quarta-feira, agosto 31, 2005

Rio ave 3 - 1 Vitória de Guimarães


O Rio Ave continua imparável na Liga Betandwin.com. Depois de na primeira ronda ter batido o Penafiel por 2-0, desta vez foi sobre o Vitória de Guimarães com um esclarecedor 3-1.
A partida até começou equilibrada, com as duas equipas, algo inibidas, a repartirem a posse de bola e as iniciativas de ataque.
A vitória do rio-ave começou a desenhar-se quando, ao minuto 20, Gaúcho enganou Nilson, após assistência de Cleiton. Empolgado pelo público presente, e também pelos bons índices de confiançada equipa, o rio-ave chegou com naturalidade ao segundo golo por Niquinha, num belo golpe de cabeça. A perder por 2-0, a resposta do Vitória tardou e só a dois minutos do final é que o polaco Saganowski reduziu para 2-1, já com Paulo Sérgio em campo no lugar de Pintassilgo. O tempo que sobrou até ao intervalo foi o único período em que o Vitória conseguiu impor-se ao rio ave.

Na segunda parte, os vimaranenses entraram com grande vontade de atacar e até o conseguiram no primeiro quarto de hora, mas contudo, o Rio Ave foi mais eficaz, pois geriu bem o esforço e nunca deixou de (contra) atacar, tendo criado as ocasiões mais flagrantes de golo. A equipa da casa carimbou a vitória por intermédio de Marquinhos, médio ofensivo brasileiro, irmão de Niquinha, e que ao quarto jogo na Liga Betandwin se estreou a marcar. Ou seja, os dois irmãos deram a vitória merecida ao rio ave, num dia com alegrias a dobrar - Sousa finalmente venceu Jaime Pacheco e o Rio Ave, pela primeira vez na sua história, ascendeu ao primeiro lugar da primeira divisão portuguesa.

terça-feira, agosto 30, 2005

Garras 12

Olá a todos

Decorria a época 02/03 e a Direcção do C.S.Maritimo resolveu dar mais animação, cor e brilho aos 30m que antecedem o inicio das partidas e nos 15m de intervalo, aqui nos jogos em casa do Maritimo.

Lembraram-se de criar uma mascote e que melhor mascote seria se não um Leão, pois é.
A ideia criou consistência e eis que no inicio da segunda volta da super-liga lá apareceu um leão, equipado a rigor e a animar os adeptos.A mascote não tinha nome, então durante os 6 meses que se seguiram a direcção do clube lançou um desafio à pequenada, dar um nome à mascote.
As crianças lá foram preenchendo cupons com o nome que achavam ser o mais adequado para aquela figura que ali andava.

No fim da época lá foi anunciado o nome da mascote que acompanharia o Maritimo em todos os jogos em casa, passou a chamar-se GARRAS 12.

Hoje em dia lá anda o boneco a fazer o delirio da criançada, ficou tão famosa entre os miudos que a direcção do Maritimo equaciona a possibilidade de vender répicas da mascote feitos à escala, bom como porta-chaves e mais merchandising.

Esperemos que este ano nos traga mais sorte.
Força Maritimo,

Manu - One Man Show!!!


Finalmente o Estrela Amadora jogou para a Superliga 2005/2006 perante o seu público.
O adversário não era o mais ideal mas também não era nenhum dos três grandes, era a equipa de "xadrez", que faz de João Vieira Pinto, o rei do seu jogo.

O relvado do Estadio José Gomes é uma vergonha, da qual ja tinha dado conta quando comentei o jogo de apresentação contra o Valencia.
A vergonha maior nem é para o clube e sim para a Liga Portuguesa de Futebol Profissional que permite que se jogue num campo com estas condições.

Mas afinal a LPFP vê ou administra o quê? Como é possivel que se tenha jogado futebol de primeira divisão num campo como estes?
É assim que querem que as equipas tragam artistas de maior valia para o nosso futebol?

Imaginem uma equipa tentar contratar um jogador habituado a grandes ligas e bons relvados e depois mostrarem-lhe campos como estes, onde nem vacas conseguem pastar e vejam as reacções. Se fosse eu desatava a rir e recusava o contrato, terminantemente.

Quanto ao jogo em si, serviu para mostrar que afinal o Estrela não vai ser um coitadinho aqui nesta Superliga. Aliás das 3 equipas que subiram nenhuma delas esta a desiludir em termos de futebol e de resultados.

A equipa escalonada por Toni trazia apenas um jogador da época passada. Santamaria como defesa central, de resto 10 caras novas, mas muito futebol, que quando estiver entrosado vai ser muito dificil de parar. Manu e Anselmo na frente vão ser grandes quebra-cabeças para muito boa gente, como foram ontem para o Boavista, mas de pontaria mal-afinada, infelizmente.

Logo inicio da partida ainda com dois minutos de jogo, Anselmo pega na bola pouco antes do grande area e corre com ela entrando na area, descaido para a direita, rematando cruzado com a bola a sair rente ao poste contrario, com William somente a poder olhar para ela. Estava dado o mote, o Estrela iria atacar e o Boavista ia fazendo o que sabia ou podia. E foi assim que se passou quase todo o encontro.
De seguida Manu recebe a bola num cruzamento largo de Rui Duarte e depois de dominar a bola e frente a William remata para uma grande defesa do guarda-redes boavisteiro, na recarga e apertado por dois defesas Anselmo atira ao lado.
O jogo corria rapido e sempre com o campo a descair para o lado em que atacava a equipa tricolor.
Aos 15 minutos Manu - quem é que havia de ser - pega na bola no meio campo, e numa correria desenfreada, finta um, dois, três jogadores do Boavista e quando entra na area para rematar é desarmado por Cadu,"in-extremis".
Perto dos 25 minutos novamente o numero 35 tricolor recebe novo cruzamento e novamente so com William pela frente remata com o guarda redes muito em cima e perde-se a bola pela linha de fundo.
A partir dai o jogo tornou-se mais equilibrado e o Boavista chegou a area amadorense e de cabeça podia ter marcado mas o cabeceamento saiu fraco e ao lado. 5 minutos depois, já para lá dos 45 minutos os axadrezados num livre, do tipo canto mais curto, chegam ao golo por intermedio de Helder Rosario, que responde bem de cabeça ao cruzamento.
O Intervalo chega com bastante injustiça no marcador. A haver um vencedor ao intervalo seria o Estrela e não seria por um golo de diferença apenas.

Na segunda parte, Toni deixa nas cabines Rui Duarte e Paulo Machado, e põe nos seus lugares Igor Souza e Rui Borges, para dar mais acutilância ao ataque.
Aos 55 minutos, uma entrada de Tiago, em tudo a fazer lembrar os tempos do treinador Jaime Pacheco, vale-lhe o segundo amarelo e consequente expulsão.
As equipas neste periodo estiveram mais equilibradas. O Boavista começou então a pensar em atacar também, coisa que o Estrela não tinha sequer deixado tentar no primeiro tempo. Mesmo assim os nortenhos não tiveram uma oportunidade clara de golo, apenas um livre directo que acabou na barreira e três cantos. Até os remates se contam por menos de metade dos que conseguiram efectuar na etape inicial.
O jogo caminhava para o fim e o Boavista cada vez se encontra mais atrás no campo que com menos um jogador, fechava-se ainda mais e o futebol passou a ser mais de contenção.

