sexta-feira, junho 30, 2006

Grêmio torce por Felipão


Técnico foi multi-campeão no Tricolor

Como não poderia deixar de ser, o Grêmio não esquece a passagem vitoriosa do técnico Luis Felipe Scolari pelo Tricolor, tanto que manifesta sua torcida por Felipão, desejando o sucesso do profissional que tantas alegrias deu ao Grêmio.

Caro Felipão
Valeu, como sempre, o jeito "Scolari" de vencer: garra, energia paixão e convicção. Foi como ver a alma gaúcha em campo. Estamos todos contigo, uma só torcida.



Abraços
Paulo Odone de Araújo Ribeiro
Presidente

Sai Bife ou sai Tuga?


O quê? Uma gaija que nao é ATACANTE e não sabe puto de futebol a postar no futebol de ataque?
Pois e meus amigos, é pró que está. A pedido dos atacantes fundadores, queria deixar-vos uma pequena ilustração do que está a ser a minha semana e do que se avizinha pro fim de semana.

Mas o que e que nós temos a ver com isso, você perguntam?

Pois muito, porque aqui a enviada especial esta na Bifalândia, i.e., Inglaterra, e tem passado a maldita da semana a ouvir falar do jogo de sábado. Mas então o que é que se passa?

E incrível o trabalhinho de preparação da imprensa Britânica na cobertura do England-Portugal. Porque de facto, esta cobertura começou domingo a noite quando estes senhores decidiram insinuar que os Tugas são uns falsos, teatrais, mafiosos, sangrentos (sim NÓS, que fizemos uma revolução em 75 sem derramar uma gota de sangue, versus este gajos daqui que onde quer que tivessem ido mataram uma série de gente, ou então desfizeram uma porção de coisas – veja-se o o rasto nojento que deixam os hooligans!). Mas não, de acordo com a BBC e afins, somos todos uns bárbaros (Ah e os tadinhos que defizeram Nuremberga a semana passada são apenas isso, tadinhos, nada de Bárbaros e feios como nós os Tugas). Os tipos nem conseguem sequer ver que a altura média dos jogadores portugueses (e o peso também, já agora) deve ser muito inferior ao dos Bifes.

Mas vamos lá a concretos. Até domingo passado, o que se falava aqui do Mundial era o facto da Victoria continuar de fuças irrespective dos bifes ganharem os jogos, da Colleen ter ido a Liverpool por um dia arranjar as madeixas, e de quão arranjadas e maquilhadas andavam as WAGs (wives and girlfriends) no jogos de futebol dos meninos. A Partir de domingo mudou tudo. Vejamos:

1. O Sven passou a ter estratégia. E não é só uma, parece que o gajo tem duas. A minha pergunta continua a ser “O que é que um gajo que não ganhou nunca nada, fez para ganhar o pastol que ganha?” - Link

3. O Gerrard – melhor jogador juntamente como Rooney – promete já um chorrilho de golos porque ainda não marcou nenhum. (Ai é assim? É pá, eu não sabia, mas se funciona pede-se já ao Ricardo pra prometer golos também. Que é que interessa se o gajo é guarda-redes?)

4. Voltando ao Sven, o tipo está convencidissimo que vai ganhar. Ouça lá, oh Senhor, mas baseado em quê, se faz favor? - Link

6. Com o Deco de lado os Tugas nao teem a mínima chance. Sim porque o Pauleta, o Maniche e o Figo até agora não fizeram a ponta dum corno como se diz la na minha terra não é???? Errado, muito errado.

7. Enfim, de acordo com esta gajada, o melhor e enfiarmos os calções e irmos pra praia no sábado, porque Portugal nao tem a minima hipótese contra a Inglaterra. De facto, no mundo das apostas, Inglaterra é favorita para ganhar.

