sábado, setembro 30, 2006

Futebol Feminino XXV


Campeonato do Mundo de 2007(apuramento)
Entre o dia de hoje e o próximo sábado vão-se ficar a conhecer as equipas apuradas para o campeonato do Mundo a realizar na China.

Grupo 1: A Noruega já estava apurada, mas ainda assim não facilitou e foi à Itália vencer por 1-2.

Grupo 2: A Suécia garantiu o apuramento com uma vitória fácil de 2-0 sobre a R. Checa. Hanna Ljungberg bisou na partida e as escandinavas só não marcaram mais por mero acaso.
Veja o vídeo do jogo:
http://www.youtube.com/watch?v=sh-yjDJS5Yc

Portugal despediu-se deste apuramento para o mundial da mesma forma como o começou, ou seja com derrotas e sem qualquer ponto. Em 8 jogos Portugal marcou 4 golos e sofreu 31.
No passado dia 23 a selecção perdeu na Bielorússia por 3-2, com os golos a serem marcados por Liliana Martins e Joana Azevedo.
Na passada quinta-feira, 28, Portugal recebeu no Estádio 1º de Maio em Lisboa a Islândia e perdeu por 0-6. Neste jogo o destaque vai para a homenagem a Carla Couto pelas suas 100 internacionalizações.

Grupo3: A Dinamarca conseguiu-se apurar-se graças a uma vitória por 1-0 frente aos vizinhos da Finlândia. Maiken Pape foi a heroína ao marcar o único golo do jogo aos 55’. Apesar de falhar o apuramento, a Finlândia continua a sua evolução no futebol feminino, sendo cada vez mais uma selecção a ter em conta.

Grupo 4: A tarefa da Rússia adivinhava-se muito, muito difícil e a Alemanha fez por comprovar isso. No jogo de sábado venceu na Escócia por 0-5 e no jogo da decisão foi à Rússia vencer por 2-3. A equipa Alemã marcou 3 golos em 13’, para perto do final permitir que a Rússia marcasse 2 golos. Prinz voltou a marcar e Garefrekes voltou a exibir-se a grande nível. Alemanha no Mundial e como principal candidata

Grupo 5: Hoje joga-se o decisivo França – Inglaterra. A Inglaterra precisa apenas de um empate.


Equipas já apuradas:
Europa(UEFA): Noruega, Suécia, Dinamarca, Alemanha
Ásia(AFC): Austrália e Coreia do Norte
Anfitrião: China

Europeu de Sub 19(apuramento)

Grupo 1: França e Suécia já se apuraram após duas vitórias. A França goleou o Cazaquistão por 11-0 e as Ilhas Feroés por 7-0. A avançada Marie Laure Delie marcou 5 golos nos 2 jogos. A Suécia deu chapa 7 ao Cazaquistão e Ilhas Feroés.

Grupo 2: Espanha e Polónia já estão apuradas. A Espanha no primeiro jogo goleou a Letónia por 14-0. No segundo jogo venceu a Arménia por 3-0.

Grupo 3: Bélgica e Inglaterra garantiram o apuramento após goleadas à Estónia e vitória tangenciais contra a Grécia.

Grupo 4: As vizinhas Alemanha e Áustria não tiveram dificuldades em garantir o apuramento. No segundo jogo a Alemanha venceu a Geórgia por 18-0 com um poker de Isabel Kerschowski e Maxine Mittendorf(marcou mais 2 contra a Macedónia).

Grupo 5: Holanda e Noruega passam à próxima fase. Ambas as selecções têm 15 golos marcados e 1 sofrido.

Grupo 6: No grupo de Portugal a Suiça já se apurou após duas vitórias fáceis. Portugal está com grandes dificuldades(algo inesperadas) para se apurar. No primeiro jogo perdeu 3-1 com a Hungria, depois de ter estado em vantagem logo aos 6’ com um golo de Filipa Galvão. No segundo jogo a selecção das quinas não foi além de um empate a zero com a anfitriã Turquia. Para amanhã está marcado o jogo decisivo contra a Suiça. A nossa selecção precisa de ganhar e de esperar um empate no jogo entre a Hungria e Turquia. Muito complicado.

Grupo 7: O País de Gales já se apurou. Na última jornada Ucrânia e Roménia decidem quem a segunda equipa que segue em frente.

Grupo 8: Dinamarca, Irlanda do Norte, Sérvia e Azerbeijão apenas iniciam o apuramento dia 3.

Grupo 9: O grupo conta com a presença da Israel, Escócia, Eslovénia e Rússia e terá o seu início dia 13.

Grupo 10: Itália e Republica da Irlanda já estão na próxima fase após vitórias tranquilas frente à Eslováquia e Bulgária.

Grupo 11: Finlândia e Republica Checa seguem em frente.

França
(Feminine Division 1)
O campeão em título, Jusivy, já lidera o campeonato após 3 jornadas. A equipa soma 12 pontos em 3 jogos. Em segundo está o rival Montpellier com 10 pontos.

Nota: A pontuação em França é diferente. 4 pontos para a vitória, dois por empate e um ponto por derrota.


Islândia
(Kvenna Landsbankadeild)
O campeonato islandês já terminou. O Valur foi campeão, levando a melhor sobre o vencedor do campeonato em 2005, o Breidablik.

Finlândia
(Naisten SM)
O FC Honka está muito próximo do título, quando faltam duas jornadas para o fim do campeonato. A equipa dispões de uma vantagem de 8 pontos para o FC United(-1 jogo) e 9 para o campeão HJK(- 2 jogos), sendo que estas duas equipas se vão defrontar na próxima jornada.

Dinamarca
(Kvinde 3F Ligaen)
Após 7 jornadas os suspeitos do costume estão nos primeiros lugares. Fortuna(1º) e o campeão Brondby(2º) são uma vez mais os grandes candidatos à vitória. Em destaque tem estado o Skovlunde da guarda-redes Portuguesa Sofia Grave. Actualmente em 3º lugar a equipa está apenas a 4 pontos do Fortuna.

Até para a semana

Naval Vs Beira Mar

Estádio: José Bento Pessoa
Assistência: 1.282 espectadores
Árbitro: Rui Costa (Porto)

Pesadelo

O Beira-Mar ficou “isento” da 5ª jornada da Liga Bwin. Alguém viu a equipa em campo ?

Exibição pobre, sem fio de jogo, sem rumo, sem líder, sem ambição e o mais preocupante, sem honrar as cores do clube. Sem qualquer tipo de qualidade para a Liga Bwin.
O jogo, só deu Naval, Naval, e Naval.. Vergonha!


Para o responsável que me ligou esta semana, a chamar-me a atenção sobre as minhas criticas, dizendo que se devia apoiar a equipa nestes momentos, volto a perguntar, apoiar que equipa ? Onze jogadores ao monte em campo, não pode ser considerado uma equipa!

