para o Beira-Mar, como para a Olhanense.
No fim deste jogo o treinador do Moreirense, João Carlos Pereira viria a ser despedido.
No jogo mais aguardado da jornada , o líder Beira-Mar recebeu outro dos candidatos a promoção para a Liga Betandwin, o Leixões, o jogo foi de fraca qualidade, e nenhuma das equipas conseguiu transpor a defesa contraria, registando-se assim um empate sem golos.
A Olhanense actual 2ª classificada, perdeu surpreendentemente em casa por 1-2 frente ao Gondomar, o ex-Benfiquista Fernando Aguiar voltou a ser decisivo ao apontar o golo da vitoria.
Uma equipa que já não surpreende nenhum dos adeptos mais interessados na Liga de Honra, é o Chaves, que recebeu e venceu o Portimonense, Gustavo apontou o golo que praticamente tira dos horizontes a subida de divisão à equipa de Portimão.
Se o Portimonense está praticamente arredado da luta pela subida , entra nessa mesma luta o Varzim , que recebeu na Povoa o Barreirense e venceu por 3-0 , subindo assim ao 5º lugar . Cícero com 3 golos foi o herói da partida.
Outra equipa que entra também na luta pela promoção, é o Santa Clara que venceu nos Açores sem grandes dificuldades o Marco por 4-1, Hugo Henrique foi considerado o melhor jogador em campo.
O Feirense em grande destaque após a mudança de treinador , venceu mais um jogo, desta vez recebeu e venceu o Sp. Covilhã por 2-0, Djalmir e Wesley marcaram os golos da vitoria.
Em queda livre está a equipa do Maia, que registou mais uma derrota caseira, ao perder com o Vizela por 1-2, Pedro Caravana esteve em destaque neste jogo.

Poderão visualizar a tabela classificativa da Liga de Honra aqui .

Mais um empate, e 19º jogo sem perder.

No jogo grande da 24ª jornada da Liga de Honra , Beira-Mar e Leixões empataram a zero golos no Estádio Municipal Aveiro/Mário Duarte.
Durante a semana foram dadas indicações que o jogo seria intenso, emotivo e que ambas as equipas iriam lutar pela vitoria .
Nada mais falso, já que o jogo foi muito táctico, disputado longe de ambas as balizas, e com ambas as equipas a terem “medo” de arriscarem um pouco mais para chegar à vitoria.
Augusto Inácio, treinador do Beira-Mar, viu-se privado de algumas das unidades mais importantes da equipa , e terá “sofrido” um rude golpe táctico a meio da semana, quando Rogério Gonçalves foi substituído por Vítor Oliveira, no comando técnico da equipa de Matosinhos.
Nós primeiros 10 minutos , o jogo prometia ser um grande espectáculo, pois tanto o Beira-Mar, como o Leixões criaram uma excelente oportunidade de golo.
Aos 6 minutos, Jorge Leitão com uma excelente jogada individual pela direita centra para a área, aonde aparece Clueber que quase conclui o lance com um auto-golo.
Quatro minutos depois, num rápido contra-ataque da equipa de Matosinhos, Marco Cadete com um centro remate leva a bola a embater no poste de Pavel Srnicek.
A partir daqui o jogo tornou-se monótono, com ambas as equipas a optarem pelo rigor táctico, sem grandes lances ofensivos, e com os jogadores a tentarem correr o menor risco possível nas trocas de bola.
O perigo só viria a rondar uma das balizas à passagem da meia hora , quando Luís Vouzela à entrada da área obriga Baptista a uma grande defesa.
Até ao Intervalo nada mais de importante se passou, com as defesas a sobreporem-se as tentativas atacantes de ambas equipas, mostrando porque são até hoje as defesas menos batidas do campeonato.


Ao Intervalo: Beira-Mar 0 – Leixões 0


No recomeço, Vítor Oliveira lança no jogo Leandro Netto , que viria tornar o jogo ofensivo da equipa de Matosinhos mais perigoso.
Prova disso aconteceria aos 57 minutos , quando Lourenço bem servido por Leandro Netto, disfere um forte remate obrigando Pavel Srnicek à defesa da tarde.
Poucos minutos depois , Leandro Netto dentro da área obriga Alcaraz a ter um corte de recurso, que por pouco não resulta em auto-golo.
A equipa do Beira-Mar demorou a acertar as marcações individuais após a entrada de Leandro Netto , e o Leixões dominou a partida, até que Augusto Inácio decide trocar Marcelo Labarthe por Carlos Gomes.
Carlos Gomes que viria dar mais velocidade, e poder físico a linha ofensiva Aveirense, e foi numa das suas “arrancadas” pelo lado esquerdo que descobre Roma, desmarcado sem qualquer pressão adversaria , mas o remate do Brasileiro do Beira-Mar sai muito torto , perdendo-se assim a melhor oportunidade de golo da 2ª parte.
Já nos minutos finais da partida , Baptista guarda-redes do Leixões tem uma grande defesa, negando assim o golo a Rui Lima.
Por tudo o que se passou dentro das 4 linhas, este foi um resultado justo, que serve mais as intenções do Beira-Mar do que as do Leixões.


Sinal Mais:

- Afluência de publico : Foi bonita a festa dos 6300 espectadores que assistiram a esta partida.

- Equipa de arbitragem : Pedro Proença e os seus auxiliares realizaram em Aveiro um trabalho de grande nível.

Sinal Menos:

- Falta de ambição de ambas equipas, que pelo valor que têm nos seus planteis, podem e devem fazer bem melhor.

Florentino Perez: Apreciação Global do seu Percurso

Florentino Perez teve, nos últimos anos, uma política de gestão desadequada e péssima do ponto de vista desportivo baseada na publicidade e no marketing e na contratação de jogadores mediáticos para o ataque, esquecendo a defesa quase por completo. Tudo começou em 2000/2001, altura em que Florentino foi eleito. Nessa época, o Real Madrid contratou Luís Figo. Este foi uma das mais caras transferências até então e, vindo o jogador dos rivais de Barcelona, foi uma transferência muito conturbada. O extremo português vinha-se juntar a uma equipa cujas estrelas eram jogadores como Raúl, Morientes, Roberto Carlos, Savio ou Salgado. Na época seguinte, mantendo o mesmo método de comprar uma estrela por ano, Perez decide ir buscar Zinedine Zidane à Juventus, uma vez mais por valores astronómicos. Mais uma temporada, mais uma transferência de alto valor monetário. Desta feita é Ronaldo que, vindo há pouco tempo de uma lesão, ingressa nos merengues. Se esta política até estava a dar resultados práticos (o Real foi campeão europeu e mundial) até esta altura, foi aqui que se iniciou o descalabro total, deixando o Real Madrid de conquistar qualquer título desde 2002/03, altura em que "o fenomeno" se transferiu para o Real. Na temporada a seguir, 2003/04, David Beckham, capitão do Manchester United e da selecção inglesa vem para Espanha. Como é público, este inglês é mais modelo do que jogador de futebol e, tirando o dinheiro do markting, não veio acrescentar nada a esta equipa. Como os resultados desportivos começaram a não surgir, Florentino Perez decidiu aumentar o número de compras, enchendo o "carrinho" de jogadores. Foi o desbarato completo. Desde essa altura, começaram a contratar-se muito mais estrelas. Houve uma maior aposta na defesa, é certo, mas a quantidade de vedetas que entraram no clube deu cabo da equipa e mais nenhum treinador conseguiu impôr ordem de modo a alcançar os objectivos a que o Real se propunha. Foram comprados Woodgate, Walter Samuel, Cicinho, Sérgio Ramos, Gravesen, Júlio Baptista, Michael Owen, Cassano e Robinho! Em 3 anos apenas! O desespero de Florentino levou-o a comprar jogadores atrás de jogadores, o que levou ao desespero dos adeptos. Foi o fim de um reinado de Florentino Perez neste grandioso clube espanhol. Deixo apenas uma pergunta no ar: como é que, depois de tantas transferências, o Real consegue ascender ao 1º lugar na lista de clubes mais ricos do Mundo? Através do marketing?!