Pois é, mas aqui a Tuguinha, que se tem mantido calada que nem um rato, até para não instigar violência lá no estaminé, ja organizou uma comitiva Tuga para ir ver o jogo. O que é triste é que a comitiva se tenha que deslocar sem a camisola da Selecção até chegar ao sitio onde se vai ver o jogo (uma vez lá chegados, toca a mudar de roupa). E isto porquê? Porque um povo tão civilizado como os Ingleses, que nem sequer mandam o pessoal ao Raio-que-o-parta, preferindo usar o bem mais equívoco e educado “ Olhe, por favor, se não se importasse, sabe, poderia, quiçá ir até ao Raio que o parta, mas só se não for muito esforço, porque se for, vou eu por si, deixe lá, sabe que não gosto de incomodar”, dizia-se então que um povo tão educado como este olharia com maus olhos a camisola Tuga e a comitiva arriscaria apanhar um verdadeiro arraial de porrada. Eu até diria de pancada, mas este termo deve ser usado pra povos mais civilizados, que nao bebem pra ficar bêbados e perder emoções, que sabem ir pra praia sem ficar que nem gambas, que comem a cabeca da Lagosta, que conseguem comer polvo de olhos abertos, e cujo prato nacional nao seja uma porcaria adaptada duma ex-colonia, como o chicken tikka massala que nem sequer é feito em condições!

A grande conclusão é que, seja qual for o resultado no sábado, aqui a "yours truly" vai estar feita ao bife. Se ganharem os Tugas, vai ter que ficar calada. Se ganharem os bifes, vai ter que os aturar, e avizinha-se entao uma semana fantasmagórica.

Nos entretantos, euzinha que nem religiosa sou, vou continuar a rezar com afinco. May the best man win. E o best man é o MANICHE carago!

[Ck in UK]

quinta-feira, junho 29, 2006

"A Portuguesa"

Para quem está esquecido, aí vai a história do nosso hino nacional.

"A Portuguesa", que hoje é um dos símbolos nacionais de Portugal (o seu hino nacional), nasceu como uma canção de cariz patriótico em resposta ao ultimato britânico para que as tropas portuguesas abandonassem as suas posições em África, no denominado "Mapa cor-de-rosa".

Em Portugal, a reacção popular contra os ingleses e contra a monarquia, que permitia esse género de humilhação, manifestou-se de várias formas. "A Portuguesa" foi composta em 1890, com letra de Henrique Lopes de Mendonça e música de Alfredo Keil, e foi utilizada desde cedo como símbolo patriótico mas também republicano. Aliás, em 31 de Janeiro de 1891, numa tentativa falhada de golpe de Estado que pretendia implantar a república em Portugal, esta canção já aparecia como a opção dos republicanos para hino nacional, o que aconteceu, efectivamente, quando, após a instauração da República a 5 de Outubro de 1910, a Assembleia Nacional Constituinte a consagrou como símbolo nacional em 19 de Junho de 1911 (na mesma data foi também adoptada a bandeira nacional).


A Portuguesa , proibida pelo regime monárquico, que originalmente tinha uma letra um tanto ou quanto diferente (mesmo a música foi sofrendo algumas alterações) - onde hoje se diz "contra os canhões ", dizia-se "contra os bretões", ou seja, os ingleses - veio substituir o Hymno da Carta, então o hino da monarquia.

Em 1956, existiam no entanto várias versões do hino, não só na linha melódica, mas também nas instrumentações, especialmente para banda, pelo que o governo nomeou uma comissão encarregada de estudar uma versão oficial de A Portuguesa. Essa comissão elaborou uma proposta que seria aprovada em Conselho de Ministros a 16 de Julho de 1957, mantendo-se o hino inalterado deste então.

Nota-se na música uma influência clara do hino nacional francês, La Marseillaise , também ele um símbolo revolucionário.



O nosso hino, com acompanhamento musical só contempla parte da letra escrita por Henrique Mendonça. Eis a letra completa:

Heróis do mar, nobre povo,
Nação valente, imortal,
Levantai hoje de novo
O esplendor de Portugal!
Entre as brumas da memória,
Ó Pátria sente-se a voz
Dos teus egrégios avós,
Que há-de guiar-te à vitória!

Às armas, às armas!
Sobre a terra, sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar
Contra os canhões marchar, marchar!


Desfralda a invicta Bandeira,
À luz viva do teu céu!
Brade a Europa à terra inteira:
Portugal não pereceu
Beija o solo teu jucundo
O Oceano, a rugir d'amor,
E teu braço vencedor
Deu mundos novos ao Mundo!

Às armas, às armas!
Sobre a terra, sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar
Contra os canhões marchar, marchar!