A certa altura e como os cruzamentos para a area não saiam ou não resultavam, Mauricio - o pontapé canhão - decide que só com um grande remate de longe, que é a sua especialidade, se consegue pôr meia-justiça no resultado. Se assim pensou melhor o fez. Pega na bola no meio campo e remata em cima da linha da grande lua, a 40 metros da baliza. O remate foi com bastante força e com a ajuda do péssimo relvado??? acabou por marcar um golo tipico de futebol de praia, com a bola a bater no solo e passar por cima do guarda-redes.

Ainda havia tempo para tentar ganhar o jogo, mas a falta de sorte e o desarcerto, dos avançados e do proprio Mauricio não deram para mais.
O jogo acabou, graças a Deus para o Boavista e para os seus defesas laterais, Manu foi quase ímpossivel de travar e poderia o Estrela ter saido vencedor se tem finalizado uma das imensas vezes que esteve frente-a-frente com William.

Positivo:

  • Os jogadores do Estrela que individualmente são muito bons, e quando formarem uma equipa entrosada vao ser muito melhores.
  • Árbitro seguro e sem casos.
  • Muito publico no estádio, para uma equipa como o Estrela, habituada ao "deserto nas bancadas".
  • A claque do Estrela, bem composta, muita malta nova, sempre a apoiar, e principalmente sem um unico cântico negativo para com jogadores, pessoas ou equipas adversárias.
  • As declarações de Carlos Brito quando disse que o relvado era deploravel.

Negativo:

  • O estado do relvado, que é uma piada de muito mau gosto.
  • William a perder tempo nas reposições de bola. Isto numa equipa como a do Boavista que se diz candidata à Europa é muito mau.
  • A claque axadrezada, que para além de apoiar e bem a equipa, resolveu entoar cânticos anti-benfica!!! O famigerado "Slb, slb, slb, slb, FDP, slb..." num jogo com o Estrela Amadora, o que no mínimo é ridiculo, sebem que já faça parte do futebol português, e é como um hino da Superliga como em tempos foi uma "musica" dedicada a Pinto da Costa e que também se ouvia em qualquer campo - " Ó Pinto da Costa!!! Vai para o c..."
  • As declarações de Carlos Brito quando disse que o Boavista dominou o jogo, só podem ser irónicas.
  • As declarações inexistentes de Toni acerca do relvado e a dizer ainda que esperam mais jogadores. Pergunta: Ainda mais jogadores para além dos 19 que contrataram esta epoca? E porque? Quem é que está a ganhar com isto?

Curiosidades:

  • Estreia de novas redes nas balizas do Estadio José Gomes.
  • O célebre "emplastro" que se encontrava junto á claque axadrezada e onde pudesse ser filmado.


Extra-jogo:

Muitas pessoas já me perguntaram quem é Manú, e eu quando respondo que é do Benfica e está de empréstimo ficam boquiabertas!!!Não sei qual é o espanto geral de acharem Manu um bom jogador. O rapaz esteve o ano passado em Italia onde jogou na Serie B e na Serie C em duas equipas distintas. Este ano e como precisa de maior visibilidade em termos de Benfica nada como faze-lo rodar na Superliga, para melhor o poderem observar.
Eu disse que acerca da sua contratação se viesse sem "manias de vedeta" ia ser uma das melhores ou senão a melhor contratação, só comparavel com Anselmo ex-Torreense, mas dei-lhe o beneficio da duvida e continuo a dizer que o jovem do Torreense (ou muito me engano ou anda vamos fazer bom dinheiro com este rapaz numa futura transferencia) é que será a revelação da equipa porque o Manu já é conhecido desde os tempos do Alverca na 1ª Divisão.

Karagounis - o nº10, finalmente


Parece que desta vez é mesmo. Karagounis vai ser apresentado dentro de momentos no Estádio da Luz como jogador do Benfica (espero que não reprove nos testes médicos... LOL). É este o número 10 escolhido para a equipa, e muito sinceramente penso que é uma boa escolha pois é um bom jogador, com garra, e que certamente quer relançar a carreira depois do apagamento da época passada no Inter de Milão, até porque tem uma Champions para jogar e o Mundial à porta.
Karagounis tem 28 anos e marcou o primeiro golo do Euro 2004, precisamente a Portugal. O jogador já esteve para ingressar no Benfica em Janeiro passado, mas dessa vez não foi possível chegar a acordo. Espero sinceramente que esta contratação consiga "equilibrar" a equipa e fazê-la crescer. Falta apenas agora o tal ponta de lança desejado. Será Miccoli??...
Só mais um pequeno pormenor. Já repararam que tanto Nelson como Karagounis fugiram completamente às notícias nos jornais?... Tenho de elogiar nestes 2 casos o não ter havido fuga de informação. É assim que se fazem as coisas, Sr. Veiga...

Futebol de Ataque na Imprensa

Pois é, o Futebol de Ataque começa a ser um sucesso, e até já consegue ter uma menção honrosa na imprensa desportiva portuguesa.
Numa nova revista, nas bancas desde a seamana passada, intitulada Futebolista, na página 15, vem o seguinte comentário referente ao nosso blog:
"Futebol Apoiado
Horas e mais horas de entretenimento para quem vive o futebol intensamente. À distância de um clique, o «Futebol de Ataque» é um interessantíssimo blog que cobre todas as áreas do mundo da bola. E faz jus ao nome: os autores, apesar de pertencerem a sensibilidades muito diferentes, dizem mesmo de sua justiça e fundamentam bem as opiniões. A lista de links deve ser a mais completa do mundo."

Bem, não podíamos realmente deixar passar em claro estes elogios, querendo desde já agradecer aos responsáveis da publicação as palavras elogiosas, e deixando desde já os votos para que a Futebolista tenha todo o sucesso nesta dura aventura que é a comunicação social portuguesa.

segunda-feira, agosto 29, 2005

Entrevista a Daniel Godinho ( Adepto do Sporting)

Antes do mais deixo bem claro que esta entrevista não passa de uma pequena brincadeira com o membro do Blog Daniel, e que está de longe uma entrevista dentro das normalidades mas que serve principalmente para dar voz aos adeptos!

Bem primeiro de tudo deixa-me agradecer por teres aceite o convite de seres entrevistado para o Futebol de Ataque tendo em conta que és um homem ocupadíssimo( risos). E perguntar em primeiro lugar porquê o Sporting?
Não tens de agradecer, é uma honra estar a colaborar tão activamente para o desenvolvimento de um post para o teu blog (risos), além disso é sempre bom ter 15 minutos de fama!!! Ora bem porquê o Sporting. Então está claro porque o Sporting é o maior ora pois.

E……????
E o quê? Não te chega saber que o Sporting é o maior?