SCBraga: Protocolo de cooperação com Federação Coreana de Futebol

O Sporting Clube de Braga e a Federação Coreana de Futebol estabeleceram um protocolo de cooperação na área de formação de jovens futebolistas.
Este protocolo permite colocar atletas coreanos nos diferentes escalões de formação do SCBraga e proporciona ainda um estágio de formação a técnicos daquele Pais.

Este acordo, para além de compensar financeiramente o SCBraga, abre-lhe novas perspectivas no mercado futebolístico asiático e intensifica as boas relações já existentes entre SCBraga e Federação Coreana de Futebol.
Este projecto pioneiro em Portugal comprova que o SCBraga é um clube atento ao Mercado Global, abrindo-lhe novos horizontes indispensáveis ao seu engrandecimento e à sua afirmação internacional.

ScBraga.com

Análise Atacante: LIGA BETANDWIN

Completou-se este Fim-de-Semana a 24ª jornada da Liga Betandwin e, uma vez mais, não faltou emoção! Ao contrário do que muitos defendem, a nossa liga é muito mais emotiva do que praticamente todas as outras que se disputam por essa Europa fora. Em Portugal vive-se o futebol como em poucos países no mundo, faltando apenas e só cultivar em todos nós uma cultura desportiva à altura da paixão que sentimos pelo jogo e pelos nossos clubes!

Em Lisboa disputou-se o jogo grande da jornada, entre o Benfica e o FC Porto! Neste clássico, os encarnados necessitavam obrigatoriamente de vencer, o que acabou por suceder... Sem grande brilho, é certo, mas sucedeu e permitiu aos comandados de Ronald Koeman encurtar a distância que o separava do líder do campeonato, precisamente o FC Porto. Os Dragões sofreram o 3º desaire na prova, sendo que dois deles foram com o Benfica... Laurent Robert, com a ajuda involuntária de Vítor Baía, apontou o golo solitário do encontro!
Quem aproveitou da melhor maneira o "tropeção" do líder foi o Sporting, que após derrotar a Académica por 3 golos sem resposta, diminuiu a desvantagem para o topo da classificação para apenas 2 pontos! Em Coimbra, a Briosa deu uma muito boa réplica, contudo não foi feliz e nunca teve argumentos para ultrapassar um "pragmático" conjunto leonino, que agora terá dois jogos em «casa».
No arranque da jornada, o Boavista prosseguiu com a fantástica série de resultados! Venceu em Barcelos, com muita sorte à mistura, um Gil Vicente que vendeu muito cara a derrota. O "veterano" João Pinto fez o único golo do encontro, num cabeceamento...à João Pinto! De registar as lamentáveis cenas no final da partida entre os jogadores de ambas as equipas, que resultaram nas expulsões de Luis Coentrão e Hélder Rosário. Sétima vitória consecutiva dos Axadrezados que agora terão duas Provas de Fogo: Braga, no Bessa e Sporting, no Alvalade XXI!
O Nacional da Madeira perdeu o 5º lugar, sendo ultrapassado pelas Panteras do Bessa, após a cedência de um empate caseiro frente ao "aflito" Guimarães. Wesley ainda deu vantagem aos minhotos, mas já antes do intervalo os Madeirenses chegaram à igualdade por Chilikov. Os vimaranenses já não perdem à 4 jornadas!
Vitórias caseiras e "naturais" do Setúbal (2-0) frente ao praticamente despromovido Penafiel e do Marítimo (1-0) perante o Estrela da Amadora, sendo que a dos Verde-Rubros foi «arrancada a ferros», valendo o tento de Kanu (o 8º da temporada). Num outro desfecho aguardado, Paços de Ferreira e União de Leiria empataram a um, para desgosto de José Mota que vê os Castores a afundarem-se na tabela classificativa.
A surpresa da jornada aconteceu em Belém, onde o Belenenses foi surpreendido pela Naval 1º de Maio! Os homens da Figueira da Foz venceram por 3-2 os azuis do Restelo e ficaram mais perto da linha de salvação, tendo em Fajardo a sua grande figura, como de resto vem sendo habitual...
No fecho da ronda, o SC Braga aplicou a «chapa» 5 ao "descaracterizado" Rio Ave! António Sousa deverá estar no «fio da navalha», pois os vilacondenses que tão bom futebol vinham a demonstrar nas outras épocas e no início desta, continuam a descer na classificação, encontrando-se numa posição muito pouco confortável. Os Bracarenses continuam a fazer uma óptima campanha e permanecem no 3º posto, confirmando a cada semana que passa a sua candidatura a um lugar na Liga dos Campeões...

Oito pontos distanciam o 1º classificado (FC Porto) do 6º (Nacional da Madeira), provando o equilíbrio que reina em terras Lusitanas! Querem melhor?!

Carling League Cup - Final


Millennium Stadium, em Cardiff.

Vitória esmagadora e sem espinhas. Algo que há muito já não se via nas hostes do Glorioso. Sir Alex Ferguson arrecadou o 25º troféu da sua longa carreira de 19 anos ao serviço do Manchester United.

A grande surpresa do encontro foi a não inclusão no 11 inicial de Van Nistelrooy, o melhor marcador da Premiership com 15 golos. A sua ausência foi explicada pelo facto de Louis Saha ter apontado 5 golos durante a carreira do Manchester United nesta League Cup, foi tipo prenda, até porque o jogador raramente joga no campeonato.

O jogo começou bem para os azuis e brancos que num cruzamento de Gary Teale, viram Henri Camara cabecear por cima da barra de Van der Sar.