Saudai o Sol que desponta
Sobre um ridente porvir;
Seja o eco de uma afronta
O sinal do ressurgir.
Raios dessa aurora forte
São como beijos de mãe,
Que nos guardam, nos sustêm,
Contra as injúrias da sorte.

Às armas, às armas!
Sobre a terra, sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar
Contra os canhões marchar, marchar!

E para finalizar, nada melhor do que um video do nosso Hino, que é verdadeiramente arrepiante!!!



FORÇA QUINAS!!!

Oitavos de final: Espanha Vs França



A França qualificou-se esta terça-feira para os quartos de final do Mundial 2006 ao vencer a Espanha por 3-1.


Num confronto latino que representava um dos mais aguardados jogos do início desta segunda fase, a selecção gaulesa venceu com dois golos nos últimos dez minutos e mandou para casa uma selecção espanhola que tinha percorrido a primeira fase da prova só com vitórias.



A Espanha era considerada favorita e o golo de Villa, de grande penalidade, com falta deThuram sobre Pablo,aos 28 minutos, confirmava a previsão de todos. No entanto, a França, desde o início do encontro, comprovava que era outra, que tinha ressurgido depois de uma má imagem deixada na primeira fase enquanto os espanhóis não estiveram ao nível que nos mostraram nos desafios anteriores. E depois de Thierry Henry ter sido apanhado algumas vezes, em situação de fora de jogo, a França, pouco antes do intervalo conseguiu empatar num grande passe de Patrick Vieira a isolar Ribéry, que contorna o guarda-redes Casillas e empata a partida em Hannover.A 2º parte perdeu alguma qualidade, mas não ritmo, com faltas sucessivas a meio-campo, e quando todos esperavam que houvesse prolongamento, a França deu a reviravolta no resultado nos dez minutos finais, primeiro por Patrick Vieira e depois por Zidane, que arrancou de trás para um golo simples que deve ter calado todos os espanhóis que lhe sentenciavam já o fim da participação em campeonatos do Mundo.

E assim, a Espanha, mais uma vez não conseguiu atingir os seus objectivos (no mínimo as meias-finais).

Patrick VIEIRA
Deu o passe que levou ao golo de empate da França, na primeira parte, e marcou o segundo golo decisivo, sete minutos antes do final, na vitória de 3 a 1 sobre a Espanha, em Hanover; Contribuiu tanto para o ataque quanto para a defesa e também foi um constante incómodo no habilidoso meio-campo espanhol.


Penso que o italiano Roberto Rosetti esteve bem durante todo o jogo, controlando da melhor forma todas as situações e ao mesmo tempo permitindo a ambas as selecções jogarem.

França: Postura bem diferente neste jogo, depois de uma má fase inicial;
O Público: Tem sido do melhor em todos os desafios.


Espanha: Depois de uma primeira fase só com vitórias e de te nos ter mostrado um futebol vistoso e agradável, mesmo tendo tido mais posse de bola, foi quase sempre inferior à França.

quarta-feira, junho 28, 2006

CT de Eldorado amplia qualidade para atletas


Mudanças valorizam formação de jogadores

Buscando ampliar a qualidade de formação dos atletas gremistas, o Centro de Treinamento Hélio Dourado, na cidade de Eldorado do Sul, segue recebendo melhorias em sua estrutura.

As obras, que tiveram início a cerca de três meses, fazem parte de um projeto de qualificação das categorias de base, aprovado e colocado em prática pelo presidente Paulo Odone e demais membros do Conselho Administrativo gremista.

A inauguração do estádio, com capacidade para mil pessoas, está prevista para o mês de Agosto, durante a Copa RS. Os 8 campos integrados de treinamento, alojamento e academia serão inaugurados no decorrer do prazo estabelecido de planejamento.

Através do CT de Eldorado, o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense incentiva o crescimento profissional de seus atletas, disponibilizando qualidade de infra-estrutura adequados para a formação de grandes jogadores. Servindo de modelo como centro de treinamento, as obras marcam apenas o início de um grande projeto de aprimoramento da área.

Nos últimos meses, formaram-se dentro do clube atletas como Galatto, Marcelo Grohe, Cássio, Lucas, Nunes, Carlos Eduardo e Aloísio.

Futsal 2º jogo final do campeonato


O Sporting recebeu e venceu o Benfica no 2º jogo da final e sagrou-se campeão nacional da modalidade, juntando este título à Taça de Portugal, conquistada em Coimbra frente ao mesmo adversário.