Caro Daniel, convém desenvolver um bocadinho as respostas, até porque quem nos visita gostaria de ler um bocadinho mais de argumentação da tua parte…..(isto está bonito)
Ora bem, estás a querer conversa a sério, pois bem, ser Sportinguista dentro da família Godinho é quase uma tradição, o meu Pai é do Sporting, o meu avô foi e por aí adiante. Talvez porque parte da nossa família tenha vindo de Lisboa, mais precisamente de Belas, onde a equipa leonina nasceu e tenham presenciado justamente o nascimento deste clube tenha feito com que se enrraizasse a cultura Sportinguista no seio dos Godinho.

Mas só o facto de ser praticamente tradição não obriga a que um membro da família se torne Sportinguista, ou pelo contrário é praticamente uma obrigação ser do Sporting, existe poder de escolha?
Claro que existe, futebol têm de ser paixão, têm de se gostar, não porque o pai ou a mãe obrigam a ser daquele clube ou impingem, claro que quando vês muita gente da tua familia a torcer por um clube tu próprio também o começas a fazer, talvez haja alguma influência sim, mas não é uma obrigação, aliás existem vários membros da família que degeneraram para outros lados
(risos)

Quando te apercebeste realmente do que era o Sporting?
Bem eu acho que fui daqueles casos em que realmente já nasci para ser do Sporting. O meu Pai logo ao terceiro dia de vida foi a Lisboa tornar-me sócio do clube, é realmente um grande orgulho ser socio há 52 anos. Mas claro que so comecei a perceber o que era o futebol e a viver com intensidade os jogos por volta dos meus 4 anos, quando jogavam os violinos, algo de que me orgulho imenso, poder tê-los visto jogar, acho que o que todos os Benfiquistas sentem quando se fala no Rei Eusébio nós Sportinguistas sentimos com os nossos 5 meninos.

Quando foi a tua primeira visita ao Estádio de Alvalade?
Lembro-me como se fosse hoje…foi algo que nunca perdi na minha memória foi o primeiro dia em que fui a Alvalade, foi no época de 1957/58, e sem dúvida é memorável, pois foi o último campeonato dos violinos conquistado apenas por dois deles – Travassos e o tão falado sexto violino João Martins.
Na altura (tinha 5 anos acho eu) eu era um grande fã de Travassos, apesar de admirar todos os violinos, aquele era o que me punha mais em polvorosa, eu sonhava ser um grande jogador como ele e lembro-me perfeitamente que nesse ano o campeonato abriu com um Sporting-Porto e lembro-me do meu pai me dizer “ Filho vamos a Lisboa ver o nosso Sporting, ver o teu amigo Travassos e ver o Sporting palmilhar para o último campeonato conquistado por eles”, ai como ele era sábio…..assim foi o Sporting venceu os dragões por 3-0 com 2 golos do meu tão adorado ídolo e um de Martins e claro nesse ano o Sporting foi Campeão, é algo que nunca esquecerei.

Como eram festejados os Campeonatos na altura? Havia a loucura que existe hoje em dia ou as pessoas eram mais comedidas?
Comedidas em que aspecto? Não se andarem a despir no meio da rua, nem terem escrito o nome do clube em partes pouco próprias para andarem à mostra, não haver cenas de pancadaria…eram outros tempos, era outra liberdade…nessa altura viviamos em regime ditatorial, as pessoas não faltavam ao emprego no dia a seguir nem era feriado Nacional porque o clube era campeão, ninguém faltava ao respeito a ninguém, lembro-me de conviver perfeitamente com membros de outras equipas e ser uma grande alegria, claro que hoje em dia é diferente, naquela altura não podias estar até de manhã a festejar, haviam regras, nada boas mas que as tínhamos de cumprir. Claro que hoje em dia não existe a repressão que existia há 40 anos atrás, mas apesar de haver mais liberdade as pessoas oprimem-se mais, não se aceitam nem aos outros e depois são as cenas lamentáveis que vemos nas ruas. Hoje em dia há mais liberdade para se poder festejar a vitória de um campeonato, mas antigamente havia mais respeito pelo outro.

Na tua opinião o mundo do futebol mudou?
Tudo muda enquanto há vida, estás a imaginar em pleno século XXI jogadores que preferiam ganhar muito menos, para ficar no seu clube do coração, jogadores que jogam com amor á camisola? Imaginas jogadores a irem para os clubes de autocarro? Imaginas jogadores a terem outro trabalho, pois só do futebol não dá para viver?
Os tempos mudam, as vidas também mudam, não fazia sentido nenhum com toda a evolução o futebol continuar exactamente da mesma forma, o dinheiro move montanhas e muda tudo e assim foi, antigamente tinhas mais verdade e humildade em campo, hoje em dia tens mais condições no estádio e todas as casas têm tv por cabo, entendes?
Tudo muda, os próprios adeptos mudaram, as pessoas antigamente viviam o futebol, mas não deixavam de viver as suas vidas por causa disso, hoje em dia quando a super liga vai de férias é a desgraça para muitos.

Agora umas perguntas rápidas para terminar, o que te irrita mais num jogo de futebol?
Passarem publicidade por cima dos relatos de futebol e tentarem irritar-me durante um jogo de futebol, sabendo de antemão que não me irrito
( isto é para o meu amigo cardoso)

O teu melhor momento passado com o futebol?
Os dois golos de Travassos aos Dragões

O Pior?
Ter uma mulher chata e irritante a palrar por tudo e por nada no meio da bancada e não perceber nada daquilo
(tavam à espera que dissesse o falhanço do ano passado na UEFA, lolol)

O que é para ti ser Sportinguista?
É acreditar que o verde do clube está lá por alguma razão, ou seja a esperança é a última a morrer.

Brevemente terão outro entrevistado.

Deixem o Koeman trabalhar


Hoje vou optar por falar só do Benfica, no que respeita à última jornada.
Factos a retirar do jogo do passado sábado: o Benfica fez uma primeira parte de bom nível, dominou claramente o jogo, o Jorge Batista foi novamente uma grande figura, tal como no ano passado no Dragão, o Carlitos deveria ter sido expulso por uma entrada brutal sobre o Ricardo Rocha, e não foi assinalado uma grande penalidade aos 5 minutos por falta sobre o Simão. Em termos de jogo jogado não me recordo de um único ataque do Gil Vicente, e lembro-me de diversas oportunidades do Benfica, com particular destaque para a estreia do Nelson, que para mim fez uma bela exibição nesta estreia.
O sistema táctico continua um pouco confuso, mas tal deve-se provavelmente ao Koeman querer jogar "bonito" e não ser pragmático como era Trapattoni o ano passado. De facto, enquanto o Ricardo Rocha esteve em campo o 3-4-3 utilizado resultou às mil maravilhas, embora me pareça que ganhávamos mais profundidade em ter o Nelson na direita e o Dos Santos (ou o Léo) na esquerda, encostando o Beto para o banco.
Na segunda parte, vi um penalty mal assinalado a favor do SLB, que não foi concretizado, logo, não podem vir com a teoria do "levados ao colo", e vi mais um penalty não marcado com falta sobre o Geovanni. E vi estranhamente um Benfica a jogar como na época passada contra o Beira Mar, ou seja, sem chama, amorfo, e a falhar na defesa. Daí não espantar os dois golos do Gil, embora o Jorge Batista tenha continuado a brilhar na baliza gilista.
No entanto, findo o jogo, penso que o que precisamos (nós benfiquistas) ter um pouco de calma. A equipa não jogou assim tão mal como se faz querer passar, foi superior na maior parte do tempo e acabou por não ter a felicidade do jogo. É no entanto preciso tirar ilações da derrota, conversar dentro do balneário, é preciso contratar os jogadores que se diz que se vão contratar e acima de tudo temos de dar tempo ao treinador para ele encontrar o caminho certo. Tenho a certeza que ele chega lá. Acreditem!...