O Arbitro:

- Teve culpas no 1º golo da Naval, um erro grave. Até aí, tinha feito um trabalho positivo.
Após perdermos 2 pontos em Leiria da forma escandalosa como perdemos, e após novo erro ontem, 5 pontos já nós foram roubados de forma caprichosa. Embora repita, ontem não mereciamos ganhar, mas sim, sermos goleados.

Positivo do jogo:

- O golo de André Leão.

Negativo do Jogo:

- O Beira-Mar.
- Augusto Inácio.

Melhor em campo:

- Nei. O ponta de lança que na epoca jogou no Moreirense, tem estado em grande no inicio do campeonato. É um dos grandes responsaveis pelo bom inicio da equipa da Figueira.

Clubes Atacantes - Derry City Football Club

DERRY CITY

O clube desta semana é um clube com uma história semi-curiosa, no sentido em que pertence a um país e joga no campeonato de outro. O meu conhecimento deles vem do facto de terem calhado com o Benfica na Taça dos Campeões na época de 1989. É uma das minhas equipas preferidas da Rep. Irlanda, mas depois de saber um pouco da história e de como foram excluidos do próprio país comecei a gostar mais desta equipa.

A Irlanda do Norte faz parte do Reino Unido e não da Rep. Irlanda. Consideram-se britânicos e não irlandeses. Mas há muitos dissidentes que acham que as suas raizes não são inglesas e sim irlandesas e como tal há imensos conflitos internos, inclusivé recorrendo à luta armada. O IRA (Exército Repúblicano Irlandês) é um dos expoentes máximos desse conflito. A religião também tem um papel importante neste conflito uma vez que os pro-ingleses são Cristãos Protestantes e os pro-irlandeses são Cristãos Católicos.

Há uma quantidade inacreditável de conflitos publicos e insurreições civis, entre as duas facções que as pessoas em Portugal nem sequer notam pelo facto de ser escamoteado pela imprensa que esconde a maioria dos problemas que se vivem na Irlanda Norte a esse nivel.

Os anos 60 até finais de 90 foram um verdadeiro caos social com imensos atentados bombistas e mortes, tanto na Irlanda do Norte como na Inglaterra, todos ou quase todos prepertados pelo IRA. É muito parecido com o que achamos horrível no Medio Oriente, e o pior é que aqui é entre Cristãos e não entre Muçulmanos e Judeus, o que me parece ser pior mas com uma violencia identica, incluindo como já disse atentados bombistas.

Um acordo de paz foi realizado em 1998 e a situação tem andado mais pacifica mas não sei até que ponto isso persiste nem em que condições mas a verdade é que todos os dias viamos nos telejornais atentados do IRA e agora nunca mais se ouviu tal.

O futebol não fugiu à regra e o Derry City é um dos exemplos disso.

É o clube da cidade de Londonderry, na Irlanda do Norte e foi fundado em 1928.


Jogou no campeonato da Irlanda do Norte até 1973. Até essa altura ganhou um campeonato em 1965 e duas taças, uma em 1948 e outra em 1954.

Na época de 1972/73 a Federação da Irlanda do Norte expulsou o seu estádio das competições internas devido à violência dos seus adeptos.

O Estádio de Brandywell fica situado numa àrea fortemente Nacionalista (pro-irlandesa) e no inicio dos anos 70 foi um verdadeiro inferno na Terra principalmente nas areas circundantes do campo, com grandes conflitos civis.

O expoente maximo desses conflitos foi quando os adeptos do Derry City incendiaram e apedrejaram o autocarro de uma equipa adversária, tendo morrido vários jogadores e adeptos rivais ou Unionistas (pro-ingleses).


Nessa altura a Federação Norte-Irlandesa decidiu que não era possível haver qualquer jogo naquele estádio e o Derry City passou a jogar no estádio do Coleraine (Unionista), mas o publico começou a deixar de seguir a equipa até que o clube desistiu de jogar no campeonato em 1973.

Depois de alguns anos sem a prática do futebol, o clube pediu para jogar de novo no campeonato, o que lhe foi sendo sempre recusado, ano após ano. O problema é que clubes inferiores faziam o mesmo pedido e eram aceites.

1985 o Derry City cansado com tantas negas ano após ano, voltou-se para a Rep. Irlanda e pediu para ser incorporado no respectivo campeonato.

Depois de alguns jogos amigáveis com equipas republicanas, como o Shamrock Rovers, Dundalk e St. Patricks, o Derry foi aceite na federação da Rep. Irlanda, mas na condição de não haver objecções da parte da Federação da Irlanda Norte e da FIFA.

Para a Federação da Irlanda do Norte foi um alivio e disseram logo que não haveria problema algum e a FIFA tendo em conta o que se passava nos dois paises também não se opôs.


Na cidade a festa foi tremenda, porque a população local ansiava por ver a sua terra jogar de novo um campeonato de futebol, ao mais alto nivel. O efeito foi tremendo e o Estádio apresentou durante anos a lotação sempre esgotada.

Começou então na recém criada First Division – Segunda Divisão, em 1985, ganhou a promoção ao escalão principal em 1987 e desde então está entre as equipas do topo no futebol da Rep. Irlanda.

Aliado ao facto de ter uma falange enorme de adeptos, conseguiu até o feito histórico de vencer o Campeonato, a Taça da Liga e a Taça da Irlanda tudo em 1989, apenas com dois anos de Primeira Divisão.


Outro feito histórico foi o facto de ter jogado em dois campeonatos de paises distintos e nunca ter descido de divisão.

Desde então o clube ganhou o campeonato novamente em 1997, tendo ficado em segundo nos anos de 1995 e 2005, e ganhou duas Taças da Irlanda em 1995 e 2002, tendo sido finalista vencido em 1994 e 1997 respectivamente.

Em 2000 o clube esteve perto de ser excluido por questões financeiras, mas o politico, membro do parlamento ingles e do parlamento europeu, e vencedor do Premio Nobel da Paz, John Hume, nascido em Londonderry, e adepto do Derry City convenceu as equipas do Celtic, Manchester United, Barcelona e Real Madrid a deslocarem-se a Londonderry para efectuar em conjunto um torneio com o Derry City FC a fim de garantir fundos suficientes para a equipa poder pagar o que devia à federação.


Assim o clube pode continuar nas competições internas ao mais alto nivel.

Ganhou uma Taça da Liga em 2005 o que lhe permitiu já este ano jogar a Taça Setanta. Esta taça tem a particularidade de ser jogada por clubes da Rep. Irlanda e da Irl. Norte.

Começou oficialmente em 2005 e foi escalonada em dois grupos de 3 equipas. No grupo 1 jogavam 3 equipas da Irl. Norte e no grupo 2 jogavam 3 equipas da Rep. Irlanda, os vencedores de cada grupo encontravam-se na final.