Neste jogo o Benfica não dominou tanto como no 1º jogo. Aos 7 minutos, André Lima a passe de Ricardinho, isola-se perante João Benedito picando-lhe a bola. Estava feito o 0-1 para os encarnados. De lamentar os festejos do jogador encarnado, a fazer gestos menos próprios para os adeptos leoninos, mas nada a que não nos tenha habituado. No mesmo minuto, os leões a responderem com o golo do empate por Paulinho.
Na 2ª parte deu-se a reviravolta, Evandro assiste Deo que fez o 2-1. E chegavamos à melhor parte do desafio. Passados 2minutos, quando já estava com guarda redes avançado, Domenico num toque de classe empata novamente. Aos 37 minutos Deo assiste Paulinho que faz o 3-2; minuto seguinte, contra ataque leonino, com Evandro a driblar Ricardinho que estava como guarda redes e a fazer o 4-2. Pensava-se que estava decidido. A 30 segundos do fim, Domenico reduz e Sidnei a 13 segundos do final empata a partida. Esperava-se que o jogo fosse a prolongamento, mas um remate de fora de área de Bibi com desvio de cabeça de...Gonçalo Alves a 1 segundo a acabar com a partida e....CAMPEÕES!

Parabéns a todos quantos fazem parte desta secção, que com ESFORÇO DEDICAÇÃO e DEVOÇÃO conseguiram a GLÓRIA!!!

Chernobyl

Anteontem, no jogo de Rugby entre Portugal e Holanda, ficou provado uma teoria apresentada por cientistas internacionais, em que se conclui que Portugal foi afectado pelo desastre de Chernobyl... Os ventos desta cidade da Ucrânia, estavam sentido Oeste.

Como era possível que os Holandeses não entrassem duros, quando têm pela frente aberrações destas?

É normal...



Nas fotos anteriores, estão todos os portugueses da selecção que foram afectados pela catástrofe ambiental de Chernobyl. Aqui está a lista dos mais bonitos, dos monstrinhos de Portugal.

1 – Ricardo (Guarda-Redes)
2 – Maniche (Médio)
3 – Miguel (Defesa)
4 – Paulo Santos (Guarda-Redes)
5 – Caneira (Defesa)
6 – Quim (Guarda-Redes)
7 – Hélder Postiga (Avançado)
8 – Sid (Apanha-Bolas)


O Sid (da “Idade do Gelo”), que foi criado para ser feio e estrábico, por incrível que pareça, é o mais giro de todos...

Segundo “A revolta dos Pastéis de Nata”, os estudos da “feiúra” dos jogadores do mundial, foram votados com as seguintes pontuações:

1 - Muito Bonito
2 - Bonito
3 - Normal
4 - Feio
5 - Muito Feio
6 - Maniche

Os guarda-redes são escolhidos a dedo... Por exemplo, o Bruno Vale, não foi convocado, não por estar lesionado, mas sim por não ser feio o suficiente.

Por exemplo, os avançados holandeses falharam golos atrás de golos, porque tiveram medo das represálias dos guardiões portugueses.

Assim, é normal que sempre que aparecia um “mutante” à frente das Laranjas Mecânicas: PAU NELES...

Ainda por cima, estes mutantes também são violentos, pois basta ver que os cartões até foram bem divididos.

Que venham agora os ingleses e que também se assustem, tal como se assustou o Van Der Sar, ao ver a cara do Maniche, até teve medo de se fazer à bola... Ainda levava uma dentada =)



PS: O Sid da 1ª foto, foi incluido na equipa técnica da Selecção Portuguesa, pois foi encontrado num posto de um dos principais patrocinadores da selecção e ao som de "Marca mais... Chuta mais... Queremos mais, queremos mais, queremos mais... LÁ LÁ LÁ"

[GANSO @ GANSOspot: O SPOT DAS AVES]

Oitavos de Final: Brasil Vs Gana


Valendo pelas oitavas de finais a seleção brasileira venceu a seleção de Gana por 3 x 0, com gols de Ronaldo, Adriano e Zé Roberto, em Dortmund nesta terça.
Para quem não assistiu o jogo pode parecer que foi um jogo tranqüilo, o que não é verdade, já que a seleção de Gana ofereceu grande perigo a zaga brasileira. Parreira optou pelo mesmo time que jogou os dois primeiros jogos da copa, com Adriano e Ronaldo na frente.