C.S.Maritimo Vs Sporting C.P


Olá a todos

É certo e sabido que Juca, o técnico do Clube Sport Maritimo, no inicio da temporada pedio paciência a todos os sócios e adeptos do Clube insular, alegando que a construção deste novo Maritimo só dependia disso.

Depois dos dois primeiros jogos para a super-liga, e em especial o de ontem que deixou frente a frente o C.S.M e o S.C.P a paciência tem limites e isso ficou bem patente.

Este novo Maritimo, o tal da paciência apresentou-se ontem nos barreiros com uma fragilidade técnica e colectiva como eu já não assistia hà muitos anos.O onze apresentado pelo JUCA teve erros de ordem técnica e táctica que é de bradar aos céus e inadmissivél no futebol profissional.

Um inicio de jogo em 4-4-2, sem médios ala, Manduca a apoiar a o Ponta de lança Youssouf que por obrigação devia ter um grande rigor defensivo e com saidas rápidas em contra-ataque.

Na prática foi bem diferente, apareceu um Maritimo encolhido e um Sporting aguerrido perante uma defesa perdolária e deficiente com Briguel a encabeçar as falhas seguido de FAHEL que foi o grande responsável pelo desaire defensivo que se assitiu ontem à tarde.

Marcos apareceu sempre no jogo, travando sempre as jogadas ofensivas do Sporting nomeadamente os lances de Douala que esfrangalhou completamente a defesa Maritimista.

O Maritimo lá foi tentando e conseguindo equilibrar as forças a meio campo e lá conseguiu subir no terreno mesmo que timidamente mas sempre sem evitar a supremacia verde e branca.Mesmo assim Komac testou os reflexos de Nelson na marcação de um livre e Youssouf lá mandou uma bola a roçar o poste Sportinguista.

Antes dos 45m, o Maritimo segurou o nulo com alguma dificuldade mas ao mesmo tempo o Sporting, um tanto ou quanto fraco no desfecho das jogadas de ataque, não teve folego para conseguir desmanchar o resultado.Um Rochemback completamente desenquadrado com a realidade futebolistica e completamente fora de forma foi o pior elemento verde e branco.

Vieram os segundos 45m e lá continuou o marasmo futebolistico, apesar da ligeira subida de forma do 11 insular e uma quebra de ritmo dos Leões de Lisboa.Manduca, sempre ele, orquestrava o ataque insular e numa jogada brilhante isola Youssouf que sozinho perante Nelson não conseguiu finalizar com o GOLO.Desperdicio flagrante, suficiente para que qualquer técnico indignado com o que via substituia o falhante por RINCON, mas não, lá seguiu a teimosia de Juca e youssouf até conseguiu repetir a proeza de falhar novamente um golo flagrante.

Foi perante um publico indignado que Liedson não se acanhou e aos 68m, perante a passividade assustadora do defesa Nuno Morais, lá marcou o 1 golo do jogo.

O 2 golo não tardou e novamente com culpas para a defesa, novamente Liedson a bater Marcos que se limitou a fazer o que Juca devia ter feito, DAR UNS GRITOS À DEFESA VERDE RUBRA.

Não sei se por inspiração Divina ou se por instinto, e acredito mais na segunda, Juca acordou e aos 80m resolveu retirar de campo os inuteis VALTER (MINHOCA) e YOUSSOUF para dar lugar a Marcinho e Rincon em resposta ao reforço defensivo operado por PESEIRO.

Pois não é que só "deu Maritimo" nos ultimos 10m, pois é, tanto dá até que fura e lá vai Marcinho deixa para Rincon que não pensou muito e furou as redes Sportinguistas.

FOI TARDE Sr JUCA........ACORDE PARA O MUNDO.

Quanto à arbitragem, não tenho nada a apontar e tudo correu dentro da normalidade, dos 5 apitos de avaliação dou 4.

Lesões:
Van der Gaag lesionou-se e parece que com gravidade, ainda não foi divulgado quanto tempo o jogador pode ficar de fora da competição.

Tarefa:
Bem cumprida a do Sporting, apesar de revelar muitas fragilidades e no meio campo e alguma falta de pontaria, se o Sporting que eu vi ontem não corrigir algumas falhas não será campeão.

Maritimo, muito mal orientado pouco ambicioso e altamente perdolário.

Pior Jogador Maritimo
-Nuno Morais

Pensavam que eu ia dizer o Briguel, hehhehhehe, foi mau na 1 parte mas melhorou na segunda... :)

Pior Jogador Sporting
-Rochemback
-Sá Pinto( Não aqueceu nem arrefeceu)

Melhor jogador

Sporting-Liedson

Maritimo-Marcos

Mensagem:
JUCA, pede desculpa e sai....jáaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Força Maritimo.

Campeonato da 1ª Divisão Distrital de Viseu


Na passada Sexta-Feira realizou-se na A.F.Viseu o sorteio do Campeonato Distrital da 1ª Divisão. O sorteio ditou o seguinte:

1ª jornada (2/10)
Sp. Lamego - Vouzelenses
Campia - Sp. Santar
Lusitano FC - Moimenta Beira
Santacombadense - Mortágua FC
GD Mangualde - Farminhão
Ol. Douro - UD Sampedrense
Sp. Paivense - Ol. Frades
Lamelas - Atlético Molelos

2ª jornada (8/10)
Vouzelenses - Lamelas
Sp. Santar - Sp. Lamego
Moimenta Beira - Campia
Mortágua FC - Lusitano FC
Farminhão - Santacombadense
UD Sampedrense - GD Mangualde
Ol. Frades - Ol. Douro
Atlético Molelos - Sp. Paivense

3ª jornada (16/10)
Vouzelenses - Sp. Santar
Sp. Lamego - Moimenta Beira
Campia - Mortágua FC
Lusitano FC - Farminhão
Santacombadense - UD Sampedrense
GD Mangualde - Ol. Frades
Ol. Douro - Atlético Molelos
Lamelas - Sp. Paivense

Quem estiver interessado em saber as restantes jornadas pode consultar o site do S.C.Santar( www.scsantar.pt.vu), onde já se encontra disponível e no site da A.F.Viseu(www.afviseu.org) que brevemente deverá ter o calendário disponível.