Alguns minutos depois, mais precisamente aos 8, um cruzamento perfeito de Gary Neville encontra a cabeça de Wayne Rooney que remata de primeira à barra. Estava dado o mote, dali para a frente só iria dar United.
Ao quarto de hora grande contrariedade para os Latics, que viram o seu guarda-redes ter de ser substituido lesionado numa perna.
Passados 5 minutos o endiabrado Rooney fintou vários defesas azuis e passou de bandeja a Cristiano Ronaldo que falhou na finalização.
Contudo no minuto 33 o Manchester abriria mesmo o activo por Rooney pois então. Depois de "baralhar" varios defesas do Wigan, atirou a contar à saida de Filan.
Reagiu bem o Wigan, que antes do intervalo, podia ter marcado por intermédio de Jason Roberts que depois de fintar Rio Ferdinand e Gary Neville rematou frouxo.

A segunda parte começou com um bom apontamento entre Jason Roberts e Henri Camara que resultou em... nada.
Aos 15 minutos o segundo golo dos Red Devils praticamente acabou com o adversário psicológicamente e arrumou o encontro. Um cruzamento perfeito, de Gary Neville, encontra Saha ao segundo poste que à segunda marca mesmo o 2-0.
O Wigan foi definitivamente abaixo psicologicamente, tanto que nesses 5 minutos sofreu 3 golos.
O 3-0 foi de Cristiano Ronaldo num remate cruzado à entrada da area, depois de brilhante passe de Saha a desmarcar o português, este tem tempo para olhar para o guarda-redes e meter a bola por baixo no poste contrario. Excelente golo. Na comemoração nada melhor que tirar a camisola e levar cartão amarelo e foi assim que aconteceu.
O quarto foi o fechar da contagem por quem a abriu, Wayne Rooney, depois de excelente abertura de Saha e melhor finalização da endiabrada promessa inglesa.
Até ao fim foi o gerir do encontro pelos homens de vermelho tendo os azuis tentado pelo menos um golo de consolação que não veio a acontecer.

GOLEANDO:Reportagem Futsal Feminino - PARTE II

O treino prossegue. As atletas dão o máximo. Não podem falhar. A competição é dura e as adversarias também. Atravessam um período satisfatório e apesar de terem arrancado mal no início da competição, esperam ainda conseguir chegar à Final Four – disputada pelo 1º e 2º classificados das duas séries que disputam o campeonato distrital. Os dois vencedores vão então disputar a Taça Nacional.
O jogo de treino revela a tal agressividade de que o “mister” falava. “-Vai, vai, joga!” – grita incessantemente. As que atacam pressionam: “- passa a bola…aqui…passa!”. As que defendem tentam impedir que a bola passe a linha da sua grande área: “- fecha ai…fecha”.

“ Há muita gente em Abrantes que não faz a mínima ideia de que há uma equipa de futsal feminino”

Fátima Brás. 19 anos. Capitã de equipa, não nega a responsabilidade que sobre si recai, sobretudo quando as coisas não estão bem. “ -Dentro do balneário sou eu que mando, tenho que manter a ordem e a disciplina e acima de tudo manter o espírito de equipa, porque se não existir, as coisas não vão resultar.”- explica. Tal como o “mister”, Fátima elogia a direcção: “ - são muito prestáveis” e não disfarçando o seu descontentamento remata: “ - há muita gente em Abrantes que não faz a mínima ideia de que há uma equipa de futsal feminino”. De resto, estas jovens apenas contam com o apoio de familiares e amigos. Dizem sentir-se discriminadas e que Abrantes é uma cidade onde o preconceito e o “machismo” são uma barreira ao desenvolvimento do futebol feminino. “-Vêm com má cara o facto de mulheres praticarem desportos que à partida são de homens” – denunciam.
É das mais jovens atletas do Sporting de Abrantes. Aos 16 anos, Susana para além de defender as redes da sua equipa é a par de Sandra, uma presença regular na selecção Distrital de futsal feminino. Confessa que pertencer à selecção não é fácil porque “a concorrência é bastante grande e os treinos são duros”.
Entretanto a equipa de futsal feminino não baixa os braços. Há uma meta e um objectivo a cumprir. Desde que a equipa surgiu há três anos, conseguiram posicionar-se nos lugares cimeiros da sua competição. É preciso continuar. Por isso, é encontrá-las duas vezes por semana reunidas a fazerem aquilo que mais gostam: jogar futebol!

segunda-feira, fevereiro 27, 2006

Análise Atacante: SERIE A

No topo nada de novo!
Estamos a aproximar-nos vertiginosamente do final do campeonato italiano e nos lugares cimeiros as equipas não desarmam! Assim, é justo reconhecer a “cavalgada” triunfal da AS Roma, mesmo sem o seu influente capitão Francesco Totti. Quem viu a equipa romana no ano passado e a deste ano não compreende a mudança. Mas essa mudança tem um nome: Luciano Spalleti! O técnico, após ter qualificado de forma fantástica a Udinese para a Liga dos Campeões, tomou conta da problemática AS Roma e para já bateu um recorde digno do seu nome – 11 vitórias consecutivas! Vamos ver até onde vai esta Roma, que para conseguir essa marca, “abateu” no “Derby” romano a Lázio, por 2-0 com golos de Taddei e Aquilani.
Nota de destaque para a Fiorentina que a perder em Parma por 2-0 (golos de Simplício(3’) e Bresciano(19’)) conseguiu dar a volta e vencer confortavelmente por 2-4! Os golos foram de Jorgensen, Jimenez e claro, destaco os dois iniciais da promessa búlgara V.Bojinov.
A jornada iniciou-se com o empate a uma bola entre a Regina e o Livorno, com os golos de Cozza para os da casa e de Morrone para o Livorno.
O Inter cumpriu e venceu em casa a Udinese por 3-1, estando o argentino lio Cruz em plano elevado ao marcar dois golos, na semana em que renovou contrato com os Nerazzurri. Martins também marcou. Do lado da Udinese, marcou o inevitável V. Iaquinta.
O Treviso esteve quase toda a segunda parte em vantagem sobre o Empoli com um golo de E. Filippini (53’), mas aos 90’ a equipa visitada logrou chegar à igualdade graças a um golo de Riganò.
Quem continua a desiludir é a Sampdória, desta feita a derrota surgiu face ao Siena, com o veterano Vergassola a fazer o tento solitário.
O Milan voltou a vencer, desta feita num estádio complicado. Frente ao Palermo, os Rossoneri marcaram já na segunda parte pelo “renascido” Pipo Inzaghi e pelo “bomber” Schevchenko.
No Delle Alpi os campeões mostram que estão no caminho do 30º Scudeto! 3-1 sobre o Lecce, embora tenham começado praticamente a perder, graças a um golo de Vecchic logo aos 10’. Respondeu a “Vechia Signora” por Emerson aos 17’ e antes do intervalo, os de Turim já estavam à frente com um golo do croata R. Kovac. Aos 88’ o “Pequeno Imperador” Del Piero fez o resultado final.
Uma palavra para os dois últimos jogos que tiveram emoção até ao último suspiro. O Ascoli venceu 1-0 o Messina, com o golo a surgir aos 90’ por intermédio de Cariello.
Mais espectacular revelou-se o jogo entre o Cagliari e o Chievo. Os da casa marcaram primeiro por Suazo. O resultado manteve-se inalterado até aos 86’ quando o Chievo empata através de Tiribocchi. O resultado parecia não sofrer mais alterações, mas no minuto 90…mais dois golos! Primeiro para o Chievo (Pellissier) e depois pelo homem da casa, Gobbi. Fica mais uma vez demonstrado que os jogos só terminam mesmo quando o árbitro apita para o final.
Buona Setimana!