Já este ano foi ligeiramente diferente. Os grupos eram de 4 equipas e mistos, em cada um deles jogavam duas equipas de cada um destes dois paises. Os dois primeiros jogavam as meias-finais e depois uma final com os vencedores destas meias-finais.


Desde o inicio dos anos 70 que o Derry city não jogava com equipas da Irl. Norte (Linfield e Glentoran foram os adversários este ano na Setanta Cup).

A nivel europeu, nenhum clube da Rep. Irlanda ou da Irlanda Norte tem uma grande expressão futebolistica, como tal o Derry City não foge à regra.

A primeira participação na UEFA surgiu em 1965 e na Taça dos Vencedores das Taças, uma vez que tinham ganho a Taça da Irlanda do Norte no ano anterior. O adversário foi o Steaua Bucareste na ronda preliminar e saldou-se por duas derrotas 0-2 e 0-3.

O ano seguinte com a conquista do titulo puderam jogar na Taça dos campeões Europeus. A pre-eliminatória foi muito interessante com um clube ao mesmo nível, o Lyn Oslo da Noruega. À derrota de 3-5 fora seguiu-se uma vitória caseira por 5-1 e assim jogou na primeira eliminatória com os belgas do RSC Anderlecht e perdeu 0-9, a segunda mão não se jogou por razões disciplinares e assim acabou a participação europeia como equipa da Irlanda Norte.


A participação seguinte só surgiu mais de 20 anos depois já como equipa representante da Rep. Irlanda e foi na Taça dos Campeões Europeus devido à vitória no campeonato do ano anterior. Calhou então com o Benfica que nesse ano foi à final perdendo com o AC Milan.

A primeira mão foi em casa e o Benfica ganhou 1-2, já na segunda mão na Luz nova derrota, desta feita por 0-4

Derry City - Benfica 1:2 (0:0) (Carlyle 73 - Thern 59, Ricardo Gomes 64).

Benfica - Derry City 4:0 (1:0) (M. Magnusson 32, Vata 61, Ricardo Gomes 69, Aldair 80).

No Benfica desse ano jogaram nos dois jogos:
Silvino, Aldair, Ricardo, José Carlos, Veloso, Samuel, Jonas Thern, Magnusson, Hernani, Vata, Valdo, Pacheco, Cesar Brito, Vitor Paneira Treinador: Erikson


So voltando à UEFA em 1996 na TVT perdendo para o Lokomotiv Sofia na pre-eliminatoria 1-0 e 0-2.

Em 1998 nova participação Na Taça dos Campeões com o Maribor Branik da Eslovénia 0–2 e 0-1.

Em 2004 pela primeira vez na Taça UEFA na ronda preliminar perderam com o Apoel 0-3 e 1-2

Este ano novamente na Taça UEFA tem sido um ano de gloria para uma equipa deste calibre.

Na primeira ronda calharam com os Suecos do IFK Gotemburg e venceram os dois jogos 1-0 e 1-0, continuaram o passeio na segunda pre-eliminatoria e foram à Escocia ganhar ao Gretna por 5-1 e 2-2 em casa. O sorteio ditou jogar com a equipa de Pedro Pauleta, e como esperado foram eliminados, 0-0 em casa e apenas 0-2 no Parque dos Principes, com um golo do português.


O Estádio de Brandywell é a casa do Derry City FC, com uma capacidade para 8.200 pessoas, onde apenas 2.900 lugares são sentados. Tem sofrido ao longo dos anos algumas remodelações, em 1991 foi construida uma nova bancada e em 2004 foi demolida a parte em que ficavam os piores adeptos do clube, uma zona chamada “Jungle”.

Já este ano em Agosto foram construidos mais 400 lugares para poderem receber o Gretna da Escócia na Segunda ronda de qualificação da Taça UEFA.

Este desenvolvimento do Estádio é para continuar. Os planos para o alargamento do complexo desportivo incluiem 6.000 lugares sentados, com possibilidade de expansão e um novo campo de treinos, com um pavilhão indoor e centro médico.
Estima-se que esteja tudo concluido em 2012 e o seu custo ronda os 15 milhões de Libras.


Palmarés:

1 vez Campeão da Irlanda Norte: 1965

2 vezes Campeão da República da Irlanda: 1989 e 1997

1 vez Campeão da Segunda Divisão da República da Irlanda: 1986

3 vezes Vencedor da Taça da Irlanda do Norte: 1949, 1954 e 1964

3 vezes Vencedor da Taça da República da Irlanda: 1989, 1995 e 2002

6 vezes Vencedor da Taça da Liga da República da Irlanda: 1989, 1991, 1992, 1994, 2000 e 2005.

1 vez Vencedor do FAI Shield: 1986

2 vezes Vencedor da Taça das Cidades: 1935 e 1937

1 vez Vencedor da Taça de Ouro: 1964

1 vez Vencedor do Torneio Top Four: 1966


sexta-feira, setembro 29, 2006

Promessa Atacante da Semana: Sougou





Esta semana destacamos um jogador que recuperou o estatuto de "jovem promessa", após um início de carreira conturbado no futebol português. Modou Sougou chegou à União de Leiria com 19 anos, na época 2004/2005. No entanto, o senegalês não teve muitas oportunidades, e uma grave lesão também não ajudou à sua adaptação aos relvados nacionais.

Na segunda época em Portugal, Sougou rumou a Setúbal e foi pela mão de Norton de Matos que ganhou notoriedade. Apesar da intranquilidade vivida no seio do clube, o jovem realizou uma boa época e chamou a atenção de diversos clubes de maior nomeada.

Findada a temporada 2005/2006, correu a informação de que o FC Porto o contratara, e que iria para o Leiria por empréstimo. O mais curioso foi o facto de ter sido o próprio jogador a espalhar a boa nova, numa entrevista a um jornal do seu país, o L' Observateur: "Tenho que voltar a Leiria, após deixar o Setúbal. O F. C. Porto contratou-me e decidiu emprestar-me à U. Leiria".



O que é certo é que ele viajou mesmo para Leiria, mas nunca se ficou a saber se o passe pertence mesmo ao FC Porto ou não. Mediante o pacto entre os dois clubes, é muito provável que seja verdade...

Esta época está a começar da melhor forma para o jovem africano. Marcou um bom golo ao Porto e deu a vitória aos leirienses na última partida, contra o Maritimo, onde foi também considerado o melhor em campo. Cada vez mais se afirma como a principal arma do clube do Lis.

Internacional pelo Senegal, o jovem apresenta como principais trunfos a velocidade explosiva, aliada a uma técnica, que não sendo muito apurada, chega para trocar os olhos aos defesas adversários. Se continuar assim, não tardará a dar o salto para um clube grande. Veremos se não é já em Janeiro...