Segunda derrota consecutiva

A União de Leiria voltou a decepcionar os seus adeptos, desta vez no reduto do Belenenses, por 3-1. Apesar dos dois primeiros golos dos azuis terem resultado de golpes de sorte (o 1º, da autoria de Meyong, tabelou na perna de Costinha; o 2º, por Zé Pedro, ressaltou num defesa iludindo o guardião da equipa forasteira), o Belenenses mostrou que possui uma boa equipa capaz de lutar pela Europa.


O Leiria mostrou-se bastante nervoso, principalmente ao nível da defesa. O excelente golo da equipa resultou do entendimento entre os dois melhores jogadores: Maciel e Lourenço, com este último a fuzilar Marco Aurélio. Mas o talento destes dois atacantes não é suficiente e o Leiria precisa, decisivamente, de melhorar a equipa, pois este ano descem 4 equipas, e a jogar assim... Entretanto, Alberoni assinou por um ano. Esperemos que seja uma mais-valia.

Análise da Jornada: Os Três Grandes


Á segunda jornada o FCP deslocou-se ao reduto da Naval 1º Maio e logrou sair de lá com três pontos.
O técnico holandês continua a insistir que pretende um Porto de ataque, que domine ofensivamente e que sobretudo, marque golos. Muitos golos. Contra os Navalistas houve um Porto de ataque, um Porto dominador, que já marca golos, mas que está longe daquilo que Adriaanse ambiciona. Talvez, por culpa de uma Naval moralizada pelo excelente inicio de temporada. Moralizada pela determinaçao de um colectivo consistente que enfrenta o adversário de igual para igual e que se bate sempre do inicio ao fim da partida. 2-3 no placard final e destaque para a excelente exibição de César Peixoto, autor de dois dos tentos do FCP (e do segundo dos navalistas!). Jorginho continua a ser um precioso elemento; é dos seus pés que nascem os passes dos três golos, é ele que incansavelmente procura abrir fendas na defesa adversária, é ele que astutamente desiquilibra.


O Benfica, campeão em titulo recebeu em casa o Gil Vicente e foi batido por duas bolas a zero.
Golos sem resposta, mercê da crise que se instalou no "ninho da águia", de problemas que tardam em serem solucionados. De promessas que tardam em serem cumpridas. A verdade é que o Benfica parece "perdido" e frente ao Gil Vicente, exceptuando a primeira meia hora inicial, os pupilos de Koeman (que apostou num esquema inédito de três centrais) nunca souberam pegar no jogo, mandar nele...em suma, uma formação debilitada e sem ideias. Simão ainda se deu ao luxo de falhar uma grande penalidade (que não existiu), que colocando os benfiquistas em vantagem poderia até ser decisiva. Mas do outro lado, defendendo a baliza adversária encontrava-se o homem do jogo: Jorge Baptista. Defendeu tudo o que havia para defender. De resto, grande e soberba prestaçao do guardião gilista.


Contra muitas vozes que se insurgiram contra os leões nos últimos tempos, estes deslocaram-se á Madeira e arrecadaram os três pontos necessários que os colocam a par do FCP e outros no primeiro lugar, 1-2 no marcador.
Dois golos de Liedson que puseram termo a um jejum no terreno do Maritimo. Sem ser uma exibiçao de encher os olhos, primou pelo cumprimento do objectivo e a duas semanas do derby com o Benfica em Alvalade, uma vantagem de cinco pontos já é qualquer coisa. Pressões á parte, a verdade é que mesmo se encontrando em inicio de campeonato é imperativo que se jogue para ganhar. Isto se tivermos em conta formações que em dois jogos já mostraram que vão trocar muitas voltas aos candidatos. Rio Ave, Gil Vicente, Naval....estão a mostrar futebol. (Guimarães e Leiria somam já duas derrotas!)....Acautelem-se!

Liga Honra - Barreiro


Finalmente começa o futebol a serio, e o futebol espectaculo também.
Quem me quizer ver, num Domingo à tarde, é ir ter comigo a um campo onde joguem duas equipas séniores de futebol 11, seja ele de que divisão for, nacional ou distrital.
Para variar ontem foi mais um desses dias em que começo a pensar onde perder algum do meu tempo a saciar o vicio que é ser "soccerholic".
O Estrela Amadora só joga na Segunda-feira, e as divisoes inferiores, excepto a Liga Honra ainda nao começaram.
Começo a pesquisar na net nas paginas dos clubes se haveria por a algum jogo treino.
A meio do stress, que já se instalava, por não descortinar jogo algum e ao ver uma classificação lembro-me que o Barreirense, á distancia de uma viagem de barco, ou seja 20 a 25 minutos, e com o campo a 10 minutos a pé do cais, joga na Liga de Honra e por acaso até joga em casa, perfeito.

O jogo até era chamativo, a equipa adversaria é uma estreia para mim em jogos ao vivo - FC Vizela, e tinha oportunidade de ver um jogo entre equipas que subiram este ano, parecendo que não mas estes jogos dão sempre bons espectaculos, nunca percebi bem porquê, mas acontece em todas as divisões, as equipas que subiram vêm com ansia e vontade, e como acham que o adversário é do seu nivel querem mostrar que são superiores.

Não me enganei, as equipas entregaram-se com bastante vontade ao jogo. Aos cinco minutos um livre directo marcado por Bock, leva à melhor defesa do encontro por parte de Paulo Silva. O encontro continua com boas jogadas de ataque, principalmente do Vizela, que surpreende no seu todo.Tem uma boa equipa, entrosada e a jogar bom futebol, Bock é um excelente avançado, Everton no meio campo e capitão de equipa é muito bom também, assim como Margarido na defesa, em tempos da Superliga no Maritimo.

Não surpreende pois o golo do Vizela com 18 minutos de jogo por Nuno Cavaleiro, numa boa jogada vizelense pelo centro, que isola o número 27 descaido pela direita e marca facilmente.
O Barreirense andou meio perdido até ao fim da primeira parte e podia ter sofrido mais um golo, mas a defesa conseguiu afastar o perigo.

Para a segunda parte entraram Moreira e Saavedra, para o lugar de Mario Pessoa e Hugo Machado, este ultimo, jogador do Estrela Amadora na época passada, não esteve ao seu nivel e a equipa ressentiu-se disso tendo passado por maus momentos na primeira parte. Estes dois jogadores vieram dar mais consitência à equipa e o Barreirense começou a equilibrar a contenda.
As jogadas de ataque na segunda parte pertenceram quase por completo à equipa da casa, sendo que o Vizela tentava explorar o contra-ataque.
A meio da segunda parte um remate enrolado de Delfim ia dando o segundo golo visitante. A bola sai em chapéu e o guarda-redes é apanhado em contrapé e ao tentar não sofrer golo defende atabalhoadamente com as pontas dos dedos, na altura pareceu que ía cair no chão e levar um frango monumental, mas conseguiu manter-se em pé e a custo desviar a bola.