Benfica Vs FC Porto


VISÃO BENFIQUISTA

Perante um ambiente fantástico, numa noite fria mas felizmente sem chuva, o estádio da Luz recebeu mais um Benfica – Porto do nosso campeonato.
Da parte do Benfica apenas uma meia surpresa, Nelson ficou mesmo no banco, parece estar em muito má forma e Koeman não tem apostado nele nos momentos decisivos, pena para um jogador que prometeu muito no inicio da época.
O 11 inicial foi sem grande surpresa Moretto, Alcides, Anderson, Luisão, Leo, Manuel Fernandes, Petit, Karagounis, Simão, Robert e Nuno Gomes.

Na primeira parte o jogo começou como costumam começar estes derbys, as duas equipas com receio uma da outra a praticarem um futebol muito feio, cheguei a pensar que parte das 30 milhões de pessoas que os jornalistas da Sport TV referiram no início do jogo que o iriam acompanhar em directo já deviam ter desistido de o acompanhar...

Felizmente a qualidade do jogo melhorou, e o Benfica foi na primeira parte a equipa que melhor futebol apresentou, sem grandes oportunidades de golo, mas foi a única que conseguia trocar a bola com algum perigo no meio campo adversário, para isso muito deve ter contribuído a excelente exibição de Leo, que muitas vezes por antecipação conseguiu vencer a oposição de Quaresma, claramente o homem mais perigoso deste Porto.



Até que apareceu Robert a marcar um golo que à primeira vista pareceu um hino ao futebol, depois de ver a repetição não deixou de ser um grande golo, mas com responsabilidades divididas com Vitor Baia.
Era o delírio na Luz, um golo que acabou por trazer alguma justiça ao resultado na primeira parte, e logo de seguida Nuno Gomes desperdiça infantilmente a melhor oportunidade de todo o jogo, são estes lances que fazem os adeptos perder a cabeça, como é possível um remate daqueles numa situação daquelas, que o Baia defendesse ainda se entendia, agora um disparate daqueles...

Na segunda parte o Porto partiu em busca do empate, não criou nenhuma oportunidade clara de golo, mas dominou o jogo durante quase toda a segunda parte, a lentidão de Karagounis começava a irritar o mais paciente dos adeptos Benfiquistas, valeu o acerto defensivo durante todo o jogo.
Quaresma que procurou na segunda parte a sua sorte no lado oposto com Alcides pela frente, conseguiu alguns cruzamentos bem perigosos, mas aparecia sempre um defesa Benfiquista no caminho da bola.
Manuel Fernandes parece estar definitivamente de regresso à boa forma, e fez um senhor jogo no meio campo, ao lado do jovem internacional Argentino “Lucho” Gonzalez, confirmou aos Portugueses que Portugal também tem excelentes escolas de futebol!

Quanto às substituições de Koeman, nada a apontar, Marco Ferreira está longe de justificar a sua contratação, mas se está no plantel é porque contam com ele, e acabou por ser útil neste jogo, por pouco não marcou num lance que depois deixou algumas duvidas entre Petit e Lucho.
Beto veio trazer algum equilíbrio ao meio campo, numa fase em que o Porto dominava o jogo, a entrada de Beto coincidiu com o partir do jogo ao meio, ou seja, o Benfica não ganhou o meio campo com a entrada de Beto, mas também não o perdeu, pois deixou de existir em ambas as equipas...
Ricardo Rocha felizmente não teve tempo de ser expulso desta vez...



Notas Positivas

Excelente ambiente no estádio, por momentos pensei estar a ver um jogo do campeonato Inglês...

Fair Play de ambas as equipas, apesar de algumas quezílias normais em jogos com esta grande carga emocional, houve fair play de ambos os lados, e teve a sua piada ver Quaresma a meter-se com um adepto Benfiquista, foi o segundo de fama do dito Senhor.

Já alguma vez viram adeptos da equipa adversária elogiar um jogador do rival neste tipo de jogos? Fiquei parvo com o cartaz de parabéns ao Baia que vi no início do jogo, pelo menos parecia estar do lado dos adeptos do Benfica, bem dito seja...

Até ao momento nenhuma reacção que faça lembrar o triste clássico da época passada...

Nota Negativa

Baia começou muito bem esta época, pensava eu que iria partir para uma das melhores épocas da sua carreira, mas nos últimos 2 jogos a titular cometeu 2 erros a fazer lembrar o inicio de época do titular da selecção nacional, trocaram de papel??

Nota Curiosa

Os meus colegas de Blog fizeram questão de mo lembrar, e não é que em 5 dias o Benfica arrumou com os 2 últimos campeões Europeus?
O Vieira bem prometeu...

Declarações Atacantes

Koeman

«Relançámos a luta pelo título e julgo que o fizemos com justiça. Tivemos controlo de jogo, marcámos um golo e ainda tivemos uma grande oportunidade, por intermédio de Nuno Gomes. Na segunda parte, controlámos a partida e no contra-ataque poderíamos ter marcado. Coloquei o Karagounis de início porque era necessário termos mais jogo ofensivo e um melhor toque de bola. Conseguimos tal intento».

Nuno Gomes


«Esta é uma vitória justa e julgo que na segunda parte podíamos ter aumentado a vantagem. Precisávamos dos três pontos e conseguimos. Iremos lutar até que as forças se esgotem pelas três competições em que nos mantemos. Estamos orgulhosos por representarmos bem este emblema. O campeonato ganhou com a nossa vitória e só espero que continuemos a praticar bom futebol».

[PRM]

---------------------------////////////////-----------------------


VISÃO PORTISTA

Adoro jogos de futebol cheios de rivalidade e tensão! Só essa carga emocional, consegue fazer com que um jogo monótono como o de ontem consiga ser seguido sempre com o mesmo entusiasmo de princípio a fim do jogo!