O Brasil começou bem marcando logo aos 5 min com Ronaldo, logo depois Adriano desperdiçou grande oportunidade de gol. Isto mostrou “o caminho do ouro” da defesa de Gana que estava posicionada em linha, o que aliado a ineficiência do bandeirinha deixa a zaga totalmente exposta as enfiadas de bola do Brasil.
Mas todos nós conhecemos o estilo africano de jogar, deficiente na defesa, mas ataca com muita velocidade, com isto a seleção de Gana passou a dominar a partida levando por diversas vezes perigo ao gol de Dida, que numa grande chance defendeu na mais pura sorte a cabeçada a queima-roupa de John Mensah com o pé. Mas depois de um contra – ataque, o Brasil ampliou a diferença com Adriano, que embora o gol, estava muito mal na partida, totalmente sem movimentação e sem ritmo de jogo, ao contrario de Ronaldo que se movimentou e se apresentou razoavelmente bem, mas o esquema tático adotado por Parreira não permite um atacante jogando mal e acabou sobrecarregando o meio de campo que não conseguia armar jogadas.
Ainda no intervalo, Emerson sentiu dores e foi substituído por Gilberto Silva, no segundo tempo Gana não apresentou o mesmo futebol e o nível da partida caiu um pouco, o suficiente para as vaias tomarem conta do estádio. Parreira resolve mudar e Poe Juninho Pernambucano no lugar de Adriano. A seleção não melhora muito, mas melhora o suficiente para tomar o controle da partida. Aos 38 min, Ricardinho que tinha acabado de entrar da belo passe para Zé Roberto que sai livre contra o goleiro e fecha a conta, Brasil 3 x 0 Gana.
O arbitro Lubos Michel errou algumas vezes no primeiro tempo por culpa dos bandeirinhas, em varias jogadas de impedimento. Talvez com medo de perder o controle da partida, como o arbitro de Portugal vs Holanda perdeu, Michel distribuiu cartão amarelo para toda e qualquer jogada um pouco mais duras, deixando 5 jogadores de Gana com o cartão amarelo e um expulso.

Como diria a narração do hattrick, com calma e parcimônia em cada jogada, Zé Roberto foi o destaque do jogo e vem se tornando o destaque brasileiro da copa, em todos os jogos sempre manteve um ótimo nível de atuação.

Os recordes quebrados pela seleção brasileira e seus craques: A seleção brasileira está com 11 vitórias consecutivas em copas do mundo, Ronaldo é o maior artilheiro da historia das copas com 15 gols, Cafu é o maior vencedor com 16 vitórias em 19 jogos e Adriano marcou o gol de numero 200 do Brasil em copas do mundo.

Ronaldo confirma que está de volta em boa fase. Assim como o sistema defensivo brasileiro que tem Lúcio com uma marca difícil para um zagueiro, pois ainda não cometeu nenhuma falta nesta copa e Juan ainda não perdeu nenhuma disputa de bola.

A arbitragem foi um pouco confusa e deixou a desejar durante o primeiro tempo de jogo.


EDITORIAL

Mais uma vez o “quadrado mágico” não se mostra “mágico” e deixa claro sua ineficiência, ainda mais apoiado pelo fato que em todas as vezes que o quadrado foi desfeito o time subiu de produção durante a partida.
Fica claro também que a seleção brasileira tem muito mais futebol a oferecer do que o que já foi mostrado e deixa nas mãos de Parreira o destino do Brasil na copa do mundo.
O próximo confronto é no sábado, dia 01 contra a França, este será um jogo bem disputado, já que aquela derrota em 98 por 3x0 na final da copa ainda esta engasgada em qualquer brasileiro e essa é a chance da revanche do Brasil diante da França.
E ainda fica a expectativa do possível encontro entre Brasil e Portugal nas semifinais, caso cada um prossiga na competição.

terça-feira, junho 27, 2006

Oitavos de Final - Suíça vs Ucrânia


*0-3 em grandes penalidades


Mundial: Alemanha 2006
Oitavos de Final
Equipas: Suíça e Ucrânia
Cidade: Cologne
Estádio: FIFA World Cup Stadium
Árbitro: Archundia Benito (México)
Auxiliares: Jose Ramirez (México) e Hector Vergara (Canadá)
Espectadores: 45000

Calhou-me a mim a fava dos oitavos de final, sou eu o responsável pela crónica ao jogo menos interessante desta fase do Campeonato do Mundo.