Minuto 65, ponto de viragem.
Um erro descomunal de Carlos Garcia acontece quando decide tirar o capitão de equipa Everton, que segurava o meio-campo e faz entrar Helder Sousa que nem de longe nem de perto jogou o suficiente para ser a peça que refrescaria aquele sector, pelo contrario. Foi o momento de viragem do jogo. A partir daí a pressão da equipa da margem sul do Tejo intensificou-se e os ataques perigosos e os pontapés de canto surgiam um atrás dos outros.
A 5 minutos do fim, num canto, Sandro que tinha entrado aos 60 minutos, fez o golo do empate.
Dum lado uma equipa que teve o jogo na mão ansiava pelo fim da partida, e do outro uma que só apareceu, a sério, depois do golo do empate, sendo que os ultimos minutos do encontro foram de autêntico massacre á baliza dos nortenhos.

O jogo acabou, pouco depois, com o resultado mais justo pelo que cada uma das equipas fez em cada metade da partida.
Grande jogo de futebol e duas boas equipas.

Alguns casos dentro e fora do jogo:
Positivo:
Poucas quedas de lado a lado, na tentativa idiota que algumas equipas têm de perder tempo, e ganhar jogos sem jogar à bola.

Os foras de jogo contam-se pelos dedos de uma mão, tanto para uma como para outra equipa, acho mesmo que uma só mão chega para contabilizar os que houve durante toda a partida.

O árbitro mal se viu durante todo o jogo, muito bom.


Negativo:
O público, a classe mais idosa pelo menos, dos sócios do Barreirense, qualquer jogada em que um jogador vizelense tivesse que vir junto à linha era brindado com os mais incongruentes e ignobeis adjectivos, e/ou substantivos. E logo desde o inicio do jogo, sem razão, pelo menos aparente. "És um drogado", "És um ca...", "Grande pan...", infelizmente. Nada que não tivesse visto mas apenas quando o adversário pratica o anti-jogo, quando é um rival, ou quando o jogador tem entradas mais viris, agora logo desde o inicio da partida e sem razão nenhuma, a todos os jogadores adversarios, é novo e desprezivel.

Fora do estadio:
Positivo:

Bilhetes vários e de preços vários. Desde os 5 Euros de cartão jovem, passando pelos 10 Superior, 15 Lateral e acabando nos 20 Euros para a Central.

Muita gente de Vizela a acompanhar a equipa.

Poder sair ao intervalo para ir ao café ou a qualquer sitio, levando para isso uma senha que indica que a pessoa ja esteve dentro do estádio, em tudo igual ao Pinhalnovense, na época passada.

Em todas as entradas do estadio a oferta do jornal Voz do Barreiro e um calendario de jogos dos juvenis e inicados da equipa da casa.

A loja do Barreirense, que já conhecia de há dois anos quando vim ver o Barreirense - Olivais e Moscavide, e que continua na mesma, ou seja, um excelente espaço ao lado do estádio, com imensos produtos, desde dois ou tres tipos equipamentos, dois ou tres tipos de cachecois, galhardetes, etc.

Por todo o lado, desde que chegamos ao cais dos barcos e por toda a cidade, outdoor's enormes, iguais aos das campanhas politicas, mas com informação de que vai haver jogo do Barreirense dando conta do adversario, do dia, e da hora do jogo.

Negativo:Sinceramente não encontrei nenhum ponto negativo, por incrivel que pareça, nem a nivel de adeptos, nem de transportes, transito ou de estacionamento.

Santar 1 Tondela 4 (jogo amigável)



O S.C. Santar fez o seu primeiro jogo desta época frente ao Tondela. A equipa forasteira está na 3ª Divisão Nacional depois de se ter sagrado campeão distrital da A.F.Viseu na época passada. esta equipa é também a detentora das últimas duas edições da Taça Sócios de Mérito da referida Associação. A preparação das equipas é muito diferente pois o Santar treina acerca de 15 dias enquanto os Tondelenses já têm para a semana o seu primeiro jogo oficial.
Para o Santar marcou Bruno aos 79'. Pelo Tondela marcaram Santos(6' e 35'), Nando(10') e Michel (88').
A equipa forasteira entrou melhor no jogo e acabou por fazer dois golos. O Santar reagiu, mas contra a corrente do jogo seria o Tondela a fazer o 0-3. Na segunda parte o jogo foi mais equilibrado e o Santar conseguiu mesmo reduzir por intermédio de Bruno. Mas aos 88' Michel depois de uma excelente jogada individual fez o golo mais espectacular da tarde, fechando o marcador.
O Tondela demonstrou ter equipa para fazer um excelente campeonato. Por seu turno os da casa demonstraram ter equipa para fazer um campeonato muito tranquilo na 1ª Divisão Distrital.

sábado, agosto 27, 2005

Naval,2 - FC Porto,3


Antes de mais dou-vos um conselho a todos: não vão à Figueira da Foz ver nenhum jogo! Aquilo não é Estádio, nem Campo, nem nada! Até os Hot Dogs cá fora nas "barracas" eram incrivelmente maus... Em suma, HORRÍVEL!
O jogo propriamente dito não foi horrível, bem pelo contrário! Foi bem disputado, embora num só sentido - a baliza de Taborda. Sem fazer um jogo espectacular o FCP venceu de uma forma justa, sem discussão e mostra ter uma equipa forte do meio campo para a frente, mas lá atrás... Continuo a dizer que o nosso capitão é titular indiscutível nesta equipa! Que falta faz ali aquele jogador concentrado que não facilita em nenhum lance...

Na 1ª parte o FCP teve um domínio constante sobre a Naval e só causou surpresa que o golo tenha chegado mesmo no último minuto, por César Peixoto e, ainda por cima de cabeça!
A 2ª metade começou como terminou a 1ª, ou seja, canto cobrado por Jorginho e novo cabeceamento do rejuvenescido César Peixoto (o que uma mulher daquelas conseguiu fazer...!). Contra a corrente do jogo a equipa da casa aproveita um falhanço de Ricardo Costa (não etem stado nada bem...) e reduz a diferença no marcador. Este lance deu um novo ânimo aos figueirenses, mas o FCP demonstrou que esta época tem um conjunto mais personalizado e confiante que na época transacta.

Sem surpresas Hugo Almeida, que entretando havia entrado para o lugar de Hélder Postiga (que se passa com este...?!), fez o 1-3 que parecia ter acabado com o jogo, mas logo de seguida César Peixoto fez o seu "hattrick" com um auto-golo e renovou as esperanças da Naval para os últimos 5 minutos, mas em vão...

Vitória justa dos Azuis-e-Brancos, bem mais fácil do que aquilo que o marcador final acabou por reflectir.