A 1ª metade começou com domínio repartido, com o meu FCP a tentar dominar o jogo, contudo nesta fase nunca o conseguiu fazer de uma forma inequívoca.
A partir dos 20/25 minutos o Benfica, acertou definitivamente as marcações no centro de terreno e, pressionando muito os elementos adversários que tinham a bola, tomou conta do jogo. Paulo Assunção teve de recuar para a zona defensiva e Adriano para o eixo do meio-campo. Nunca a defesa do FCP passou por sobressaltos, apesar da primazia adversária e foi já perto do intervalo que chegou o lance que decidiu o jogo...
Laurent Robert (exímio executante de lances de bola parada) a uns bons 35 metros da baliza Azul-e-Branca disparou uma bola «teleguiada» que através da sua trajectória iludiu Vítor Baía! Não há dúvida que o remate é muito traiçoeiro, contudo sendo apontado de tão longe, é indiscutível que o GR Portista deu uma grande frango... Acontece a todos, inclusivé aos MELHORES, como é disso exemplo Baía!
Curiosamente após o golo e, em poucos minutos, assitimos aos dois lances mais perigosos de toda a partida! McCarthy, primeiro, passou pelo «lento» Anderson, contudo rematou à figura de Moretto... No lance seguinte, foi Nuno Gomes que desperdiçou incrivelmente um lance em que apareceu isolado frente a Baía!
Na 2ª parte o FCP dominou o jogo de princípio a fim. Constantemente provocado pelos adversários, Quaresma (agora do lado esquerdo) começou a dar muitas dores de rins a Alcides e várias vezes por aquele flanco o FCP criou jogadas de perigo, contudo o último passe teimava em não sair na perfeição... Mérito dos defensores encarnados e, outras vezes por demérito de alguns elementos portistas!
Espantou-me a demora de Co Adriaanse em mexer na equipa e fazer entrar elementos mais ousados, como foi o caso de Lisandro Lopez. Fê-lo a 20 minutos do fim...
Até final houve a destacar, para o lado benfiquista, um lance de Marco Ferreira que Vítor Baía defendeu, ficando depois a dúvida no Estádio se Petit sofre ou não falta de Lucho Gonzalez. Vistas as imagens vejo o argentino a cortar a bola com o pé esquerdo e «in loco» vi que o lance se inicia com uma falta (essa sim indiscutível) sobre Adriano. Para o lado do meu FCP, vimos Lisandro Lopez a permitir um excelente corte de Luisão e, muito perto do fim, Benni McCarthy mais uma vez a rematar mal, quando podia e devia ter feito muito melhor...

O resultado é injusto, face à equivalência das duas equipas, contudo há a destacar a melhor 1ª metade do Benfica. Custa perder desta forma, contudo só nos podemos queixar de nós próprios...
A luta continua bem acessa e ainda bem para a nossa Liga Betandwin!

Do Sr. João Ferreira, apenas me quero referir à dualidade de critérios no capítulo disciplinar. Que mais anti-jogo faltou ao Moretto fazer para, pelo menos, o árbitro o chamar à atenção?! Porque motivo os jogadores do Benfica faziam constantemente a «rodinha» ao árbitro, gesticulavam, etc não viam um «amarelo» que fosse e, nem hesitou (bem diga-se) à 1ª oportunidade que teve para o fazer com McCarthy?! Porquê só no final é que Petit e Simão viram «amarelos»?! (Ahhh, já sei! Para ficarem de fora no próximo jogo...)
No entanto, não me confundam, pois ao contrário de outras ocasiões, não foi por causa dele que perdemos o jogo, dado que no capítulo técnico achei a sua actuação bastante boa.

POSITIVO DO JOGO
1) O Fair-Play que imperou no relvado;
2) Luisão, Léo e Manuel Fernandes foram os melhores dos encarnados;
3) Pepe, Pedro Emanuel e Paulo Assunção pelo FCP;
4) Os adeptos portistas! Grandiosos e Enormes! Grande mobilização, Auto-Estrada cheia de Dragões e mesmo a perder, conseguiram sempre fazer-se ouvir e bem! Quanto aos adeptos benfiquistas, o melhor mesmo é comprarem apitos, pois a única coisa que sabem fazer é mesmo assobiar... (É aquilo o Inferno da Luz?!) EHEHEH

NEGATIVO DO JOGO
1) O Ritmo muito lento do desafio;
2) A completa Desorganização das Forças de Segurança. Inacreditável, o facto de a duas horas do nício do desafio, nas imediações do estádio não haver UM único polícia junto da entrada dos adeptos portistas! Ali passavam todos os benfiquistas e, assisti a insultos, agressões e furtos dos elementos de Claques encarnadas a simples adeptos do FCP; Querem-se pegar à pancada, então façam-o com elementos portistas da vossa raça, que não é a dos simples adeptos de futebol que tanto Benfica e FCP têm!
3) Mais uma vez, a Atitude diferenciada no tratamento dado aos adeptos e claques do FCP pela Polícia! Sinceramente, contado nenhum de vocês iría acreditar... Da próxima juntem-se à nossa massa associativa e sintam aquilo que todos sentimos da parte desses indivíduos.

[João Ribas]

Marítimo Vs Estrela Amadora

Visão Maritimista

Olá a todos

Mais uma jornada da liga cimeira do futebol Português e o C.S.Maritimo recebeu no seu reduto a equipa do Estrela da Amadora.

Duas equipas com um grande historial do futebol Português, iriam entrar em campo em igualdade pontual. O Estrela equipou de amarelo e o Marítimo no habitual Verde Rubro.
A equipa tricolor orientada por Toni veio à Madeira um pouco desfalcada em termos de plantel, Manu estava castigado. O Marítimo também apresentou algumas baixas, desta feita Wenio e Marcinho, o primeiro lesionado e o segundo ainda castigado.

O Marítimo entrou em campo com 3 pontas de lança, Kanu, Rincon e Zé Carlos. O que não é habitual por estas bandas.

O Marítimo precisava dos pontos bem como o Estrela, entraram as equipas e o publico saudou as bancadas estavam recheadas de esperança e de alegria.

O campo, estava recheado de asneirada. O Marítimo não pegou bem no jogo e deixou-se cair na rede do adversário. O Marítimo perdia constantemente a zona intermédia, muito por culpa de Mancuso, e o Estrela fazia a sua gestão de jogo como lhe competia, foi mesmo a equipa que ainda teve a 1 ocasião perigosa, nada de especial mas ao menos chegou à área dos da casa.
O Estrela estava a jogar muito defensivamente, mas mesmo assim e porque conseguia aproveitar as bolas intermédias conseguia subir no terreno com algum perigo. O Futebol não estava bonito mas também não estava feio. Era daqueles dias em que dizia, “È pá pronto, olha que se lixe….”

A defesa tricolor aguentou bem algumas investidas do Marítimo, e tudo se deve a um jogador de alto nível, MAURICIO, grande maestro da defesa tricolor.

Só aos 30m de jogo é que o Marítimo apareceu no jogo, e conseguiu dois lances flagrantes de golo. Um livre de Mancuso que cheirou a golo e depois Rincon, que sem estar a espera de um erro de Bruno Vale, mete o pe a bola isolado e falha o golo por cm. Um erro de Rincon, um ponta de lança tem de estar atento a situações destas. Não marcou porque estava desconcentrado.