Ficha Técnica




Nome: Modou Sougou
Data de nascimento: 1984/12/18 - 21 anos
Naturalidade: Fissel - Senegal
Posição: Ala ou Avançado
Peso: 68 kg
Altura: 178 cm
Clubes: União de Leiria (2004/2005); Setúbal (2005/2006); União de Leiria (2006/2007)

Nostradamus......mas chegamos a todos

Caros amigos, este fim-de-semana desportivo reserva-nos algumas surpresas.Eu não sou gajo de grandes previsões tal qual mestre NOSTRADAMUS nem de intrigas, mas, dadas as circunstancias actuais da-me ideia que vamos ter pelo menos duas xicotadas psicológicas na Liga BWin.


O Marítimo: Ulisses Morais tem sido muito criticado nas opções que tem tido ao comando dos verde-rubros, na verdade não demonstra grandes aptidões técnicas para orientar o plantel e isso é notório nos recentes resultados que a equipa tem obtido.Nas 4 jornadas soma 2 derrotas uma vitória e um empate.



O Nacional: A equipa até tem algum potencial, mas parece que o treinador Carlos Brito não consegue pôr a maquina a funcionar, em 4 jornadas de BWin 3 derrotas e uma vitória suada contra um Setúbal que jogou com os juniores. Para a UEFA, soma duas derrotas, uma fora de casa por 1-0 e em casa por 1-2 mas apenas e só por sua culpa.O Publico dizia a boca pequena, este treinador é pior que o Ulisses Morais pa, tem de ir embora já.




O Estrela da Amadora: Em quatro jornadas a equipa soma 3 derrotas e um empate, mostrou algumas melhoras no ultimo jogo mas parece-me que as opções do treinador não têm sido as melhores, uma derrota este fim de semana pode ser a sentença de “morte” do treinador Daúto Xaharmane Amade Faquirá.Neste momento a equipa tricolor está no ultimo lugar da tabela classificativa.



A Académica: Manuel Machado parece ser dos quatro o que está em melhor posição, mas, em 4 jogos soma 3 empates e uma derrota, os “estudantes” não são muito adeptos do tipo de jogo implementado pelo Manelinho e a contestação parece estar a flor da pele pelos lados da cidade das capas e batinas. Esta época a Académica é um espelho do fado coimbrão, uma triste historia sobre um grupo de gajos que não consegue fazer aquilo que está previsto fazerem por causa de outro gajo que lhes dá ordens.Obviamente que no desporto não é como no fado, e as pessoas não gostam, a contestação está ao rubro e Manelito está na lista Negra dos de Coimbra.

A 5ª Jornada trás, entre outros, dois encontros que podem decidir a vida de 2 dos quatro enforcados:

C.S.Maritimo Vs. Estrela da Amadora

Académica de Coimbra Vs. C.D.Nacional

O objectivo deste post é saber, na vossa opinião, quem vai levar o golpe de misericórdia.

Eu voto no Carlos Brito e no Ulisses Morais, ambas equipas NACIONAL e MARITIMO vão perder os jogos….ou no mínimo empatar.Vamos lá pessoal, digam lá a vossa opinião.

Quem acertar ganha um prémio, um porta chaves com a foto do Tino de Râns de um lado e do outro uma foto do Bispo de Braga, e se mandarem uma sms para o numero 6969- [nome do gajo que leva com o xicote] ganham um barrete de Santarém para usarem nos jogos da selecção.

Notícia Atacante do Dia: Carlos Daniel afastado dos jogos da Selecção Nacional por pressões da FPF

Apesar desta notícia não ser absolutamente nova (veio a público no decorrer da semana passada), pensamos ser da maior pertinência colocar estas discussão à consideração dos nossos leitores.
O jornalista Carlos Daniel, apresentador do programa Trio de Ataque e que fez a cobertura dos jogos da Selecção Nacional até Agosto de 2006, demitiu-se das funções de direcção que tinha na RTP1, nomeadamente na delegação do Porto.

Ao que se sabe, tal decisão do jornalista prendeu-se com o seu afastamento por parte da Direcção do canal dos jogos da Selecção Nacional. Pelo que veio também na Comunicação Social, tal afastamento foi decorrente de pressões da Federação Portuguesa de Futebol que não queria ver o jornalista do Trio de Ataque a "relatar" os seus jogos, tendo sido inclusivé uma das condições para assinatura do contrato que a FPF fez com a RTP para a transmissão dos jogos de apuramento para o Euro2008.

Isto é um claro atropelo das liberdades de expressão de cada um e de um jornalista em particular. A agravar a situação, as critícas efectuadas contra a FPF ou contra o Seleccionador Nacional partiram sempre do painel de comentadores do programa e não do seu apresentador/jornalista.

Sendo hoje Carlos Daniel considerado por muitos o jornalista mais isento/competente da televisão portuguesa, o que pensam os nossos leitores atacantes de toda esta situação?

Acham que Carlos Daniel além de apresentar a demissão do cargo de director, deveria sair também da própria RTP?

O que pensam sobre a atitude da FPF pressionando um orgão de comunicação social?

Memória Atacante XXXV


Hoje não vamos recordar um post da Daniela como habitual, vamos reviver uma época muito especial no Futebol de Ataque, uma época em que os laços de amizade entre todos nós atingiram o auge da sua curta vida, uma época em que por razões infelizes fomos obrigados a esquecer aquilo que nos levou a criar este Blog e nos levou a pedir e a pedir muito mesmo, para que não nos levassem a Daniela deste mundo...

A Dani atravessava um período decisivo na sua recuperação, a quimioterapia era cada vez mais agressiva, a leucemia não perdoava, mas todos nós acreditávamos e dia após dia rezávamos com mais força para que ela continuasse entre nós!

Infelizmente a Dani não resistiu, e agora resta-nos recordar com uma lagrima no canto do olho estes momentos especiais que ainda hoje muito significado têm nas nossas vidas.
Foi perante este ambiente que o NSC, algures no dia 9 de Maio de 2005, resolveu materializar toda a nossa solidariedade num post carregado de emoção e ao mesmo tempo esperança, muita esperança!

Obrigado Nuno, este post tocou-me a mim, e a muitos mais certamente...

Fugindo ao futebol

Não vou neste momento falar sobre futebol, até porque o meu colega de clube, o PRM, se encarregará de o fazer na plenitude, e eu prometo comentar o seu post.
Mas porque feliz ou infelizmente a vida não é só futebol, escrevo hoje aqui um post carregado de sentimento, de esperança, e no fundo de homenagem. Uma homenagem a uma pessoa que está a passar o maior desafio da sua vida, e com quem nós todos da equipa do Futebol de Ataque estamos em pensamento e a dar força a cada dia que passa, na medida do possível. Por isso mesmo, este post é muito pouco direccionado para fora das pessoas do blog, embora simbolize o espírito de união de uma equipa. E serve para lembrar a todos que o futebol deve ser apenas um divertimento e não uma questão de vida ou de morte.