Pedala Robinho, Agora no Real Madrid

E se apresentou hoje, a mais nova estrela do Real Madrid, Robinho.
Um grande jogador de habilidade excepcional que tem tudo para crescer no Real Madrid e ajudar o time a conquistar titulos, e já chega com moral, vai ser o dono da camisa 10, que foi entregue pelo ex-jogador Di Stefano.
Com a ida de Robinho, agora o Real Madrid está mais brasileiro que nunca, além de uma comissão tecnica composta por vários brasileiros, liderados por Luxemburgo sem falar dos brasucas do time, que são: Ronaldo, Roberto Carlos e o recém contratado Júlio Baptista´e Robinho, e ainda tem a possibilidade de Cicinho, do São Paulo ir também para lá.
E assim cada vez mais o Real vai se enchendo de estrelas, já posso contar 9 grandes jogadores, que seriam Casillas, Roberto Carlos, Zidane, Júlio Baptista, Beckram, Raul, Robinho, Ronaldo e Owem, esses são os galaticos do Real Madrid, embora lá dentro tem alguns jogadores que não merecem estar lá, como é o caso de Michael Salgado, que além de ruim tecnicamente é desleal nas partidas.

Mas quanto ao craque Robinho, fica apenas a saudade de ver sua pedaladas em solo nacional e a torcida para ver brilhando entre os galaticos do Real, então...PEDALA ROBINHO!!!

sexta-feira, agosto 26, 2005

Passatempos Atacantes

PASSATEMPO ATACANTE

O vencedor do passatempo anterior foi Pimigas, que disponibilizou a sua pagina pessoal, por isso vamos lhe fazer um pouco de publicidade também http://www.pimigas.blogger.com.br/, aproveitem e deem uma saltada, nem que seja só a nivel de curiosidade.
As respostas correctas eram:

1 - Estadio da Varzea - Cabo Verde
2 - Clube Pumas UNAM - Mexico
3 - The Strongest - Bolivia
4 - Taça Jules Rimet - Brasil


Para esta semana temos as seguintes imagens e as seguintes questões:

Dicas: Tres imagens são da Europa, uma é de África e outra da América. A equipa q aparece na foto é europeia, um dos simblos é europeu e o outro é africano, o campo é europeu e da zona horaria de greenwich, a taça é sul americana.


1 - Este simbolo pertence a que equipa?



2 - Como se chama este estádio e qual é a equipa que nele joga.



3 - Que equipa é esta e em que campeonato joga?



4 - Este simbolo pertence a que equipa e é de que país?



5 - Este troféu é entregue a que campeão?

Continuamos a oferecer um premio de 10 Euros ao vencedor.

Para quem achar este passatempo muito dificil pode sempre participar no passatempo Portugal.

Neste passatempo, há também algumas imagens/questões, mas exclusivamente do nosso país. Este passatempo não tem um prémio monetario, poderão apenas ganhar uma t-shirt do futebol de ataque, e faremos referência ao vencedor.

PASSATEMPO PORTUGAL



1 - Qual o nome deste campo e que equipa lá joga?



2 - De que clube é este simbolo?



3 - Que equipa é esta e onde joga actualmente (campeonato)?



4 - A UD Oliveirense esteve uma só vez na 1ª Divisao. Contra quem foi o único ponto conseguido fora de casa e quanto ficou esse jogo?

Podem enviar as respostas para os nossos mails: noticias_atacantes@hotmail.com, ou correio_de_ataque@hotmail.com.

Podem sempre mandar bitaites no "Comments", com as vossas respostas. Nós a cada dia que passa damos umas dicas também.

Boa Sorte a todos.

Não esquecer que o passatempo dura até sexta-feira, ou até que alguém acerte às questões todas correctamente, apenas e só.

União de Leiria - Sp. Braga

O jogo realizado na última Segunda demonstrou que o União precisa de entrosamento, alguns reforços (fala-se em Alberoni) e um pouco mais de ousadia. A lesão de Harrison também não ajudou a festa. Destaque-se o trabalho de Maciel (sempre incansável) e do lateral Alhandra (mostrou-se bastante inconformado). Mas atentemos num facto importante: o adversário dava pelo nome de Braga, uma equipa recheada de grande talentos e com objectivos totalmente diferentes dos da equipa do Lis. Para a história fica o golo de Cesinha (que substituiu e bem Wender) e o placard final a registar 0-1. Agora segue-se outro adversário de grande potencial: o Belenenses. Com Harrison e Pereira em dúvida, aumentam ainda mais as preocupações de José Gomes.

Pobres mas ambiciosos

Depois do sorteio da Liga dos Campeões foi a vez do parente pobre, ou seja, a Taça UEFA:


Vitória de Setúbal - Sampdória
Depois de ter encontrado a Roma na sua última passagem pela Taça Uefa por certo que este não era o adversário que os sadinos tinham em mente. Os italianos devem estar a esfregar as mãos de contentamento e isso pode ser benéfico para o Vitória de Setúbal. De realçar que no plantel da equipa de Génova apenas fazem parte dois estrangeiros, o nosso conhecido Kutuzov e um ganês, o que não deixa de ser notável nos tempos que correm.


Estrela Vermelha - Sporting de Braga
Não se pode dizer que o sorteio foi madrasto para os bracarenses mas há que pôr água na fervura. Já ouvi hoje um comentador, Joaquim Rita, a dizer que o Braga tem 65% de hipóteses de seguir em frente e não sei se é bem assim. Estou no entanto convencido que a equipa de Jesualdo Ferreira conseguirá chegar à fase de grupos.


Vitória de Guimarães - Wisla Cracóvia
A equipa de Jaime Pacheco tem francas possibilidades de seguir em frente mas não se esqueçam que esta equipa esteve com um pé na Liga dos Campeões, perdendo apenas com o Panatinaikos no prolongamento e estando já reduzida a 10 unidades. Destaque par o nº 1o Kalu Ulche e o ponta de lança Frankowski que em 165 jogos ao serviço dos polacos marcou 106 golos.


Halmstads - Sporting
Se é verdade que esta equipa já eliminou o Benfica ( e quem é que não ganhava ao Benfica nessa altura) também é verdade que foi eliminada pouco depois pelo Sporting, na época em que Jardel ainda facturava de leão ao peito. No entanto cautela e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém. O Sporting é claramente favorito.

Boa sorte!

O Ajuntador

Relativamente a este seleccionador, ninguém ouvirá de mim que ele não teve mérito em chegar onde chegou no passado, nem se por ventura ele chegar ainda mais longe, mas há que dizer umas coisas sobre isto. Que eu me lembre, nenhum outro seleccionador de Portugal teve à sua disposição um jogador que tivesse sido considerado como melhor do mundo, nenhum outro teve à sua disposição tantos jogadores que tivessem sido campeões europeus de clubes, ainda por cima jogando juntos, e nenhum outro teve tantos jogadores actuando com notoriedade em grandes equipas de outros campeonatos considerados mais competitivos do que o português. A única semelhança que posso encontrar, mesmo sem ter a certeza da sua veracidade, remonta à década de 60 com Eusébio e os jogadores do Benfica, principalmente. Mas, se isto for verdade, também tenho de dizer então que os bons resultados são cíclicos, dependendo da qualidade dos jogadores e nem tanto da qualidade da equipa técnica, já que, em termo de comparação, um terceiro lugar num mundial é melhor que um segundo lugar num europeu.