Antes de ir para o intervalo, Bonamigo trocou Wilians que já jogava pregado aos centrais por Fernando, Wilians recuou e Fernando avançou para a frente dos defesas.

Vieram os 46m e intervalo, com alguma chuva, coisa pouca

Barreiros - Intervalo
C.S.Maritimo 0 Vs Estrela da Amadora 0

Ora, lá vem a segunda parte. O jogo começa como acabou, os mesmos jogadores e os mesmos 11. O Marítimo entrou bem, e acabou por marcar, num lance em que ponho algumas culpas no guardião tricolor, que na minha opinião estava em dia não. Teve muitas falhas, e só não comprometeu mais porque o Marítimo também não teve arte.

O golo nasce de um lance de Zé Carlos, que dentro da área já em desequilíbrio junto ao poste direito, deixa a bola para trás para junto da marca de grande penalidade, Kanu recebeu e marcou, mais um golo para este promissor jogador verde rubro.
Aos 60m veio o lance mais perigoso do Estrela, um livre marcado por Maurício só não deu golo porque Marcos com a “pontinhitinhinha” dos dedos tira a bola que ainda bate no poste.

Antes de terminar o jogo, Paulinho, jovem jogador Madeirense, isolado dentro da área não conseguiu bater Bruno Vale, o remate foi mal feito mas de qualquer maneira, merece destaque a exibição deste jovem jogador Maritimista, esteve 20m em campo e a muito bem.

O Jogo terminou com uma vitória do Marítimo

Conclusão: È a tal coisa, nem bem nem mal, foi um jogo agradável. Ambas as equipas estiveram a um nível médio e mostraram alguns momentos interessantes de futebol. Na minha opinião o resultado mais justo teria sido o empate, porque salvo erro a única coisa que não empatou neste jogo foi mesmo o resultado, porque em tudo o resto Marítimo e Estrela estiveram empatados.

Melhor jogador do Marítimo- Zé Carlos, tem mostrado ser um ponta de lança exímio, trabalha muito, corre imenso e nos momentos certos, ou marca ou da a marcar.

Pior jogador do Marítimo- Mancuso, foi uma nulidade, como já vem sendo habito desde há 4 jogos para cá, só teve bem na marcação do livre.

Melhor jogador do Estrela-Maurício, grande jogador, defende, ataca, marca livres, fiquei muito bem impressionado com este Sr.

Pior Jogador do Estrela
-Bruno Vale, pode ter sido só neste jogo, mas ele comprometeu bastante.

Momento do jogo
Um penalti que ficou por assinalar a favor do Estrela, posso estar enganado mas o lance de Mancuso dá-me ideia de ser penalti.

FORÇA MARITIMO ALLEZ ALLEZ

Estrela, é pa força pessoal, vocês têm boa equipa e jogam com garra, tenho fé. Vocês que também tenham.;)
[Garras12]

-------------------------////////////////------------------------

Visão Tricolor

Mais um jogo em branco - resultado e golos.

Mais um jogo com resultado injusto, dantes ainda empatavamos injustamente quando mereciamos ganhar, agora perdemos mesmo.
Para esta partida e novamente sem o contributo de Coutinho e Manu, a equipa fica realmente muito desfalcada, porque os suplentes dos 11 titulares indiscutiveis são uma nódoa.Amoreirinha adaptado a lateral esquerdo e Zamorano a jogar!!! de inicio e em vez de defesa lateral esquerdo foi para extremo esquerdo.
Acho que sem os onze de sucesso que são: Bruno Vale, Tony, Mauricio, Santamaria, Valdir, Pedro Simões, Coutinho, Andre Barreto, Manu, Semedo e Rui Borges aquilo para o treinador deve ser um pesadelo: "E agora? Nao tenho dois ou tres indiscutiveis e que sao os unicos que sabem jogar, é so coxos, que raio hei-de inventar para tentar nao perder?"

Foi nesse espirito que começou a partida, tentar adiar o golo do Maritimo que tem uma tripla goleadora fora de serie com Kanu, Ze do Gol e Rincon e surpreender em contra-ataque, algo que só resultou na primeira parte.
Aos 31 minutos um livre directo de Mancuso obriga Bruno Vale a excelente defesa.
No entanto aos 42 minutos aconteceu o primeiro caso do jogo. Mancuso rasteira Rui Borges na área e o árbitro faz vista grossa mandando seguir o jogo, é a lei das compensações normal nos campeonatos. Primeiro roubo-te contra um grande ou de lugar cativo e depois compenso-te mais para a frente contra um Bobo-da-Liga qualquer, e que seja para rebaixar.

A segunda parte começou praticamente com o golo madeirense. Um tento de Kanu aos 55 minutos garantiu os três preciosos pontos para o Marítimo.
Os tricolores conseguiram criar duas ou três excelentes situações para desfeitear Marcos, duas das quais através do inconformado Semedo, mas a maior perdida foi de Rincon, pouco depois do primeiro e unico golo da partida.
Aos 60m e de livre directo, como vem sendo habito, Maurício só não marcou porque Marcos e o poste não quiseram. É apenas mais um lance em que se revela o azar que nos persegue, se tivessemos a perder por dois tinha entrado, como aconteceu a semana passada.
Até final ha registar o acordar da equipa estrelista mas que obviamente resultou em nada, o que vem sendo um habito. Um mau habito por sinal.
Contudo, e por aquilo que produziu no jogo, o E. Amadora não merecia sair derrotado dos Barreiros, já que foi sempre a melhor formação em campo e que contou com as melhores ocasiões de golo.

Notas positivas:
Boa replica do Estrela, o conjunto joga bem, podendo ser considerado o melhor futebol sem balizas da Primeira Divisão.

Notas negativas:
A quantidade de situações claras de golo desperdiçadas.
A quantidade de pontos desperdiçados esta época injustamente e por falta de eficacia.

Extra-futebol:
186 euros como bilhete mais barato de ida e volta para a Madeira no mesmo dia é algo de ridiculamente inconcebivel. Este País esta mesmo mal quando em deslocações de pessoas dentro do mesmo, custam metade do Ordenado Minimo Nacional. É inadmissível.