Há cerca de 6 meses atrás, numa pequena brincadeira, "descobri" que a Dani adorava futebol e que gostava de escrever sobre futebol. Aliás, lembro-me de lhe ter perguntado: "conheces alguma amiga tua que goste de escrever sobre futebol? É que estou a criar um blog e achava uma boa ideia ter um elemento do sexo feminino, por forma a sermos um projecto diferente." Ao que ela me respondeu: "Sim, tenho uma amiga que gosta imenso." No seu estilo brincalhão estava a tentar fazer-me uma surpresa, e auto-convidar-se para participar neste projecto. E em boa hora o fez! Sinceramente o primeiro pensamento que tive foi: "Estou a correr um risco... será que ela gosta mesmo disto e percebe alguma coisa?"... A verdadeira opinião machista, infelizmente... :-) Puro engano o meu... Logo no primeiro post apercebi-me que tinha feito provavelmente uma das maiores descobertas da blogosfera, e a partir desse momento a Dani tem sido uma das principais bases deste projecto. E sendo uma das bases do projecto, é essencial ao mesmo.
É além de brincalhona, directa nas suas opiniões, persuasiva, e sem dúvida nenhuma a loira mais inteligente que eu conheço... :-)

Por tudo isto apeteceu-me hoje escrever sobre ti, SpicedBlond, Dani para os amigos, mesmo que não te conheçam pessoalmente. Estamos todos a torcer por ti, todos a rezar, todos a ajudar-te nem que seja com um mail, um post, um P.S. ou um ataque. Toda a equipa do Futebol de Ataque anseia pelo teu regresso.
E o que é bonito é isto: benfiquistas, sportinguistas, portistas, amadorenses, academistas, viseenses, bracarenses, vimaranenses, boavisteiros, paulistanos, sadinos, maritimistas, belenenses.
Todos nós estamos a torcer por ti, num sentimento comum - queremos que regresses rápido para contemplarmos o teu sorriso, para que nos ajudes a lembrar aquilo que um dia me disseste:
"A vida deve ser vivida todos os dias. Temos de desfrutar o dia-a-dia."
Quero crer que terás ainda muitos dias conosco. Quero acreditar que vencerás este desafio. E estaremos aqui todos para aplaudir, todos de pé, como tu bem mereces!

Força Dani!

quinta-feira, setembro 28, 2006

UEFA CUP: CD Nacional vs Rapid Bucareste


Estádio: Estádio dos Barreiros
Árbitro: Zsolt Szabó (Hungria)
Assistência: 7000 espectadores (100 Romenos)

As Equipas:

CD Nacional

Diego Benaglio; José Vítor, Ricardo Fernandes, Ávalos e Alonso; Bruno Amaro, Rodrigo e Chainho; Adriano, Chilikov e Juliano.
Substituições: Entra Bruno Basto , sai Adriano aos 66min; Entra Cássio , sai Rodrigo aos 69min; Entra Cléber, sai Chainho aos 104min.

Rapid Bucareste

Coman; Rada, Ziko, M. Constantin e Badoi; Karamyan, Lazar, Grigoré e Maftei; Buga e Moldovan.
Substituições: Entra Griffiths , sai Ziko aos 57min; Entra Burjujan , sai Moldovan aos 70min; Entra Maldarasanu , sai Grigoré aos 97min.

Nacional da Madeira cai aos pés do Rapid Bucareste no prolongamento.
O Nacional da Madeira até começou bem o jogo conseguindo o golo aos 28min por intermédio de Juliano através da marcação de um livre, com o pé esquerdo. A bola sobrevoa a barreira romena e surpreende o guarda-redes Coman. Desta maneira o CD Nacional fica eliminado das competições europeias, salvando-se apenas o Sporting de Braga pois o Vitoria de Setubal também foi afastado da UEFA CUP.O Nacional começa o jogo da melhor maneira, pressionando bastante a equipa romena e aos 3 minutos de jogo Alonso faz o primeiro remate do jogo e leva perigo à baliza dos romenos. No minuto seguinte, o Rapid Bucareste contra ataca e faz a primeira jogada de perigo. Por volta dos 8 minutos de jogo, Chainha remata ao poste da baliza romena através de um canto batido por Bruno Amaro. Aos 18 minutos de jogo, remate de Ziko, com o guarda-redes Benaglio fora do alcance da bola, mas José Vítor, a evitar in extremis o golo dos romenos, para sorte da equipa alvinegra. Aos 28 minutos, surge o grande golo de Juliano de livre directo. Estes primeiros trinta minutos foram completamente dominados pela equipa do Nacional, conseguindo assim o justo empate na eliminatória. Aos 40 minutos, esteve à vista o golo do Rapid, na sequência de um canto, Benaglio não segura a bola, Buga cabeceia à barra, Moldovan tenta a recarga, mas valeu, novamente, a atenção e intervenção de José Vítor. Chega o intervalo e uma boa primeira parte do Nacional. Criou várias oportunidades, chegou ao golo e empatou a eliminatória. O Rapid reagiu e também poderia ter marcado.

A segunda parte começa novamente com um remate do Nacional da Madeira desta vez de Alonso. Aos 76 minutos, cruzamento atrasado de Alonso para Ricardo Fernandes e este falha o segundo golo do Nacional, ao rematar por cima da baliza romena. Uma perdida incrível. O Nacional a dominar a segunda parte embora o Rapid Bucareste também tivesse tido duas ou três oportunidades de empatar e jogadas de perigo.

Já no prolongamento, a turma da casa viu-se em desvantagem logo no primeiro minuto, após uma jogada confusa na grande área. Ricardo Fernandes efectuou um corte deficiente e Rada aproveitou para empatar a partida e colocar os homens de Bucareste em vantagem na eliminatória. O conjunto insular ficou de seguida reduzido a dez jogadores por expulsão de Bruno Basto, após lance perigoso sobre Griffiths. A tarefa para dar a volta aos acontecimentos revelava-se agora hercúlea para os madeirenses, que acabaram mesmo por ser eliminados da Taça UEFA. O Rapid ainda teve tempo para fazer o 2-1 aos 100 minutos com um golo de Burdujan.

O conjunto insular foi eliminado da Taça UEFA pelo Rapid de Bucareste, ao perder nos Barreiros por 2-1, já no prolongamento.

Melhor Jogador:
Juliano, pois foi ele o autor do golo e o único que deu alguma esperança à equipa do Nacional da Madeira.

Arbitragem: O árbitro poderia ter estado pior, embora tivesse errado em alguns lances do jogo, como por exemplo, na decisão de não expulsar do guarda redes da equipa romena.

Positivo do Jogo: O CD Nacional se ter mostrado, pela segunda vez, à Europa e ter honrado o seu páis e a sua ilha com uma boa exibição e sempre com esperanças de alcançar a vitória, já mesmo quando perdia no prolongamento.

Negativo do Jogo: O Nacional da Madeira, mais uma vez, ter sido eliminado das competições europeias, até tendo capacidade para ganhar e passar à fase seguinte.