A Suíça vinha daquele que se não foi o pior, foi um dos mais fracos grupos da primeira fase do Mundial, mas mesmo assim não sofreu um único golo, e conquistou o primeiro lugar de forma justíssima relegando a França para o segundo lugar.

A Ucrânia tinha os melhores valores individuais neste jogo, com Shevchenko a encabeçar a lista!
Na primeira fase a Ucrânia praticou um futebol triste, recebeu assobios das bancadas dos próprios adeptos, e nem 4 golos à frágil Arábia Saudita coloriram as enfadonhas exibições dos homens do leste.

A Suíça entrou melhor no jogo, timidamente assumiu o controlo do jogo nos primeiros minutos. Até que Shevchenko responde a um cruzamento Kalinichenko da direita, e após ganhar a posição ao jovem Djourou, atirou de cabeça à barra da baliza de Zuberbuehler, esteve perto o primeiro golo dos Ucranianos. 3 minutos depois Frei responde na conversão de um livre directo atirando a bola também à barra da baliza da Ucrânia, Shovkovskvi nada podia fazer se a bola vem 2 centímetros mais abaixo.
Daqui para a frente a Ucrânia criou as melhores oportunidades, teve algumas oportunidades de rematar à entrada da área Suíça, Sheva quase marcou num lance que parecia simples, mas que deixou o guarda redes Suíço pregado ao relvado com a bola a passar muito perto da baliza.


Terminava desta forma a primeira parte, sem grandes motivos de interesse para o comum adepto de futebol, e não fosse um café, duvido que tivesse aguentado o tempo de intervalo sem fechar os olhos e adormecer de vez...

Na segunda parte manteve-se o jogo triste, ninguém arriscava, os lances de perigo eram uma miragem, mas notou-se claramente que a única selecção que procurava resolver o jogo era a Ucrânia.
Incompreensível como os Suíços se podem satisfazer com o adiamento do jogo para as grandes penalidades, quando as selecções do leste são por tradição muito mais frias e mortíferas neste tipo de decisões em que existe uma enorme carga emocional.

Mas quando eu já estava resignado ao azar que tive em comentar este jogo, o seleccionador Ucraniano decide oferecer uma prenda a qualquer fan de futebol, e entrou um rapaz chamado Milevskiy, que em apenas 10 minutos mais uma grande penalidade, conseguiu mostrar futebol que nenhum outro jogador neste jogo demonstrou em 110 minutos...
Se vier para o futebol Português será muito bem vindo, pena não ser para o clube certo...
Depois de um empate a 0 golos, chegou a hora da lotaria das grandes penalidades, e sem grande surpresa os homens do leste confirmaram a tradição, 3 penaltys em 4, falando apenas a estrela da companhia, talvez por confiança a mais, contra 0, viram bem, ZERO golos da Suíça!
Desta forma a Ucrânia chegou com justiça aos quartos de final na sua primeira participação num Mundial, e depois de estar bem perto de participar numa grande competição internacional por várias vezes, o povo Ucraniano merece bem esta alegria!


Sheva e Milevskiy, as 2 figuras da selecção da Ucrânia

Jogou apenas 10 minutos do prolongamento, bem sei que é uma tremenda injustiça considerá-lo o melhor jogador do jogo nestas condições, mas pela alegria que tive em ver alguém jogar futebol, nem que sejam apenas 10 minutos em 120, elegi este prodígio do futebol Ucraniano como o melhor do jogo, Sheva e Milevskiy formaram uma dupla temível nos próximos anos.
Se vier para Portugal como se tem falado, será muito bem vindo.


Após as tristes declarações do Presidente da FIFA, naturalmente qualquer arbitro terá de pedir licença ao dito senhor para tirar um cartão do bolso...
E neste jogo ficaram inúmeros cartões por mostrar, apenas 1 amarelo em 120 minutos, num jogo com 48 faltas...