[Estrela]

1ª Divisão Distrital de Viseu - 18ª Jornada



Santar 2 Vouzelenses 1
Santar: João Paulo, Marcelo, Neves, Pires, Semedo, Mariano, Márcio, Sérgio Peixoto, Dani, Bruno(C), Marinho
Substituições: Sérgio Peixoto por Gerson(48’), Dani por Zé Manel(60’) e Neves por Carlos(86’)
Suplentes não utilizados: Sérgio, Pedro, Novo, Xarila
Treinador: Paulo Sant’Ana
Vouzelenses: Viegas, Carlitos, Filipe, Marujo, Taveira, Timex, André(C), Alex, Simão, Vitória, Meireles
Substituições: Meireles por Bá(45’), Simão por Jorge(50’)
Suplentes não utilizados: Márcio, Ferreira, Banana, Sassi, Paulo
Treinador: ?
Estádio: Francisco Vital
Árbitro: Marco Ferreira
Resultado ao Intervalo: 2-1
Acção Disciplinar: Amarelo: Alex(27’), Timex(32’), Simão(36’), Mariano(45’), Marujo(60’), Gerson(75’), João Paulo(90’) e Zé Manel(90’)

Apesar da tarde fria, o jogo foi bem agradável, pena o pouco público presente, muito por culpa do Carnaval.
A equipa do Vouzela a equipar de vermelho e amarelo entrou melhor no jogo, aproveitando alguma apatia da equipa do Santar, que usava a tradicional camisola verde e branca e calções pretos. Apesar da apatia dos homens da casa, a equipa forasteira não conseguia criar perigo. Aos 7’, na primeira vez que foi à baliza defendida por João Paulo a equipa do Vouzelenses fez o 0-1. Este golo trouxe alguma intranquilidade à equipa treinada por Paulo Sant’Ana, que ainda assim foi reagindo até assumir o controlo do jogo. A equipa da casa aproximava-se cada vez mais da baliza de Viegas e aos 19’ Marinho rematou ao poste. Era o pronuncio do que estava para vir. Aos 21’ Márcio marcou um livre junto do banco do Santar, Pires cabeceou, mas acabou por ser Marinho a fazer o desvio final. Este golo tranquilizou a equipa da casa e não mais o Vouzelenses conseguiu criar perigo. Aos 43’ Bruno fez o 2-1 e o seu oitavo golo esta época. Foi uma bela jogada, com Dani a fazer a assistência para o remate final do capitão Bruno.
Na segunda parte o Santar continuou a ser a melhor equipa, num jogo que continuou a ser agradável. A equipa forasteira quase marcou aos 53’ num lance de bola parada, com a bola a embater na barra. O Santar teve a oportunidade para acabar com o jogo, mas Gerson não viu Marinho isolado e foi para a jogada individual, acabando por ser desarmado. Alguns minutos depois foi a vez do Vouzelenses dispor de uma situação idêntica, com Vitória a tentar finalizar, quando tinha Alex em melhor posição. Nos minutos finais o Vouzela apertou um pouco e já em desespero até o guarda-redes foi à grande área contrária. Deste lance resultou um perigoso contra-ataque para o Santar que acabou por ser desperdiçado.
O Santar conseguiu uma importante vitória na luta pela manutenção. Esta vitória significou uma subida de 3 lugares para a equipa verde e branca.
A equipa de arbitragem fez um trabalho aceitável.

Moimenta da Beira 3 Lamego 0
No Estádio Municipal Eduardo Requeijo Alves não houve surpresa. Apesar do Lamego estar melhor classificado, seria surpreendente se tivessem ganho. Vencer na casa do Moimenta da Beira é quase impossível.

Mortágua 1 Campia 2
O Mortágua perdeu três preciosos pontos na luta pela manutenção frente a um Campia que está bem melhor que na 1ª volta.

A. Viseu 3 Lusitano 1
No segundo derby Viseense da história entre estes clubes, o Académico de Viseu voltou a levar a melhor. O A. Viseu inaugurou o marcador aos 18' por Jusko, mas Brito empatou ao 38'. Na segunda parte Jusko bisou aos 61' e Tiago fechou o resultado aos 90'. É lamentável a confusão que ainda existe em torno deste Académico de Viseu. Uns ainda o chamam de Farminhão em tom de gozo enquanto que os outros atribuem os feitos do CAF(o verdadeiro Académico de Viseu) a este clube. Esta confusão passa inclusive pelos jornais, que na antevisão deste jogo falavam nos derbys do passado entre estas duas equipas.

Sampedrense 2 Santacombadense 3
O jogo grande da jornada disputou-se em São Pedro Sul. Pela primeira vez esta época o Sampedrense utilizou o Estádio Municipal da Pedreira, que esteve em obras para colocação do sintético. O dia da inauguração não foi muito agradável para os homens de São Pedro pois perderam em casa com o líder e ficaram a 11 pontos de distância. A equipa forasteira chegou à vitória nos minutos finais, quando estava reduzida a dez jogadores.

O. Frades 0 Mangualde 1
O Mangualde tinha despedido Carlos Marques e à duas semanas contratou Luís Almeida(ex- Sátão), mas o treinador neste jogo já foi Rui Manuel. O Mangualde parece ser o clube satélite de treinadores do Tondela. Primeiro foi João Bento que após uma semana em Mangualde foi para Tondela, desta feita foi Luís Almeida após duas semanas a ir substituir o próprio João Bento no Tondela. Esta vitória do Mangualde volta a aproximar o clube do segundo lugar, enquanto que os da casa voltaram a ficar mais próximos dos lugares de descida.

Molelos 2 O. Douro 1
No campo Vale da Prata encontraram-se os dois últimos e o Oliveira do Douro até esteve a vencer, mas o Molelos conseguiu dar a volta ao jogo.

Paivense 2 Lamelas 1
O Paivense conseguiu uma vitória importante na luta pela manutenção frente a um Lamelas que depois de um início de época fabuloso tem também agora que pensar na manutenção.

Futsal - Benfica 3 - 3 Sporting

Visão Sportinguista

No passado dia 25 de Fevereiro, Benfica e Sporting voltaram a encontrar-se num jogo que teve pouco de espectáculo como o que era proporcionado há duas épocas atrás. Primeiro, porque o Benfica está pior do que era (saiu Miguel Almeida) e o Sporting não está ao nível da 1ª volta; segundo, porque o André Lima não se encontra nas melhores condições físicas e os reforços de Inverno de ambas as equipas não trouxeram nada de novo.

Assim sendo, a alternância no marcador (0-1, 1-1, 1-2, 2-2, 3-2, 3-3) ainda foi o único lenitivo da partida.

Resumido, os encarnados continuam a 11 pontos dos verdes e branco, embora com um jogo a menos e praticamente arredados do 1º lugar que ainda poderá ser discutido pela F. J. Antunes e Freixieiro, com o Olivais e o Pombal a dificultarem a vida ao S.C.P. que, dificilmente, será arredado da liderança.

[Skin]

Visão Benfiquista

O jogo começa mal para o Benfica, perdeu o seu capitão por lesão logo nos minutos iniciais, André Lima no entanto deve estar apto para os próximos compromissos dos encarbados.

Após os primeiros minutos de estudo mútuo em que ambas as equipas procuraram evitar erros que poderiam ser fatais, a equipa que errou primeiro sofreu de imediato as consequências, perda de bola de Ricardinho aproveitada da melhor forma por Bibi.
A contrastar com os primeiros minutos de jogo muito mornos o golo leonino acordou o jogo principalmente devido ao esforço encarnado para chegar ao golo. Golo esse negado sucessivamente por João Benedito, com uma exibição fantástica nesta primeira parte.
O esforço do Benfica acabou por ser compensado pelos pés de Coco que se limitou a encostar à boca da área uma assistência de Rogério.
Com o golo da igualdade o pouco público presente na Luz explode de alegria, no entanto, essa euforia não durou muito tempo.
Menos de um minuto depois Paulinho restabelece o empate através da marcação dum livre de 10m.
Os pupilos de Adil mantêm o esforço ofensivo mas o rigor defensivo leonino, um Benedito muito inspirado e alguma felicidade levaram o Sporting para o balneário a vencer por 2 bolas a 1.