Analise da 2ª Jornada da Chanpions League


A 2ª jornada da Champions League decorreu sob o signo da normalidade, não havendo nenhum resultado surpreendente. O Sporting foi a única equipa portuguesa a conseguir conquistar um ponto e a quebrar a tradição de voltar da Rússia sempre com uma derrota. O Benfica desiludiu mais uma vez os adeptos e acabou derrotado, no Estádio da Luz, frente ao Man. United, que aproveitou a única oportunidade de golo que teve. O FC Porto também acabou derrotado pelo Arsenal e não quebrou a tradição, voltando de Inglaterra com mais uma derrota.

Grupo A

A história do jogo entre Levski de Sófia e Chelsea resume-se a poucas linhas. Dum lado uma equipa inexperiente, do outro um candidato ao titulo. Cedo o Chelsea disse que queria vencer e nos primeiro minutos da partida, atirou aos ferros da baliza de Petkov, primeiro por Drogba logo ao quinto minuto de jogo e mais tarde seria Ballack do meio da rua com o guardião búlgaro ainda a desviar a bola. Aos 39 minutos o Chelsea chega a vantagem através do costa-marfinense, a aproveitar uma defesa incompleta do guarda-redes do Levski. No sítio certo e livre de marcação, Drogba atirou a contar. Drogba esteve endiabrado e marcaria por duas vezes mais, confirmando o hat trick e dizendo a Mourinho que pode continuar a contar com ele. Os búlgaros responderam já perto do fim da partida com um golo apontado por Ognyanov, que tinha saltado do banco a 20 minutos do fim. Com este resultado o Chelsea irá receber o Barça em vantagem pontual e com o apuramento praticamente garantido.

O Barcelona deslocou-se a Bremen e sentiu enormes dificuldades para trazer um ponto. O Werder Bremen, que já tinha dado boas indicações em Londres, foi uma equipa que não teve medo do Barcelona e partiu para o domínio da partida, tendo mesmo encostado o Barcelona às cordas nos minutos iniciais. No início da segunda parte, Puyol fez aquilo que os avançados alemães não conseguiram e marcou na própria baliza, ao minuto 56. O Werder Bremen adquiriu ainda mais confiança e poderia ter sentenciado o jogo pouco depois, mas o remate de Borowski saiu junto ao poste. A entrada de Messi revelou-se fundamental para o Barcelona, que também perdeu Eto’o, com uma lesão no menisco. O prodígio argentino foi o responsável pelo sufoco dos alemães nos últimos 20 minutos de jogo e já perto do fim, em boa combinação com Deco empata a partida. O Barca deixa fugir o Chelsea em vésperas de Visitar Stamford Bridge, mas não põe o apuramento em risco, ao contrário do Bremen, que precisava de vencer para não perder de vista os dois principais candidatos.

Grupo B

No outro jogo do grupo do Sporting, o Bayern de Munique ascendeu à liderança do grupo, fruto da vitória alcançada em Milão, já nos últimos dez minutos da partida. O Inter bastante desfalcado, apresentou-se bastante inconstante também e nos primeiros 30 minutos, os bávaros dispuseram de quatro flagrantes oportunidades de golo. O Inter nunca conseguiu contrariar a supremacia alemã e pior ficou quando Ibrahimovic foi expulso já no decorrer do segundo tempo. O primeiro golo dos alemães surgiu ao minuto 80, por intermédio de Pizarro, a premiar o excelente caudal ofensivo alemão. Já perto do fim da partida, e depois de mais uma expulsão, a terceira em jogos da Champions, desta feita Grosso foi o visado, Podolski, que havia entrado segundos antes estabeleceu o resultado final. Vida difícil para Mancini, que vê o cerco a apertar-se e o apuramento para os oitavos de final, começa a ficar cada vez mais longe.

Grupo C

O PSV de Koeman venceu o Bordéus e reparte a liderança do grupo com o Liverpool, que também venceu o deu jogo. O golo dos holandeses foi marcado por Vayrynen, aos 25 minutos do primeiro tempo, premiando uma excelente jogada do ataque holandês. A equipa de Koeman foi sempre mais perigosa. O Bordéus tentou responder mas encontrou em Gomes, um obstáculo difícil de transpor. Já nos minutos finais Olegário Benquerença, mostrou o vermelho a Lamey por este ter dado uma cotovelada num jogador francês, faltavam cinco minutos para o fim do jogo.

O Liverpool recebeu e venceu o Galatasaray, mas sofreu já na parte final para garantir essa vitória. O jogo até começou bem para os Reds, pois aos 15 minutos de jogo, já venciam por 2-0, com Crouch e Luís Garcia a serem os autores dos golos. O domínio do Liverpool foi avassalador e os turcos pareciam perdidos no terreno, tal era o sufoco inglês. Peter Crouch esteve em noite inspirada e ainda marcaria mais um golo, este a ser talvez o melhor golo da jornada. Centro da direita do ataque inglês, e Crouch ainda de fora da área a executar um pontapé de volei perfeito, que deixou Mondragon pregado ao solo. O Liverpool adormeceu e a surpresa esteve à vista. Umit, entrado ao início do segundo tempo, marcaria de cabeça dois golos no espaço de cinco minutos, o que deixou a equipa de Benitez com o coração nas mãos. E seria mesmo Reina a evitar a surpresa, quando a um minuto do fim segurou a vitória, negando o golo a Hakan Sukur.

Grupo D

Neste grupo, o Valência assume-se como grande favorito à passagem aos oitavos de final, depois de bater a Roma por 2-1. Sempre mais incisivo no ataque que os romanos, a equipa do Valência adiantou-se no marcador através de um golo de Angulo. Totti empataria cinco minutos depois, na sequência de uma grande penalidade cometida infantilmente por Moretti sobre o compatriota Cassetti. Ainda antes da meia hora, David Villa estabeleceu o resultado final com um excelente pontapé de fora da área. A Roma tentou procurar a igualdade, mas sem o conseguir.

No outro jogo deste grupo, Olimpiakos e Shaktar empataram a duas bolas. Num jogo equilibrado o primeiro a chegar ao golo foi precisamente o conjunto grego, através de Konstantinou. Mas os ucranianos rapidamente chegaram à igualdade através de Matuzalem. No segundo tempo Castillo voltou a dar vantagem ao Olimpiacos, mas dois minutos depois Maricá restabeleceu a igualdade. Com este resultado, os dois clubes ficam com um ponto.

Grupo E

Depois do pesadelo de Gerland, o Real Madrid cilindrou os ucranianos do Dínamo de Kiev por 5-1. Com uma excelente exibição, talvez a melhor da época ate ao momento, os blancos chegariam ao intervalo a vencer por 3-0, fruto dos golos de Van Nistelrooy, Raul e Reyes. No segundo tempo, Milevsky ainda reduziu, mas Raul e Van Nistelrooy, acabariam por bisar e esmagar o conjunto ucraniano. Com esta vitória, os espanhóis chegam ao segundo lugar do grupo. Com estes dois golos, Raul volta a ser o melhor marcador em actividade da Taça/Liga dos Campeões, com 53 golos.