A entrada de Milevskiy, foi um rebuçado para quem via o jogo


Uma destas equipas teria de passar aos quartos de final, do mal o menos, passou a que tem os melhores jogadores!

segunda-feira, junho 26, 2006

Oitavos de Final: Italia Vs Australia




Olá a todos

O jogo que opôs a equipa da Oceânia à Itália foi vivido com alguma emoção, a equipa Italiana entrou em campo com Materrazi no lugar de Nesta ainda lesionado, e com uma frente de ataque composta por Gilardino e Luca Toni.

Os Australianos entraram em campo em “full mode” já com Mark Schwarzer na baliza, depois de ter sido preterido no jogo frente a Croácia.

O jogo começou praticamente com Mark a mostrar serviço, aos 5m de jogo Luca Toni de cabeça mete a bola a sair pelo lado Esquerdo da Baliza Australiana, estava feito o primeiro aviso da Itália.

A Squadra Azurra dominou toda a primeira parte do jogo, apesar de estar um pouco abaixo daquilo que nos vem habituando, a Itália esteve bem no ataque e só não ganhou vantagem no marcador porque encontrou um Guarda-Redes Australiano extremamente inspirado e disposto a tudo para não deixar a bola tocar nas redes.

Ainda não estávamos nos 10m de jogo e foi Gilardino que apontou baterias para a baliza Australiana, valeu Craig Moore que cortou a bola e evitou um grande golo dos Italianos.

Quase a chegar aos 20m as equipas já se tinham estudado uma à outra, a Itália viu que a Austrália estava a apertar a marcação à entrada da sua área, e a Austrália não conseguia penetrar a muralha defensiva dos AZURRI, assim é que ambas equipas diminuíram um pouco o ritmo de jogo e tentaram começar a jogar um jogo mais paciente.

Os Australianos demonstravam alguma dificuldade em construir jogo no meio campo Italiano, do lado dos Azurri, o contra-ataque não estava a funcionar como nos jogos anteriores.

Antes da meia hora de jogo, tivemos o momento mais perigoso de todo o jogo, Pirlo deixa a bola para Luca Toni, que, em frente ao Guardião Italiano remata à meia volta mas a bola foi desviada pelo pé de Mark Shwarzer naquilo que se pode chamar a defesa da tarde.

Buffon, do outro lado do campo tocou pela primeira vez na bola aos 30m de jogo, após a cobrança de uma falta, Viduka salta mais alto que todos os defesas Italianos e permite a Buffon uma defesa fácil.

O jogo terminou a sua primeira parte com a Itália completamente instalada na área da equipa do hemisfério Sul, durante 10m Luca Toni teve nos pés três boas oportunidades de golo, sendo que a ultima não lhe acertou no pé.


Veio a segunda parte que trouxe uma Itália adormecida, passaram a jogar mais a defesa e o contra-ataque quase não se viu, ou pelo menos com a eficácia a que nos habituamos, tanto que Materazzi foi expulso por falta sobre Bresciano, logo após um bom momento de Luca Toni que, mais uma vez não marcou porque os deuses não ajudaram.

A Itália estava reduzida a dez unidades e ainda por cima um rombo defensivo, Lippi não perdeu tempo e atirou Barzagali para tapar o rombo defensivo e sacrificou Luca Toni.

A Itália desapareceu do jogo completamente e decidiu jogar à defesa, os Australianos aproveitaram e a meio da segunda parte Neill deixa meio golo nos pés de Chipperfield que num bom lance não abriu o activo porque Buffon voltou a mostrar porque o chamam o melhor guarda-redes do mundo.

Durante toda a segunda parte, as únicas boas chances de golo da Itália foram por intermédio de Del Piero, que a passe de Gattuso, muito forte, não conseguiu ficar em posição de golo, e muito tempo depois por intermédio de Perrota que do bico da área fez um remate que podia levar perigo não fosse a falta de efeito na bola.

Até ao fim do jogo, só a Austrália beneficiou de várias oportunidades de golo, ora por Viduka, ora por Aloisi, mas sempre com Buffon pela frente.

Ao cair do pano Iaquinta arriscou a oito metros da Baliza, mas não foi fatal.

O arbitro deu 3 minutos de compensação, os adeptos já se preparavam para mais meia hora de jogo quando, Grosso, entra na área Australiana após bater o Lateral direito Australiano, depara-se com o Central Neill a entrar de carrinho e à primeira, usou da sua experiência caiu sobre o central Australiano, que foi anjinho, e ganhou um penalti aos 92m:56seg. de jogo.