O Benfica saiu para os segundos 20 minutos com a mesma motivação que proporcionou a excelente resposta ao 1º golo leonino mas o rigor defensivo dos leões ia mantendo a bola afastada da baliza de Benedito que sempre que os colegas falhavam estava lá para negar o golo.
O primeiro golo da 2ª parte nasce dum erro de Zézito que praticamente ofereceu o empate ao nº 6 benquista, Wilson.
Pela primeira vez no jogo, o Benfica chegou à vantagem no marcador pelos pés de Sidnei num lance de superioridade das águias quando faltavam 7’ para o final do encontro.
Apesar de não conseguir uma resposta à desvantagem tão eficaz como os encarnados os leões tentaram igualar o jogo mas desta feita também Zé Carlos por algumas vezes conseguiu negar o golo aos leões nomeadamente em dois livres de 10m em que se superiorizou a Paulinho.
A dois minutos do fim Paulo Fernandes lança Evandro como guarda-redes avançado e Nené para posição de pivot, alteração arriscada que acaba por ser compensada com o empate leonino exactamente através de Nené.

O jogo termina com uma igualdade a 3 golos que beneficiou claramente o Sporting, o Benfica luta neste momento para fugir a uma das equipas profissionais nos quartos de final do play off, mas com a competitividade que este campeonato está a evidenciar, seja qual for o adversário nos quartos de final do play off vai ser certamente uma eliminatória complicada.

[PRM]

domingo, fevereiro 26, 2006

Nacional Vs Vitoria SC

Visão Nacionalista

Resultado Justo

Podemos dizer que foi um resultado ajustado ao que as duas equipas puseram em campo.

Num jogo muito bem disputado entre duas equipas que jogaram para ganhar, entrou melhor o Guimarães que teve a supremacia nos primeiros 15 minutos acabando por alcançar um golo numa boa jogada de Wesley.
O Nacional reagiu bem, tomou conta do jogo e chegou justamente ao empate através de Chilikov, jogador que desperdiciaria várias oportunidades, uma das quais inacreditavel. Este bulgaro tem me desiludido e ainda não conseguiu justificar os creditos de goleador com que vinha referenciado. Deste Chiligol, temos visto muito pouco além de falhar golos certos. Nalguns destes lances Nilson, o guardião vimaranense tem tambem muito merito ao evitar o golo do avançado búlgaro.

Voltando ao encontro, na segunda parte tivemos mais do mesmo com ambas as equipas a poderem chegar à vantagem, resultado esse, fosse quem fosse que marcasse, seria injusto para a outra equipa. Por isso justifica-se o empate, e nem considero um mau resultado para o Nacional, pois o Gumarães destes ultimos tempos tem se mostrado muito forte. Aliás, à medida que o campeonato avança para o seu fim, estas equipas em zonas de descida revelam-se complicadíssimas.

Agora, falemos dos casos polemicos do jogo:
Dois lances de bola na mão (ou mão na bola) dentro da área do Guimarães. Já vi muitos penaltys marcados por situações daquelas. A verdade é que seria bom que definissem duma vez por toda os critérios para estas situações pois até agora o único critério que tenho visto é que quando a bola toca na mão dum jogador do Nacional é penalty (já aconteceu por 3 vezes esta época) e o contrário nunca acontece.
Independentemente da justiça do empate, os dois lances de ontem poderiam perfeitamente ter sido sancionados a acreditarmos nos critérios que temos visto em alguns jogos e como tal poderemos dizer que o árbitro acabou por ter influência no resultado. Acho que este é um lance de futebol (bola na mão) que deve ser estudado pelos responsaveis da arbitragem de forma a encontrar-se uma coerência na sua avaliação.
Quanto ao Nacional, acho que continua na luta europeia, embora ultrapassado pelo Boavista que além de muito mérito tem também tido alguma sorte nos ultimos resultados que obteve. Prevê-se muita luta até ao fim pelos lugares europeus.
Vem aí um ciclo de jogos complicados para o Nacional mas esta equipa já provou que não tem medo dos desafios.

Viva o Nacional, o melhor das Ilhas!!!

[Tito Velosa]

--------------------------////////////////////----------------------

Visão Vimaranense

Mantém-se a tradição... e a recuperação

O Vitória alcançou um empate num terreno sempre difícil como é o do Nacional. Até a própria tradição dá razão, já que o Vitória nunca lá ganhou. E pelo menos durante mais uma temporada assim continuará... Mas o empate e consequente ponto ajustam-se perfeitamente aquilo que se passou ao longo dos 90 minutos.

O Vitória marcou cedo, logo aos 13 minutos, Wesley irrompeu pelo meio da defesa nacionalista e abriu o marcador, culminando com o grande golo uma bela jogada individual. Mas valha a verdade, foi a única coisa de realce que o brasileiro fez...
A partir daí o Nacional tentou, como é óbvio, chegar à igualdade, o que veio a suceder já perto do intervalo, em mais um erro, que não pode, mas teima em se repetir. Foram erros infantis como este, que colocaram o Vitória nesta posição... E assim é difícil sair dela.
A segunda parte não foi tão interessante. O Nacional teve maior posse de bola e dominou territorialmente o encontro, o Vitória saía em contra ataque para surpreender a defesa da casa. Mas foram poucas as ocasiões de perigo junto das balizas, e as que houve foram resolvidas pelos dois guarda-redes.

A arbitragem foi muito contestada pelos adeptos da casa. Queixam-se de duas grandes penalidades. Uma hipotética mão de Moreno (a tv não esclarece se foi com o peito ou o braço), e uma mão na bola, ou bola na mão, eis a questão, de Vítor Moreno. Nos dois lances o árbitro merece o benefício da dúvida. Aliás como no lance do golo anulado a Benachour no segundo tempo, por pretenso fora de jogo, que as imagens televisivas não dissipam. Já o fora de jogo a Sagan, quando este já se escapava para a área do Nacional, isolado, não há dúvida. Não existiu.

Um empate justo e mais um ponto para o Vitória, numa altura em que qualquer ponto que seja, pode ser deveras importante para o futuro...
Os próximos 4 jogos são importantíssimos. A começar pela recepção ao Setúbal na sexta-feira, e depois os jogos em Paços de Ferreira, Académica (casa) e em Barcelos com o Gil Vicente. Quatro "finais", quatro triunfos que com o apoio da fantástica massa associativa (ontem foram meia centena na Choupana) vamos conquistar.

Força Vitória!

[Pedro]