O Lyon continua a passear classe por onde passa e desta feita deslocou-se a Bucarest para despachar o Steaua, com um concludente 0-3. O Lyon foi sempre mais dominador e chegou ao golo já perto do intervalo depois de uma falha clamorosa de Carlos. Fred oportuno inaugurou o marcador. No segundo tempo seria a vez de Tiago brilhar, e apontar o segundo golo do pentacampeão francês, na sequência de um canto. Benzena fecharia as contas já no minuto 90.

Grupo F

No outro jogo do grupo do Benfica, o Celtic recebeu e bateu os dinamarqueses do Copenhaga por 1-0. O golo foi obtido por Kenny Miller, ao minuto 36, na sequência de uma grande penalidade sofrida por Nakamura, que deixou os nórdicos com a cabeça em água. O Resultado peca por escaço, pois o domínio dos escoceses chegou a ser avassalador, mas a excelente exibição do guardião Christiansen evitou males maiores. Com esta vitória os católicos posicionam-se no segundo lugar do grupo.

Grupo G

No outro jogo do grupo do FC Porto, os russos do CSKA receberam e bateram o Hamburgo por 1-0, com o golo russo a ser apontado pelo brasileiro Dudu Cearense. Num jogo de escaças oportunidades de golo, os russos foram os mais ousados na procura da vitória, que chegou através de um canto, onde o brasileiro cabeceou certeiro. O Hamburgo respondeu com alguma intensidade, mas não conseguiu o empate e aumenta assim para onze o número de jogos sem vencer, desde que começou a época.

Grupo H

Por último, o AC Milan deslocou-se a Lens para defrontar o Lille. Os italianos foram sempre mais fortes que os franceses, mas a exibição inspirada de Tony Silva deitou por terra as ambições milanesas. Aos 50 minutos o caso do jogo: Seedorf faz golo mas o árbitro espanhol Mejúto Gonzales invalida o lance por fora de jogo do holandês, mas as imagens televisivas confirmam a posição legal do jogador do Milan.

No outro jogo do grupo, o AEK recebeu o Anderlecht, mas não foi desta que conseguiu vencer. Frutos apontou o golo dos belgas depois de excelente jogada por ele produzida. Mas 3 minutos depois Júlio César, ex-jogador de Estrela e Gil Vicente, restabeleceu a igualdade.

Champions League: FC Spartak Moscovo Vs. Sporting CP

Estádio de Luzhniki - Moscovo
Assistência: 50.000 espectadores
Árbitro: Martin Hansson (Suécia)

As Equipas:

SPARTAK
Onze inicial: Kowalewski, Jiránek, Geder, Stranzl, Shishkin, Kovác, Mozart, V.Bystrov, Titov, Boyarintsev e Pavlyuchenko
Substituições: saiem Mozart e Pavlyuchenko para entrarem Owusu-Abeye e Rebko (80');

SPORTING
Onze inicial: Ricardo, Miguel Garcia, Tonel, Polga, Caneira, Miguel Veloso, João Moutinho, Nani, Tello, Yannick e Liedson
Substituições: João Alves entra para o lugar de Yannick (82'); sai Tonel e entra Paredes (58'); após intervalo entra Alecsandro para o lugar de Miguel Garcia;

O Sporting conseguiu um precioso empate em Moscovo frente ao Spartak e soma assim o quarto ponto no Grupo B da Liga dos Campeões. Os Leões começaram da pior forma sofrendo um golo logo aos cinco minutos de jogo, mas Nani, aos 59 minutos da partida, empatou o encontro. Este resultado mantém acesas as esperanças leoninas de passar à fase seguinte da competição.


No Estádio Luzhniki o Sporting entrou da pior forma em campo, talvez mesmo pela inadaptação dos jogadores a um piso sintético, algo pouco comum no futebol e pela primeira vez na Liga dos Campeões se disputou um jogo num campo artificial. Os Leões sofreram um golo logo aos cinco minutos - Boyarintsev aproveitou da melhor forma uma falha de Tonel na grande área leonina. A vantagem no marcador deu tranquilidade e confiança ao Spartak para desenvolver o seu jogo e em oposição criou algum desconforto entre os leões que não conseguiram criar reais oportunidades de golo para impôr a igualdade, apenas num livre de Nani que quase surpreendeu Kowalewski. Os pupilos de Paulo Bento revelavam sérias dificuldades para penetrar na defesa rival com os russos movidos pelo brasileiro Mozart a dominarem o encontro.



Na segunda parte, o Sporting conseguiu empatar o jogo aos 59 minutos por intermédio de Nani, a jovem pérola leonina que se revelou um dos mais inconformados do Sporting em campo. O tento teve o condão de incentivar os jogadores leoninos que conseguiram equilibrar o jogo, com os russos a acusarem por seu lado o peso da desilusão.
Nos instantes finais do jogo a balança do controle das operações tendeu claramente para a formação de Alvalade que amealha um precioso ponto num reduto que se avizinhava complicado.

Conclusão:

Pela superioridade do Spartak na primeira parte e do Sporting na segunda, o resultado é, por assim dizer, justo.

Melhor em campo:


Jogou em duas posições distintas, sempre com a mesma eficácia, quer mais à frente no losango, quer depois, como defesa central ao lado de Polga, após a substituição de Tonel. Uma exibição pautada com a serenidade com que desempenhou as duas posições, bem ao jeito do seu treinador!


Arbitragem:


Martin Hansson, inicialmente, intimidou o Sporting com dois amarelos, mas quando os Leões abriram o seu jogo, o sueco reconheceu que, estes não eram uma equipa «qualquer», dai na segunda parte ter admoestado os jogadores do Spartak, quando o Sporting dominava.

Positivo do Jogo:

A agressividade, no bom sentido, do Spartak;
A postura do Sporting na segunda parte.

Negativo do Jogo:

Um Sporting receoso nos minutos iniciais e na segunda parte também se viu um Spartak “amedrontado”.

Notícia Atacante do Dia: Gil Vicente aceita jogar na Liga de Honra

Excepcionalmente o Futebol de Ataque coloca hoje à discussão duas notícias atacantes do dia. Mas o desenlace do caso mais mediático do nosso defeso a isso obriga.

O Gil Vicente após ter sido informado pelo Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa que havia perdido o recurso que interpôs, informou em comunicado que vai aceitar jogar na Liga de Honra nesta época.

O Gil Vicente solicitará ainda o re-agendamento das partidas da Liga de Honra não realizadas até esta data (quatro no total), alegando que a falta de comparência deveu-se a estar a aguardar pela decisão judicial.