Se aquando da sua contratação eu fiquei um pouco renitente, já que se tratava de um estrangeiro a orientar portugueses e ainda por cima auferindo um ordenado principesco, isso foi-se atenuando com a esperança de que fosse imposta a imparcialidade de uma pessoa com aquelas características, acrescida pelo facto assinalável de ter comandado jogadores a serem campeões do mundo de selecções. Pois bem, as regras pareciam ser essas, acrescidas de outras que na altura pareciam-me um pouco restritivas, mas ao mesmo tempo coerentes, como seja a necessidade de um jogador estar a jogar no clube que representa para obter a condição de eleito.

Portugal não precisou de fazer o apuramento ao Europeu já que se encontrava na condição de organizador, logo, com acesso directo à fase final da competição, mas o seleccionador conseguiu contornar a incerteza do que seria esta equipa em alta competição com os jogos particulares e pelo apoio que motivou nos portugueses.

Se de início parecia tudo bem, a minha discordância com ele prendeu-se com o facto de que desde muito cedo deixou de fora jogadores de elevado nível, quando era consensual por todo este país que eles o tinham, como depois de dar a mão à palmatória o próprio seleccionador reconheceu. Estou a falar obviamente de Ricardo Carvalho. Outro facto relacionado com a mesma atitude é o afastamento de jogadores como João Pinto e Vítor Baía. Se no primeiro caso, a atitude no mundial de 2002 valeu-lhe uma suspensão, mas acima de tudo o repúdio da maior parte dos portugueses e pelos vistos do actual seleccionador, já no segundo caso a controvérsia é bem diferente, já que o jogador era testemunha de António Oliveira num processo contra a federação portuguesa de futebol, mas acima de tudo, o valor do jogador permitia deixar a luta pela baliza da selecção somente entre ele e Ricardo, coisa que com João Pinto era diferente, dado o elevado número de jogadores que lhe faziam concorrência.

Outro ponto de discórdia foi o facto de que Luís Boa Morte, único extremo esquerdo de raiz e que participou na maioria das convocatórias, foi preterido à última da hora por mais um jogador do meio campo, escusável, na minha opinião.

O caso do afastamento de Fernando Meira, Maniche e Sérgio Conceição foi, a meu ver, relativamente bem resolvido e sem efeitos negativos na selecção.

Chegado o Europeu, a equipa apresentada era a que rompia o menos possível com o passado, se bem que não apresentava os melhores jogadores, ou pelo menos os mais eficazes, e não tardou a revolução, nem que para isso tenhamos passado pelo vexame de termos a única equipa organizadora a perder no jogo de abertura de uma fase final de um europeu. Todo o clima criado à volta da selecção, todas as bandeiras nas janelas e todo o apoio obtido, deveram-se aos jogadores que fizeram os resultados, mas principalmente ao seleccionador deveu-se a proeza de tal mobilização.

Com espanto dessa Europa fora, Portugal ganhava os jogos e ia eliminando os adversários com clareza e com o sentimento de superioridade, que só foram travados na final com um golpe de sorte dos adversários.

Depois do Europeu, o caldo começou a entornar ainda mais e a contestação a aumentar. Desde logo a “vassalagem” prestada a Figo, se calhar em nome da parceria num anúncio publicitário, sei lá, pondo-o a jogar mal começou a ser encostado no Real Madrid, e numa fase em que se ele não regressasse era caricata demais, para não dizer absurda, a convocatória para a fase final do mundial de 2006, que só por acidente não se concretizará. A falta de senso em convocar jogadores do Sporting para um particular numa quarta-feira, sabendo que o primeiro jogo da equipa é na sexta-feira. O dispensar um jogador como Miguel depois da final da taça de Portugal por SMS e avisar primeiro o clube. As dispensas à última da hora envoltas em manha e dúvida. A falta de senso ao deixar jogadores jogarem o tempo todo em jogos particulares, favorecendo o desgaste físico só de alguns. Promover um jogador como Hugo Viana numa fase decisiva da sua carreira, em que terá vários clubes interessados a verem o jogo. O autismo quando é consensual que as suas escolhas são polémicas, justificando-se com razões que apregoava não serem possíveis no passado. A guerra e a polémica que continua a promover com o FCP. A confiança que mantém nos médicos da selecção, que em variadíssimos casos já deram provas de não conhecerem a realidade desportiva e fisiológica dos jogadores. Enfim, é um sem número de incongruências, de desrespeito e de idiotices que afasta pessoas da selecção, que levanta suspeições em torno dela e que não podem ser esquecidas, nem mesmo com vitórias.

Peço desculpa ao PRM por falar em alguns assuntos do seu post, mas como tinha muita coisa para dizer, não chegava um ataque para o fazer.

quinta-feira, agosto 25, 2005

Scolari manda!

Scolari divulgou a lista de jogadores convocados para os próximos 2 jogos de qualificação para o Mundial de 2006, contra o Luxemburgo e a Rússia.
Sem grandes surpresas convocou Ricardo e Quim para a baliza, os centrais Ricardo Carvalho, Jorge Andrade e Fernando Meira, Caneira e Nuno Valente deverão lutar pelo lugar de defesa esquerdo e Paulo Ferreira deverá ser dono e senhor do lado direito da defesa.
Deco, Costinha, Maniche, Petit e João Moutinho estarão na luta pelo miolo do terreno, Figo, Cristiano Ronaldo, Simão e Boa Morte são os alas de serviço e finalmente Pauleta e Postiga os dois matadores.


Polémico como sempre, Scolari diz-se imune a pressões a propósito de Ricardo e Nuno Valente, se por um lado é um sinal de confiança a 2 jogadores de quem Scolari espera muito no próximo Mundial, por outro lado é como estar a dizer aos outros jogadores das mesmas posições que não terão grandes hipóteses de chegar ao Mundial, independentemente da boa forma ou não destes 2 jogadores...
Será justo? Não sei, o certo é que Portugal fez com Scolari a melhor campanha internacional alguma vez realizada até hoje...

Como todos nós temos um pouco de seleccionador, na minha selecção para estes 2 confrontos apenas trocava os 2 guarda redes por Vitor Baia e Moreira e convocava o Jorge Ribeiro no lugar de Nuno Valente.
Por tudo o que aconteceu na época passada e por este inicio de época, Ricardo não merece a selecção na minha modesta opinião. Também não estou de acordo em deixar de convocar um jogador apenas por 1 ou 2 erros cometidos de forma isolada, quem não os comete? O problema é que o Ricardo já leva uns 2 anos de erros acumulados...

Entre o Moreira e o Quim optava pelo Moreira apenas pela idade, tal como o Koeman disse, entre 2 jogadores de igual valia se 1 é mais novo que o outro opta pelo mais novo....

Quanto ao Nuno Valente, entendo esta convocatória como um sinal de confiança do Scolari recompensando os sacrifícios que o jogador está neste momento a passar, pode ser que isto motive o jogador a trabalhar mais e melhor para realizar um grande Mundial, mas que desmotiva os outros jogadores passíveis de ser convocados para a mesma posição, não é menos verdade...

Abraço e Bons Ataques!!