Nas bancadas ninguém queria acreditar, o cameraman focou de perto a cara de Totti que foi escolhido para bater o guardião Mark Shwarzer. O ambiente estava ao rubro, o publico não queria acreditar, Totti correu para a bola e bateu o guarda-redes Australiano, o jogo terminou logo de seguida ainda com Totti a mandar os Australianos chupar no dedo.

A Itália está assim nos quartos de final do Mundial, a equipa jogou um bom futebol, independentemente do jogo de hoje que até nem esteve ao seu mais alto nível, merece estar na próxima fase pelo magnífico show de bola que tem proporcionado aos amantes deste estilo muito característico de se jogar este desporto.

Quanto à Austrália, durante todo o mundial revelou ser uma equipa inconstante apresentou um futebol nervoso, pouco experiente mas com alguma eficácia, está extremamente bem orientada e valeu-lhe esse factor para chegar onde chegou, até à próxima Austrália, divirtam-se. Lembro que esta selecção, perdeu 1-0 frente ao Lichenstein num jogo de preparação para o Mundial. Hidink pagou assim a factura da roubalheira do Mundial no Japão quando orientava a Coreia.


Geralmente não gosto muito de falar de árbitros nem dessas coisas, mas hoje tenho de dizer que, à excepção do lance do penalti, a arbitragem esteve muito bem, parabéns aos 4 juízes.



A FIFA escolheu Francesco Totti, como é obvio é sem duvida uma escolha acertada, pelo facto deste jogador ter entrado com tudo dentro de campo e até ter sido o responsável pela vitória da Squadra Azzurra, mas permitam-me destacar um jogador que tem mostrado ser um grande valor do futebol, IAQUINTA, já acompanho este jogador há algum tempo na Série A e tenho estado atento ao seu trabalho aqui no mundial, não tem sido uma escolha de ponta para Lippi, mas sempre que entra desiquilibra, abre espaços e até já marcou, portanto hoje vou destacar este jogador.Da parte da Austrália, tenho de dar mérito ao Guarda-Redes Mark Shwarzer, fez duas grandes defesas no jogo de hoje e evitou que os Italianos conseguissem vantagem por várias vezes, alem disso tem uma excelente colocação de bola nas reposições.


.As defesas do Guardião Australiano

.O jogo Italiano da primeira parte

.O jogo da Austrália na Segunda parte

.O lance do penalti, Grosso foi inteligentíssimo e de uma frieza maquiavélica, parabéns a este jogador que conseguiu um feito espectacular


.O Meio campo de ambas as equipas, muito preso e pouco produtivo

.A falta de Materazzi

.A falta de experiência da equipa Australiana, especialmente no lance do penalti em que o defesa, Neill ao cair do pano comete dois erros, entra à primeira e de carrinho frente a um ITALIANO, ora isto é falta de experiência pois qualquer pessoa que anda no futebol sabe que isto é fatal perante jogadores do nível dos italianos.


E o futebol é isto meus senhores, de facto em tudo há coincidências e aqui não há excepções, como todos sabem eu sou simpatizante do FCP e sócio, e adepto do C.S.Maritimo, aqui no Mundial é mais ou menos a mesma coisa, sou simpatizante da Itália, que também joga de azul, tem um estilo de jogo parecido ao do FCP, joga bem a defesa sai bem para o contra-ataque e acima de tudo acaba por ganhar muitos jogos com alguma polémica e muita sorte no jogo, em tudo igual ao FCP, por outro lado temos PORTUGAL, a minha equipa do coração aquela que me faz vibrar, tal e qual o Marítimo, um gajo vê os jogos todos com o coração na mão, a equipa perde quase sempre os jogos mais importantes e com equipas fracas, brilha contra os grandes e traja de verde e vermelho já para não falar que anda sempre a braços com criticas idiotas de quem não entende nada de futebol mas, que mesmo assim, acha-se no direito de criticar aquilo que não consegue atingir.


Para terminar, e para aqueles que detestam a ITALIA e a sua forma de jogar, deixo-vos com uma frase de um grande general:

“QUANDO O INIMIGO TIVER SEDE, DÁ-LHE SAL” By: Sun Tzu