Parece chegar ao fim esta novela verdadeiramente portuguesa, embora ainda se vá discutir agora se o que o Gil Vicente fez foi falta de comparência ou não.

O que pensam os nossos leitores atacantes?

Acham correcta a decisão do Gil Vicente?

Pensam que a Liga deveria ser compreensiva nesta situação e fazer o reagendamento dos jogos como o Gil Vicente vai solicitar?

Notícia Atacante do Dia: Convocatória da Selecção Nacional


O seleccionador Luís Filipe Scolari anunciou hoje ao final da manhã a convocatória para o duplo compromisso da nossa selecção do ínicio de Outubro, com jogos frente a Azerbeijão e Polónia.

Da lista de convocados desde logo duas surpresas: José António (Borussia Moenchengladbach) e Manuel da Costa (PSV Eindhoven). O seleccionador nacional justificou as opções com base na escassez de opções de centrais que dispõe neste momento.

Algo surpreendente também o afastamento da convocatória de Ricardo Quaresma.

Seguem-se os nomes:

Guarda-redes: Ricardo e Quim.

Defesas: Miguel, Paulo Ferreira, Fernando Meira, José António, Manuel da Costa, Ricardo Carvalho, Ricardo Rocha, Caneira e Nuno Valente.

Médios: Deco, Petit, Costinha, Maniche e Tiago.

Avançados:
Cristiano Ronaldo, Hélder Postiga, Hugo Almeida, Nani, Nuno Gomes e Simão

Qual a opinião dos nossos leitores atacantes?

Referências estrangeiras do nosso futebol: Josef Szabo


A referência estrangeira desta semana jogou, é certo, nos relvados português, mas foi como treinador que se notabilizou no nosso país. Falo-vos de Josef Szabo, ou se preferirem José Sezabo, um treinador com métodos algo revolucionários para as décadas de 30/40/50.
Nasceu no final do século XIX, em 1896, numa aldeia de pescadores chamada Gonyo, à beira do Danúbio. Quando tinha quatro anos, a sua família mudou-se para Gyor, que, contudo, não ficava muito longe de Gonyo, mas era uma cidade industrializada e deveras desenvolvida. Acabou por ser num bairro pobre dessa cidade que Szabo descobriu o futebol.
Aos 14 anos, começou a trabalhar no ofício de torneiro mecânico, porém todo o seu tempo livre era dedicado ao............futebol. Uma vez que jeito não lhe faltava , integrou a equipa do Gyor, onde acabou por dar nas vistas e aos 20 anos mudou-se para o Ferencravos, a troco de um emprego numa fábrica de munições. Pouco depois acabou, mesmo, por representar a mítica selecção da Hungria, actuando a médio-centro.
Em 1926, a famosa equipa do Szombetely planeou uma digressão pelo nosso país e para se reforçar melhor pediu Szabo emprestado ao Ferencravos. No entanto, a escala na Madeira acabou por ser decisiva para o futuro do jovem Szabo. Na altura, um dirigente do C.D.Nacional convidou Szabo a ficar no Funchal, a fim de representar o seu clube. O húngaro, ansioso por um novo desafio, aceitou o convite e ficou na Pérola do Atlântico. No ano seguinte, acabou por troucar o Nacional pelo arqui-rival Marítimo, que havia sido campeão de Portugal um ano antes.
Em 1929, aquando de uma deslocação de uma selecção do Porto à Madeira, Szabo acabaria por despertar o interesse do F.C. Porto: a selecção de jogadores que jogavam na Madeira bateu de forma inequívoca os nortenhos por 5-1, e o principal desiquilibrador foi …… Szabo. Depois, Miguel Siska, guarda-redes do F.C. Porto, convenceu-o, através de uma carta, a mudar para a cidade invicta, o que acabou por acontecer em 1930, onde foi para jogar e, curiosamente, treinar, trazendo consigo Pinga e, o meu tio-avô, Carlos Pereira.

Foi chegar, ver e vencer: o F.C. Porto foi campeão de Portugal em 1931/1932, sob o seu comando. Todavia, começaram a surgir rumores de que a sua magia já era conhecida em Lisboa, o que levava os dirigentes portistas a deixá-lo no Porto cada vez que a equipa descia a Sul.
Esteve no F.C. Porto até 1937, ano em que acabou por ser despedido do comando dos dragões, vítima dos seus impulsos. Mais tarde, o F.C. Porto tentou com que ele voltassse, numa altura em que o húngaro treinava o Sporting de Braga, mas Szabo já tinha um acordo com o Sporting de ............ Lisboa
Foi, sem sombra de dúvida, nos leões onde atingiu o ponto mais alto da sua carreira. Apesar de tudo ter ganho ao serviço da equipa leonina, foi despedido em 1944, muito por causa do seu carácter, que pouco, ou nada, agradava aos dirigentes, não só do Sporting, como aos restantes dirigentes nacionais.

De seguida, iniciou, aquilo a que podemos chamar, uma autêntica volta a Portugal. Voltou ao Porto e a Braga, mas sem o sucesso de outrora, e depois passou por Faro, Olhão, Espinho, Famalicão, Marvila, Alcântra, Caldas da Rainha, entre outras.
Voltou para o “seu” Sporting, em 53/54 para ganhar mais dois títulos, um campeonato e mais uma taça de Portugal, respectivamente. No entanto, a partir daí, a sorte parecia tê-lo abandonado, quer na vida profissional, quer na vida familiar.
Em 1955, por gratidão ao país que o acolheu, naturalizou-se português, trocando, inclusive, o seu nome para José Sezabo.
Passou os seus últimos anos no centro de estágio leonino, e foi curiosamente onde acabou por morrer. Pelos vistos, a vida tem coisas engraçadas, e Szabo não poderia encontrar melhor local para a sua morte do que um estádio de futebol.
Szabo tinha métodos de treino muito peculiares: nos seus primeiros tempos como treinador, orientava os treinos sentado junto à linha lateral numa cadeira talismã, tirava apontamentos, fumava o seu charuto havano e usava um chapéu de coco. Ganhou a má fama de insultar os jogadores – por vezes até os maltratava -, dirigentes e de ser o general irascível. Não obstante, ninguém pode deixar de reconhecer o seu contributo significativo para a evolução do futebol português.


Ficha Técnica:
Nome: Josef Szabo
Data de Nascimento: 11/5/1896
Data da sua morte: 17/3/1973
Naturalidade: Gyor
Nacionalidade: Húngara
Posição: Médio
Clubes que representou como: Gyor, Ferencravos, Szombately, Nacional, Marítimo e F.C. Porto
Clubes como treinador: F.C.Porto, Sp. Braga, Sporting, Farense, Olhanenses, Caldas......
Internacionalizações: 12

Palmarés como jogador:
1 Campeonato de Portugal

Palmarés como treinador:
1 Campeonato de Portugal
1 Campeonato da Liga
5 Campeonatos nacionais
2 Taças de Portugal